• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.23.2015.tde-21092015-125750
Documento
Autor
Nome completo
Juliane Pirágine Araujo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Alves, Fábio de Abreu (Presidente)
Gallo, Camila de Barros
Rocha, André Caroli
Título em português
Estudo epidemiológico, clínico e imaginológico das lesões ósseas dos maxilares
Palavras-chave em português
Cistos não odontogênicos
Cistos odontogênicos
Neoplasias bucais
Tumores odontogênicos
Resumo em português
Introdução. O cirurgião-dentista é na maioria das vezes, o responsável pelo diagnóstico e tratamento das lesões ósseas dos maxilares. O diagnóstico é decisivo na conduta terapêutica a ser seguida. Na literatura, análises retrospectivas são vistas com maior frequência, onde foram coletados resultados de exames histopatológicos. Contudo, para algumas lesões, o diagnóstico é clínico e radiográfico, não sendo indicada a realização de biópsia. Objetivo. O objetivo deste estudo foi descrever a prevalência das lesões ósseas dos maxilares, assim como avaliar suas características clínicas e radiográficas. Correlacionar a principal hipótese diagnóstica com o diagnóstico final. Pacientes e Métodos. Estudo com 130 pacientes com lesões ósseas dos maxilares diagnosticadas no Centro de Diagnóstico Oral da Disciplina de Estomatologia Clínica da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (CDO-FOUSP), entre Agosto de 2013 e Outubro de 2014. Os pacientes foram divididos em 4 grupos: 1: Tumores benignos odontogênicos e não odontogênicos. 2: Cistos odontogênicos e não odontogênicos. 3: Tumores malignos. 4: Outras lesões. Análise estatística foi realizada buscando estabelecer informações relevantes quanto aos dados epidemiológicos, clínicos e radiográficos destas lesões. Resultados. A idade média foi de 35,2 anos ±17,86, (variou entre 8 e 77 anos). Dos 130 pacientes, 71 eram mulheres (54,62%) e 87 leucodermas (66,92%). A mandíbula foi mais acometida (71,43%), do que a maxila (28,57%). As características clínicas mais observadas foram: aumento de volume em 60 casos (42,85%), dor em 38 (27,14%) e 16 casos (11,43%) apresentaram drenagem de secreção purulenta. O exame complementar de imagem mais utilizado foi a radiografia panorâmica, 124 exames (88,57%). Em 47 lesões (33,57%), o diagnóstico foi realizado através do exame clínico, radiográfico e conduta cirúrgica (displasias ósseas, cistos ósseos simples, escleroses ósseas, dentre outras). Lesões com imagens radiolúcidas representaram 89 casos (63,57%), a forma unilocular esteve presente em 114 casos (81,43%) e 101 lesões (72,14%) apresentaram relação com o ápice dental. Dos casos que houve análise histopatológica (93 casos), o cisto periapical foi a lesão mais frequente totalizando 38 casos, 12 cistos dentígeros, 9 odontomas (7 compostos e 2 complexos), 8 TOQ, 6 cistos residuais, 5 ameloblastomas, e outras lesões. Houve 3 casos de tumores malignos, sendo 1 osteossarcoma, 1 carcinoma mucoepidermóide e 1 mieloma múltiplo. O percentual de acerto entre a principal hipótese diagnóstica com o diagnóstico final foi de 76,82%. Conclusões. Lesões ósseas foram frequentes e representaram aproximadamente 30% das primeiras consultas. Lesões com características radiográficas radiolúcidas e uniloculares foram as mais frequentes. Em um terço dos casos, não foi indicado (necessário) o exame histopatológico para a conclusão do diagnóstico. Sendo utilizadas as informações clínicas, radiográficas e abordagem cirúrgica (casos de cisto ósseo simples).
Título em inglês
Epidemiological, clinical and imaginologic study of bone lesions of the jaws
Palavras-chave em inglês
Mouth neoplasms
Non Odontogenic cysts
Odontogenic cysts
Odontogenic tumors
Resumo em inglês
Introduction. The dentist is the main professional responsible for the diagnosis and treatment of bone lesions of the jaws. The diagnosis is crucial to therapeutic decision. In the literature, retrospective analyzes are more frequents, and the data are collected from histopathological exams. However, for some lesions, the diagnosis is clinical and radiographic, and the biopsy is not indicated. Objective. The aim of this study was to describe the prevalence of bone lesions of the jaws, and evaluate its clinical and radiographic features. In addition, the correlation between the main diagnosis and the final diagnosis was performed. Patients and Methods. A study which evaluated a total of 130 patients with bone lesions of the jaws. All cases were diagnosed in Oral Diagnosis Center of the Stomatology Discipline, School of Dentistry, University of São Paulo (CDO-FOUSP), between August 2013 and October 2014. Patients were divided into 4 groups: 1: Benign odontogenic and non odontogenic tumors. 2: Odontogenic and non odontogenic cysts. 3: Malignant tumors. 4: Other lesions. Statistical analysis was performed to establish relevant information on the epidemiological, clinical and radiographic data of these lesions. Results. The mean age of the patients was 35,2 years ± 17.86 (range, 8 to 77 years). Among 130 patients, 71 were women (54.62%) and 87 were Caucasians (66.92%). The mandible was more affected (71.43%) than the maxilla (28.57%). The most frequent clinical signs were swelling in 60 cases (42.85%), pain in 38 (27.14%) and 16 cases (11.43%) showed purulent drainage. The panoramic radiograph was the most used imaging exam, 124 exams (88.57%). In 47 lesions (33.57%), the diagnosis was done by clinical examination, radiographic and surgical management (bone dysplasia, simple bone cysts, bone sclerosis, and others). Radiolucent lesions accounted for 89 cases (63.57%), the unilocular form was present in 114 cases (81.43%) and 101 lesions (72.14%) were related to the dental apex. A total of 93 cases had histopathological analyses; periapical cyst was the most frequent lesion, representing 38 cases, 12 dentigerous cysts, 9 odontomas (7 compounds and 2 complexes), 8 OKT, 6 residual cysts, 5 ameloblastomas and other lesions. There were 3 malignant tumors, 1 osteosarcoma, 1 mucoepidermoid carcinoma and 1 multiple myeloma. The correlation between the main diagnosis hypotheses with a final diagnosis showed a success rate of 76.82%. Conclusions. Bone lesions were frequent and represented approximately 30% of the first visit patients. Lesions that presented radiolucent and unilocular radiograph pattern were the most frequent. In one third of cases, it was not indicated (necessary) the histopathological examination to conclude the diagnosis. Being used data of clinical, radiographic and surgical approach (cases of simple bone cyst).
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-09-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.