• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.23.2012.tde-13092012-122739
Documento
Autor
Nome completo
Thaysa Monteiro Ramos
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Eduardo, Carlos de Paula (Presidente)
Freitas, Patricia Moreira de
Ramalho, Karen Müller
Título em português
Avaliação in vitro da morfologia e da resistência de união de adesivos à dentina humana hígida ou submetida à ciclagem erosiva e irradiada com os lasers de Er:YAG e Er,Cr:YSGG
Palavras-chave em português
Adesão
Dentina
Erosão dentária
Laser de Er Cr:YSGG
Laser de Er:YAG
Resistência adesiva à microtração
Resumo em português
A erosão dental provoca alterações histológicas complexas na dentina e, apesar do aumento da ocorrência desta patologia na última década, a literatura apresenta poucos estudos sobre a adesão na dentina erodida. Com o aprimoramento da tecnologia e o conhecimento de que os lasers de érbio apresentam grande afinidade pela água e hidroxiapatita, sua utilização tem sido considerada um método alternativo para tratamento da superfície dentinária antes dos procedimentos adesivos. Assim, o objetivo deste trabalho in vitro foi avaliar o efeito de diferentes tratamentos de superfície (ponta diamantada, laser de Er:YAG 2,94 m, 60 mJ, 2 Hz, 0,2 W, 19,3 J/cm2 - e laser de Er,Cr:YSGG 2,78 m, 50 mJ, 30 Hz, 1,5 W, 4,5 J/cm2), prévios ao tratamento restaurador, tanto na dentina humana hígida quanto na dentina artificialmente erodida. Metade das amostras foi submetida à ciclagem erosiva, a qual foi realizada durante 5 dias por meio da imersão em solução de ácido cítrico 0,05 M (pH 2,3, 10 minutos, 6x/dia) e solução supersaturada (pH 7,0, 60 minutos entre os ataques ácidos). Na fase experimental 1, 32 fragmentos de dentina foram divididos aleatoriamente em 8 grupos (n = 4) e com o auxílio da Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), realizou-se a análise da morfologia da superfície da dentina hígida e da submetida à ciclagem erosiva, após os diferentes tratamentos de superfície. Na fase experimental 2, 192 terceiros molares humanos foram divididos aleatoriamente em 2 grupos (dentina hígida e dentina submetida à ciclagem erosiva) e 8 subgrupos (n = 12) para avaliação da resistência de união entre as superfícies tratadas e 2 sistemas adesivos (01 autocondicionante e 01 com condicionamento ácido prévio), por meio do ensaio de microtração e da análise do padrão de fratura. Para o ensaio de microtração, blocos de resina composta microhíbrida foram confeccionados na superfície de dentina e, após armazenados em água destilada-deionizada por 24h (37oC), palitos foram obtidos para serem tracionados na máquina de ensaio universal (0,5mm/min). A análise do padrão de fratura realizada em microscópio ótico (40x) e as avaliações das eletromicrografias foram feitas de forma descritiva. Os valores obtidos de resistência de união(MPa) foram submetidos aos testes de ANOVA (dois fatores) e de comparações múltiplas de Tukey (p<0,05). A análise morfológica de superfície mostrou alterações significativas da dentina hígida e da dentina artificialmente erodida, submetidas aos diferentes tratamentos de superfície. Quanto à resistência de união, na dentina hígida, o grupo controle, tanto do sistema autocondicionante (54,69 ± 7,80 MPa) quanto do condicionamento ácido total (47,36 ± 9,35 MPa), apresentou valores significativamente maiores que os outros grupos, sendo, porém, diferentes entre si. Na dentina erodida, a maior resistência de união foi alcançada com o grupo tratado com o laser de Er,Cr:YSGG associado ao adesivo autocondicionante (28,26 ± 9,22 MPa), o qual foi significativamente diferente de todos demais grupos. Com base nos parâmetros de irradiação utilizados neste estudo, pode-se concluir que em dentina hígida, os tratamentos de superfície com os lasers de Er:YAG e Er,Cr:YSGG apresentaram resultados de adesão inferiores, mas satisfatórios, em relação ao grupo controle. Já em substrato dentinário erodido, a irradiação com laser de Er,Cr:YSGG, associada ao uso de sistema adesivo autocondicionante, promoveu efeito positivo para a adesão à resina composta.
Título em inglês
In vitro evaluation of the morphology and the bond strength of adhesives to sound and artificially eroded human dentin irradiated with Er:YAG and Er,Cr:YSGG laser
Palavras-chave em inglês
Adhesion
Dentin
Er Cr:YSGG laser
Er:YAG laser
Microtensile bond strength
Tooth Erosion
Resumo em inglês
Dental erosion can cause complex histological changes in dentin and, despite the increase in its incidence during the last decade, limited information is available regarding adhesion to eroded dentin. With improvements in technology and due to the fact that the erbium lasers have high affinity to water and hydroxyapatite, the use of laser can consist on an alternative for the treatment of dentin surface before adhesive procedures. The aim of this in vitro study was to evaluate the effect of different surface treatments (diamond bur, Er:YAG laser 2.94 m, 60 mJ, 2 Hz, 0.2 W, 19.3 J/cm2 - and Er,Cr:YSGG laser 2.78 m, 50 mJ, 30 Hz, 1.5 W, 4.5 J/cm2) prior to restorative treatment, in sound and artificially eroded human dentin. Half of the samples was submitted to the erosive cycling, which was performed by immersion in 0.05 M citric acid (pH 2.3, 10 min, 6x/day) and in supersaturated solution (pH 7.0, 1h, between acid attacks), during 5 days. In phase 1, 32 dentin fragments were randomly divided into 8 groups (n = 4). The analysis of surface morphology of both sound and eroded dentin was performed by Scanning Electron Microscopy (SEM), after the different surface treatments. In phase 2, 192 human third molars were randomly divided into 2 groups (sound and eroded dentin) and 8 subgroups (n=12) to evaluate the bond strength between the treated surfaces and composite resin, with two adhesive systems (self-etching and total-etching) by means of the microtensile bond strength (TBS) test and fracture pattern analysis. For the microtensile bond strength test, blocks of composite resin were bonded to the samples and, after 24 h-storage in distilled/deionized water (37°C), stick-shapped samples were obtained and submitted to TBS test in a universal testing machine (0.5 mm/min). The fracture pattern was performed with an optical microscopy (40x) and the evaluations of the electromicrographs were made under a descriptive mode. The bond strength values (MPa) were analyzed by two-way ANOVA and Tukey tests ( = 0.05). In sound dentin, for the control group, both self-etching (54.69 ± 7.8 MPa) and total-etching adhesive system (47.36 ± 9.3 MPa) showed significantly higher values than all other groups (p<0.05), even though they differ from each other. However, in eroded dentin groups, the self-etching on the samples treated with the Er,Cr:YSGG laser presented the highest mean (28.3 ± 9.2 MPa), which was statistically significant higher than all the other treatments (p<0.05). Based on the irradiation parameters considered for this study, it can be concluded that in healthy dentin, the surface treatment with Er:YAG and Er,Cr:YSGG irradiation showed bonding values lower than the control group, but they presented satisfactory results. However, in eroded dentin, the use of Er,Cr:YSGG laser, associated with the self-etching adhesive system, promoted positive effect on adhesion to composite resin.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-10-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.