• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2012.tde-16012013-113033
Documento
Autor
Nome completo
Verusca Kelly Capellini
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2012
Orientador
Banca examinadora
Scochi, Carmen Gracinda Silvan (Presidente)
Castral, Thaíla Corrêa
Christoffel, Marialda Moreira
Título em português
Exposição, avaliação e manejo da dor aguda do recém-nascido em unidades neonatais de um hospital estadual
Palavras-chave em português
Dor aguda
Manejo da dor
Medição da dor
Pessoal de saúde
Recém-nascido
Resumo em português
Os recém-nascidos internados em unidades neonatais são expostos a inúmeros procedimentos potencialmente dolorosos durante sua hospitalização, e há desconhecimento de tal exposição e das práticas para o manejo da dor, na maioria dos serviços brasileiros de referência neonatal. Este estudo descritivo exploratório foi realizado em três etapas, com os objetivos de avaliar o conhecimento e as práticas dos profissionais de saúde que atuam em unidades neonatais de um hospital estadual do interior paulista quanto à avaliação e ao manejo da dor no recém-nascido (etapa 1), identificar os registros de avaliação da dor e de intervenções farmacológicas e não farmacológicas para o alívio da dor, feitos pelos profissionais em prontuários neonatais nesse hospital (etapa 2) e dimensionar a exposição dos neonatos a procedimentos de dor aguda, durante os primeiros sete dias de internação nessas unidades neonatais (etapa 3). Os 15 médicos, 8 enfermeiras e 34 auxiliares de enfermagem preencheram um questionário contendo dados relacionados ao conhecimento e às práticas de avaliação e manejo da dor neonatal. Na etapa 2, foi feito um estudo retrospectivo em fonte secundária, utilizando dados dos prontuários de 115 recém-nascidos internados nas unidades de cuidados intensivos e intermediários neonatais do hospital, no período de 12 meses. Na etapa 3, foi realizado registro à beira do leito de todos os eventos potencialmente dolorosos a que os recém-nascidos foram submetidos, durante a primeira semana de internação nessas unidades, no período de setembro a dezembro de 2011. Constatou-se que apenas uma auxiliar de enfermagem acredita que o neonato não sente dor. Todas as enfermeiras e a grande maioria dos médicos e auxiliares de enfermagem afirmaram que avaliam a dor no recém-nascido, tendo como parâmetros de avaliação mais frequentes o choro e a mímica facial; os parâmetros fisiológicos, especialmente o aumento da frequência cardíaca, foram os mais mencionados pelos médicos. Nenhum dos profissionais de saúde conhecia escalas para a avaliação de dor no recém-nascido. Entre as medidas não farmacológicas para o alívio da dor neonatal, citadas pelos profissionais de saúde, predominou o uso da glicose com ou sem a sucção não nutritiva, enquanto as medicações mais referidas como adequadas para o alívio da dor neonatal foram o fentanil e o paracetamol. Os registros sobre a avaliação e as intervenções para o alívio da dor neonatal constavam apenas nas prescrições médicas e nos diagnósticos, prescrições e anotações de enfermagem. Os recém-nascidos participantes da etapa 3 foram submetidos a 1.316 procedimentos potencialmente dolorosos, durante a primeira semana de internação; a média foi de 5,9 ± 4,7 procedimentos por dia, variando de 9,4 ± 6,2 no primeiro dia a 3,8 ± 3,2 procedimentos no sétimo dia de internação. Os procedimentos dolorosos mais frequentes foram as punções de calcâneo e venosa. Concluiu-se que há desconhecimento dos profissionais de saúde e sub-registro sobre a avaliação e o manejo adequados da dor aguda no recém- nascido e que os neonatos são submetidos a inúmeros procedimentos potencialmente dolorosos, durante sua hospitalização. Recomenda-se a capacitação profissional e a elaboração de protocolos de cuidado para a avaliação adequada e o tratamento efetivo da dor, nessas unidades neonatais.
Título em inglês
Exposition, evaluation and management of acute pain in neonates in neonates' unities in a state hospital
Palavras-chave em inglês
Acute pain
Health personnel
Newborn
Pain management
Pain measurement
Resumo em inglês
The neonates hospitalized in neonates' unities are exposed to a countless potentially painful procedures during hospitalization and there is no knowledge of this exposure and the practices to handling this pain in most cases of Brazilian neonates referring. This descriptive exploratory study was made in three stages, in purpose to evaluate the knowledge and the practices of the health professionals who work in neonates' unities of a state hospital in the São Paulo interior that concerns to evaluation and handling of pain in neonates (stage 1), identify the evaluation records of pain and pharmacologic and non-pharmacologic interventions for pain relief done by the professionals in neonates' records in this hospital (stage 2) and dimensioning the exposure of the neonates to acute pain procedures during the first seven days of hospitalization in these unities (stage 3). The 15 physicians, 8 nurses and 34 nursing assistants filled a questionnaire related to knowledge and practices of evaluation and handling of neonate pain. On stage 2 was made a retrospective study in secondary sources using data from records of 115 hospitalized neonates in intermediary and intensive and care unities in 12 months. On stage 3 was made a record on the bedside of all the potentially painful events that the neonates underwent during the first week of hospitalization from September to December of 2011. When It comes to believing that the neonates don't feel any pain, just one nursing assistant believed that. All the nurses and the most part of physicians asserted that they evaluate the pain taking into consideration the weeping and facial expressions; the physiologic parameters, like heart rate increasing, were mentioned specially by the physicians. None of the professionals knew the scale of evaluation of a pain in neonates. Among the mentioned non- pharmacologic procedures, the glucose use with or without non- nutritive suction, while the most mentioned adequate medicine were fentanyl and paracetamol. In the records about evaluation and intervention for pain relief were present only medical prescriptions and in diagnosis, prescriptions and nursing notes. The participating neonates from stage 3 were submitted to 1,316 potentially painful procedures during the first week of hospitalization; the mean was 5.9 ± 4.7 procedures per day, varying from 9.4 ± 6.2 in the first day to 3.8 ± 3.2 procedures in the seventh day of hospitalization. The more frequent painful procedures were calcaneus and venous puncture. We concluded that there is ignorance by the health professionals and under-register about the evaluation and handling of acute pain in neonates and that the neonates are submitted to a countless potentially painful procedures during their hospitalization. We recommend the professional capacitation and elaboration of care protocols for the evaluation and effective treatment of pain in these neonates' unities.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-01-30
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.