• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Vanessa Agustinho Cardillo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2013
Orientador
Banca examinadora
Gomes-sponholz, Flávia Azevedo (Presidente)
Pedrão, Luiz Jorge
Trindade, Ruth França Cizino da
Título em português
Sintomas depressivos no período pós-parto e a prática do aleitamento materno entre adolescentes
Palavras-chave em português
Adolescente
Aleitamento Materno
Depressão Pós-Parto
Resumo em português
A depressão pós-parto afeta de 10 a 20% das puérperas no mundo e as adolescentes apresentam um risco aumentado para esse transtorno mental. A prática do aleitamento materno não se dá de forma efetiva nos casos em que a nutriz apresenta alterações emocionais. Menores índices de início do aleitamento materno são encontrados em adolescentes, além do maior índice de desmame precoce. Objetivos: Analisar sintomas depressivos em adolescentes no período pós-parto e a prática do aleitamento materno. Método: Estudo observacional, descritivo e transversal desenvolvido em quatro unidades de saúde do distrito sul do município de Ribeirão Preto/SP. Participaram do estudo 72 adolescentes as quais estavam, no momento da coleta de dados, entre zero e quatro meses após o parto. A coleta de dados ocorreu através de entrevistas entre abril e outubro de 2012. Foram utilizados três instrumentos, um sobre prática do aleitamento materno e caracterização sociodemográfica e dois para avaliação de humor e transtornos afetivos. A Escala de Depressão Pós-parto de Edimburgo (EPDS) foi aplicada a todas as participantes e a Escala de Avaliação para Depressão de Hamilton (HAM-D), quando as adolescentes obtiveram escore maior ou igual a 12 na EPDS, indicando a presença de sintomas depressivos. Os dados foram processados e analisados no programa Statistical Package for Social Sciences, versão 21. Na análise, utilizaram-se distribuição de frequências, Teste Exato de Fisher e Qui-quadrado. Resultados: A amostra se caracterizou por adolescentes com média de idade igual a 17,3 anos, em união consensual, residindo com o pai da criança ou com a família de origem, com escolaridade média de 8,3 anos e sem atividade remunerada. Um terço apresentava histórico familiar de doença mental e 9,7% revelaram histórico de problemas emocionais e/ou dependência de álcool/drogas. Duas adolescentes tiveram depressão gestacional e duas foram diagnosticadas com depressão pós-parto e estavam fazendo tratamento com medicamento. Todas as adolescentes realizaram pré-natal, sendo a maioria primípara e com gestação não planejada. O contato pele a pele foi realizado pela maioria e a amamentação ocorreu pela primeira vez no alojamento conjunto, nas primeiras seis horas após o parto. No momento da alta, quase todas amamentavam exclusivamente. Os bebês tinham idade média de 71,3 dias no momento da entrevista e mais da metade das mães não oferecia somente o leite materno para seus filhos. O aleitamento materno exclusivo era praticado por 34,7%, o aleitamento materno por 55,6% e 9,7% já haviam desmamado seus filhos. A EPDS obteve escore médio de 8,5 pontos, com 15 adolescentes identificadas com sintomas depressivos e pela HAM-D, uma foi classificada como gravemente deprimida, seis moderadamente deprimidas e oito levemente deprimidas. No que tange aos sintomas depressivos e o tipo de aleitamento materno praticado pelas adolescentes, nenhuma associação significativa foi encontrada. Conclusão: É relevante incluir no atendimento às puérperas uma investigação do contexto social, cultural e econômico da mulher, com o objetivo de compreender a possível origem da depressão pósparto. Além de incluir uma escala, como a EPDS, para investigação de sintomas depressivos e apoio a estas adolescentes para a manutenção do aleitamento materno.
Título em inglês
Depressive symptoms in the postpartum period and breastfeeding among adolescents
Palavras-chave em inglês
Adolescent
Breast Feeding
Depression
Postpartum
Resumo em inglês
The postpartum depression affects 10-20% of the postpartum women in the world and adolescents are at increased risk for this mental disorder. The practice of breastfeeding does not occur effectively in cases where the mother presents emotional changes. Lower rates of initiation of breastfeeding are found in adolescents, and the highest rate of early weaning. Objectives: To assess depressive symptoms in adolescents in the postpartum period and breastfeeding. Methods: An observational, descriptive and transversal study developed in four health units in the district south of the city of Ribeirão Preto / SP. The study included 72 adolescents which were, at the time of data collection, between zero and four months after delivery. The data were collected through interviews between April and October 2012. Three instruments were used, one for breastfeeding and sociodemographic caracterization and two for evaluation of mood and affective disorders. The Edinburgh Postpartum Depression Scale (EPDS) was applied to all participants and Hamilton Rating Scale for Depression (HAM-D), when adolescents scored higher than or equal to 12 on the EPDS, indicating the presence of depressive symptoms. Data were processed and analyzed using Statistical Package for Social Sciences, version 21. In the analysis, we used frequency distribution, Fisher's exact test and Chi-square. Results: The sample was characterized by adolescents with a mean age of 17.3 years in consensual union, residing with the child's father or family of origin, mean schooling was 8.3 years and with non-pay employment. A third had a family history of mental illness and 9.7% reported a history of emotional problems and / or addiction to alcohol / drugs. Two teenagers had gestational depression and two were diagnosed with postpartum depression and was being treated with medication. All adolescents received prenatal care, mostly primiparous and unplanned pregnancy. The skin to skin contact was made by most of them and breastfeeding first occurred in rooming-in within the first six hours after birth. At discharge, almost all were exclusively breastfeeding. The babies had a mean age of 71.3 days at the time of interview and over half of the mothers offered only breast milk for their children. Exclusive breastfeeding was practiced by 34.7%, breastfeeding for 55.6% and 9.7% had weaned their children. The EPDS obtained a mean score of 8.5 points, with 15 identified adolescents with depressive symptoms and the HAM-D, one was classified as severely depressed, six was moderately depressed and eight mildly depressed. With respect to depressive symptoms and type of breastfeeding used by teenagers, no significant association was found. Conclusion: It is important to include in postpartum care an investigation of the social, cultural and economic development of women, in order to understand the possible origin of postpartum depression. Besides including a scale, as the EPDS, for investigation of depressive symptoms and support these teenagers to maintain breastfeeding.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-10-17
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.