• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.22.2009.tde-29062009-143214
Documento
Autor
Nome completo
Denise Rodrigues Costa Schmidt
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2009
Orientador
Banca examinadora
Dantas, Rosana Aparecida Spadoti (Presidente)
Alexandre, Neusa Maria Costa
Kimura, Miako
Laus, Ana Maria
Marziale, Maria Helena Palucci
Título em português
Qualidade de vida no trabalho e sua associação com o estresse ocupacional, a saúde física e mental e o senso de coerência entre profissionais de enfermagem do bloco cirúrgico
Palavras-chave em português
Ansiedade
Depressão
Distúrbios Osteomusculares
Enfermagem
Estresse
Qualidade de Vida no Trabalho
Saúde Ocupacional.
Senso de Coerência
Resumo em português
As seguintes hipóteses foram testadas neste estudo: (H1) após o controle das variáveis sócio-demográficas e profissionais, a adição do estresse ocupacional, da ansiedade e da depressão irá contribuir de forma expressiva para a redução da medida da Qualidade de Vida no Trabalho (QVT); e (H2) após o controle das variáveis sócio-demográficas e profissionais, da presença de ansiedade e depressão, a adição do senso de coerência (SC) irá contribuir de forma expressiva para aumentar a medida de QVT. O objetivo do estudo foi avaliar a QVT, o perfil de saúde física e mental, a presença de estresse ocupacional e o SC entre profissionais de enfermagem lotados no Bloco Cirúrgico (BC). Trata-se de um estudo observacional, descritivo e correlacional, tipo corte transversal do qual participaram 211 trabalhadores de enfermagem. A coleta de dados foi realizada por meio de seis instrumentos: caracterização sócio-demográfica e profissional, Escala Visual Analógica para QVT, Job Stress Scale (versão resumida), Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HADS), instrumento derivado do Questionário Nórdico para Distúrbios Músculo-esqueléticos e o Questionário de Senso de Coerência de Antonovsky (QSCA). Os instrumentos escalares obtiveram de forma geral valores aceitáveis para o alfa de Cronbach. O alfa de Cronbach das dimensões da Job Stress Scale variou de 0,54 a 0,75. A HADS-Ansiedade obteve alfa de Cronbach igual a 0,79 e a HADS-Depressão 0,77, enquanto o QSCA obteve consistência interna de 0,87. Quanto à caracterização dos participantes, a maioria era de auxiliares de enfermagem (62,6%), do sexo feminino (86,7%), casados (54,0%), com idade média de 40 anos. O tempo médio de atuação nos Blocos Cirúrgicos foi de 9,3 (D.P.=8,0) anos. Quanto à avaliação da QVT para o total da amostra, obtivemos média de 58,9 (D.P.=27,7), intervalo possível de zero a 100, demonstrando uma avaliação moderada para essa medida. O estresse ocupacional, obteve valor médio para as suas dimensões (Demanda, Controle e Apoio Social) de 14,8 (D.P.=2,4), 16,5 (D.P.=2,3) e 18,7 (D.P.=2,8), respectivamente. Dentre os participantes, 115 (54,5%) encontravam-se no grupo de exposição intermediária ao estresse ocupacional. Quanto à avaliação da ansiedade e da depressão, obtivemos média para a medida de ansiedade de 6,3 (D.P.=3,7) e para a medida de depressão de 5,2 (D.P.=3,3), em um intervalo possível de zero a 21. Constatamos também que, dentre os profissionais de enfermagem, 66 (31,3%) apresentavam sintomas de ansiedade e 51 (24,2%) sintomas de depressão. As maiores prevalências anuais de distúrbios osteomusculares foram encontradas na região inferior das costas (n=82; 38,9%) e na região dos ombros (n=80; 37,9%). A média do QSCA para os 203 profissionais de enfermagem que responderam esse instrumento foi de 144,6 (D.P.=22,6), em um intervalo possível de 29 a 203. A medida de QVT obteve associação estatisticamente significante com as variáveis tipo de instituição (p=0,003), renda mensal (p=0,006), opção pelo local de atuação (p=0,01), presença de estresse ocupacional (p=0,001), presença de ansiedade (p=0,008), de depressão (p=0,05) e de distúrbios osteomusculares na região dos ombros (p=0,00), região lombar (p=0,00) nos últimos 12 meses e na região lombar nos últimos sete dias (p=0,01). A medida do SC obteve associação estatisticamente significante com o tipo de instituição (p=0,03), a presença de duplo vínculo empregatício (p=0,00), renda mensal (p=0,01), a presença de estresse ocupacional (p=0,029), a presença de ansiedade (p=0,000) e de depressão (p=.0,000). Confirmamos neste estudo que a adição do estresse ocupacional e dos transtornos de humor contribuiu para diminuir a QVT entre os profissionais de enfermagem dos BC, porém não confirmamos que a adição do SC poderia contribuir satisfatoriamente para aumentar a QVT destes trabalhadores.
Título em inglês
Quality of Working Life and its association with occupational stress, physical and mental health and sense of coherence among nursing professionals in surgical settings.
Palavras-chave em inglês
Anxiety
Depression
Musculoskeletal Disorders
Nursing
Occupational Health.
Quality of Working Life
Sense of Coherence
Stress
Resumo em inglês
The following hypotheses were tested in this study: H1- after controlling for sociodemographic and professional variables, adding occupational stress, anxiety and depression will meaningfully contribute to reduce the measures of Quality of Working Life (QWL); and H2 after controlling for socio-demographic and professional variables, anxiety and depression, adding sense of coherence (SOC) will contribute to increase the QWL measure. This observational, descriptive, correlational and cross sectional study aimed to evaluate QWL, the profile of physical and mental health, the presence of occupational stress and SOC among nursing professionals working in surgical settings (BC). In total, 211 nursing professionals participated in this study. Six instruments were used for data collection: socio-demographic and professional characterization, Visual Analogue Scale for QWL, Job Stress Scale, Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS), Standardized Nordic Questionnaire and Antonovskys Sense of Coherence (SOC) Scale. In general, the scales obtained acceptable values for Cronbachs Alpha, which varied from 0.54 to 0.75 on the Job Stress Scale. HADS-Anxiety obtained 0.79 and HADS-Depression 0.77 for Cronbachs Alpha, while the SOC reached an internal consistency score of 0.87. Among the participants, most were nursing auxiliaries (62,6%), female (86,7%) and married (54,0%), with average age of 40 years. The average time of work at the BC was 9.3 (S.D.=8.0) years. Regarding assessment of QWL, the average score obtained for the total sample was 58.9 (S.D.=27.7), in a possible range from zero to 100, showing that workers were fairly satisfied with their quality of life at work. The dimensions (Demand, Control and Social Support) of occupational stress obtained mean scores, i.e. 14.8 (S.D.=2.4), 16.5 (S.D.=2.3) and 18.7 (D.P.=2.8), respectively. Among the participants, 115 (54.5%) were in the group of intermediate exposition to occupational stress. Regarding evaluation of anxiety and depression, the average anxiety score was 6.3 (S.D.=3.7) and average depression 5.2 (S.D.=3.3), in a possible range from zero to 21. It was also shown that, among nursing professionals, 66 (31.3%) presented symptoms of anxiety and 51 (24.2%) symptoms of depression. The highest annual prevalence of musculoskeletal disorders was found in the lower back region (n=82; 38.9%) and in the region of the shoulders (n=80; 37.9%). The SOC score for the 203 nursing professionals who answered this instrument was144.6 (S.D.=22.6), in a possible range from 29 to 203. The QWL measure showed a statistically significant association with the variables kind of institution (p=0.003), monthly income (p=0.006), choice of place of work (p=0.01), presence of occupational stress (p=0.001), presence of anxiety (p=0.008), depression (p=0.05) and musculoskeletal disorders in the region of the shoulders (p=0.00), lumbar region (p=0.00) in the last 12 months and in the lumbar region in the last seven days (p=0,01). The SOC score presented a statistically significant association with kind of institution (p=0.03), having a second job (p=0.00), monthly income (p=0.01), presence of occupational stress (p=0.029), presence of anxiety (p=0.000) and depression (p=0.000). The study reasserted that adding occupational stress and mood disorders contributed to a decrease in QWL among nursing professionals in BC, although it was not confirmed that the addition of SOC could contribute to increase these workers QWL.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2009-07-31
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.