• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2011.tde-29082011-145004
Documento
Autor
Nome completo
Juliana Ribeiro
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2011
Orientador
Banca examinadora
Almeida, Ana Maria de (Presidente)
Lopes, Maria Helena Baena de Moraes
Santos, Claudia Benedita dos
Título em português
Prevalência e fatores associados de incontinência urinária em profissionais de enfermagem de um hospital universitário
Palavras-chave em português
fatores risco
Incontinência Urinária
Prevalência
Profissionais de Enfermagem
Resumo em português
A Incontinência Urinária (IU) é um sintoma multifatorial associado ao estilo de vida, sendo uma disfunção anatomopatológica que interfere, principalmente, na saúde da mulher. Objetivo: O estudo teve como objetivo analisar a prevalência de incontinência urinária e fatores associados em profissionais de enfermagem que atuam em um Hospital Universitário de Ribeirão Preto-SP. Materiais e Método: Trata-se de uma pesquisa descritiva e exploratória de corte transversal com abordagem quantitativa, sobre a prevalência e fatores associados à incontinência urinária entre estes profissionais. A população foi composta por 119 profissionais das unidades de Clínica Médica (CM),Clínica Cirúrgica (CC),Ginecologia (GO) e Obstétricia (OBST), nas categorias de enfermeira, técnica de enfermagem e auxiliar de enfermagem; o período de coleta de dados foi de Junho a Outubro de 2010 .Foi solicitada a autorização da Divisão de Enfermagem do HCFMRP-USP e , posteriormente, enviado o projeto para análise do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da mesma instituição. Este procedimento visa a preservação dos aspectos éticos relacionados à pesquisa envolvendo seres humanos, segundo a resolução 196/96. Resultados: Das 91 mulheres entrevistadas a maioria estava na média de 40 anos e 58 (65,17%) eram de raça branca apresentaram uma prevalência de incontinência urinária de 30,94%. As categorias profissionais que apresentaram sintomas de incontinência urinária foram as técnicas e auxiliares de enfermagem (25,48%), as enfermeiras (5,46%). Entre os tipos de sintomas de perdas de urina mais prevalentes foram perdas pelo menos uma vez ao mês com 34,12%, as perdas por algum motivo 20,24%%, perdas antes de chegar ao banheiro 20,24%. Os sintomas IU causaram algumas alterações na vida das mulheres, tais como, alterações nas atividades ocupacionais, falta de concentração, baixa produtividade, estresse e fadiga, o aumento da perda urina devido às atividades executadas, a não realização de algumas atividades no trabalho para evitar as perdas de urina, o manejo para facilitar as trocas de roupa, o uso de absorvente ou ir ao banheiro, as dificuldades para interromper as atividades para ir ao banheiro. Os sintomas de incontinência urinária foram associados a diversas variáveis qualitativas como hipertensão, menopausa, intestino preso, atividade física e categoria profissional. Indicou que hipertensão (0,049) e menopausa (0,022). Estão associados às perdas de urina quando tossem, espirram ou fazem algum esforço. Os sintomas de incontinência urinária foram associados às diversas variáveis quantitativas como idade, IMC, ingestão de café (número de copos), número de gravidez, peso médio do recém-nascido (RN), tabaco e paridade, e indicou que as pessoas que perdem urina pelo menos uma vez no mês são as que apresentaram maiores índices de massa corporal (0,001) e ingeriam mais café diariamente ( 0,027). Quanto as que perdiam urina quando tossiam, espirravam, levantavam peso ou faziam algum tipo de esforço são as que apresentaram idade (0,036), IMC (0,029), gravidez (0,003) e paridade (0,009). Entre as mulheres que apresentaram perda de urina antes de chegar ao banheiro e as que não apresentaram tal perda quando comparadas às variáveis, estavam associadas ao IMC (0,029) e ingestão de café (0,001). Conclusão: Foi observada uma grande prevalência de sintomas de incontinência urinária entre os profissionais de enfermagem; também, os fatores associados podem influenciar tanto no desenvolvimento de IU quanto na piora dos sintomas. A maioria destas mulheres encontra algumas dificuldades para o manejo das perdas de urina devido às suas atividades laborais.
Título em inglês
Prevalence and factors associated with urinary incontinence among professional nursing a university hospital Ribeirão Preto
Palavras-chave em inglês
Nursing Professionals
Prevalence
Risk Factors
Urinary incontinence
Resumo em inglês
The Urinary Incontinence (UI), anatomopathological dysfunction, is a multifactorial symptom associated to the lifestyle that interferes, mainly, in the woman's health. Objective: This study aimed at analyzing the prevalence of urinary incontinence and factors associated with nursing professionals that wok at a University Hospital of Ribeirão Preto-SP. Materials and Method: This is a descriptive, exploratory, cross-sectional study with quantitative approach, about the prevalence and associated factors to the urinary incontinence among these professionals. The population comprised 119 professionals from the Medical Clinics (MC), Surgery Clinics (SC), Gynecological Clinics (GC) and Obstetrics (OBST) units. These professional categories were: nurse, nursing technician and nursing auxiliary. Data collection was in the period from June to October 2010. The authorization from of the Nursing Division of HCFMRP-USP was requested and, later, the project was sent to its Research Ethics Committee for informed consent to preserve the ethical aspects related to the research involving human beings, according to the resolution 196/96. Results: Out of the 91 interviewed women; most of them was the mean age of 40 years, and 58 (65.17%) were white race; they presented a 30.94%-urinary incontinence prevalence. The professional categories that presented symptoms of urinary incontinence were the nursing technicians and auxiliaries (25.48%), the nurses (5.46%). The most prevalent types of symptoms of urine losses were: losses at least once a month (34.12%), losses for some reason (20.24%%), losses before arriving to the bathroom (20.24%). The UI symptoms have caused some alterations in the women's life, such as, alterations in the occupational activities, lack of concentration, low productivity, stress and fatigue, the increase of the urine loss due performed activities, the non accomplishment of some activities in the work to avoid the urine losses, the handling to ease cloth changes, the absorbent use or to go to the bathroom, the difficulties to interrupt the activities to go to the bathroom. The symptoms of urinary incontinence were associated to several qualitative variables as hypertension, menopause, intestine constipation, physical activity and professional category. indicated that hypertension (0.049) and menopause (0.022). They are associated to the urine losses when they cough, sneeze or make some effort. The symptoms of urinary incontinence were associated to the several quantitative variables as age, IMC, Coffee intake (number of glasses), number of pregnancy, the newborn´s medium weight (NB), tobacco and parity, and it pointed out that the women losing urine at least once in a month were the ones that presented higher indexes of body mass (0.001).moreover, they drink more coffee daily (0.027). While the ones that lost urine when they coughed, sneezed, lifted weight or made some type of effort are the ones aged (0.036), IMC (0.029), pregnancy (0.003) and parity (0.009). The women with urine loss before arriving to the bathroom were associated with BMI (0.029) and coffee intake (0.001). Conclusion: A great prevalence of symptoms of urinary incontinence among the nursing professionals was observed; also, the associated factors can influence either in the UI development or in the worsening of symptoms. Most of these women have found some difficulties to handle the urine losses due to their working activities.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
JulianaRibeiro.pdf (1.49 Mbytes)
Data de Publicação
2011-09-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.