• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2013.tde-26092013-195816
Documento
Autor
Nome completo
Gabriel Guidorizzi Zanetti
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2013
Orientador
Banca examinadora
Teixeira, Carla Regina de Souza (Presidente)
Fabbro, Amaury Lelis Dal
Moraes, Camila de
Título em português
O uso do suporte telefônico como estratégia para incremento do nível de atividade física de pacientes com diabetes mellitus
Palavras-chave em português
Atividade Física
Diabetes Mellitus
Educação em Saúde
Enfermagem
Telefone
Resumo em português
Trata-se de um estudo de intervenção, com o objetivo de verificar os efeitos do uso do suporte telefônico como estratégia para incrementar a prática de atividade física de pessoas com diabetes mellitus. O estudo foi realizado em um Núcleo de Saúde da Família, de uma cidade do interior do estado de São Paulo, em 2012. A amostra foi constituída por 26 pacientes que foram alocados em dois grupos, G1 e G2. O G1 participou de um grupo de educação em diabetes com encontros semanais, durante dois meses, e recebeu acompanhamento por suporte telefônico por quatro meses. O G2 participou apenas do acompanhamento por suporte telefônico. Para a coleta de dados foi utilizado um questionário contendo variáveis sociodemográficas e clínicas, um formulário para o registro do controle metabólico e o Questionário Internacional de Atividade Física - IPAQ. Os dados foram coletados no início e no final da intervenção. Para análise, utilizou-se estatística descritiva, teste t-Student, o modelo de efeitos mistos e o teste de McNemar. Os resultados mostraram que os pacientes tinham idade entre 45 e 92 anos, 77,0% eram mulheres, 42,0% viúvo, 46,0% aposentado, 4,34 anos de estudo e renda familiar mensal de R$ 2188,91. A média do tempo de diagnóstico e tratamento do diabetes foi igual para ambos os grupos sendo de 11,62 anos para o G1 e 7,19 anos para o G2. Quanto ao nível de atividade física, verificou-se que após a intervenção nenhum paciente foi classificado como sedentário, sendo que no início 11,5% estavam nesse nível. Para o G1, 61,5% dos pacientes foram classificados como ativos após a intervenção, superando em 15,0% os resultados antes da intervenção. Para o G2, observou-se que 84,6% dos pacientes foram classificados como ativos após a intervenção, sobrepondo em 31,0% os resultados antes da intervenção. Em relação à frequência e o tempo de atividade física, os pacientes do G1 adotaram um dia a mais de caminhada na semana após a intervenção totalizando quatro dias. Houve aumento na duração da atividade física moderada durante a semana, apresentando incremento de 82 minutos na comparação antes e após intervenção. Para o G2 verificou-se incremento de dois dias a mais de caminhada durante a semana, totalizando seis dias. No que se refere às variáveis clínicas relacionadas ao controle metabólico, o G1 apresentou redução dos valores de pressão arterial sistólica, glicemia de jejum, lipoproteína de baixa densidade, colesterol total e hemoglobina glicada e incremento nos valores de lipoproteína de alta densidade e índice de massa corpórea. Para as variáveis circunferência abdominal, pressão arterial diastólica e triglicerídeo, obtiveram-se reduções estatisticamente significantes (p<=0,01). No G2 observou-se redução nos valores de circunferência abdominal, pressão arterial diastólica, glicemia de jejum, lipoproteína de baixa densidade e triglicerídeos e incremento nos valores de índice de massa corpórea, pressão arterial sistólica, lipoproteína de alta densidade, colesterol total e hemoglobina glicada. O uso do suporte telefônico como estratégia de intervenção mostrou-se uma ferramenta importante para estimular o aumento do nível de atividade física de pessoas com diabetes mellitus.
Título em inglês
The use of telephone support as a strategy for increasing the level of physical activity for people with diabetes mellitus
Palavras-chave em inglês
Diabetes Mellitus
Health Education
Nursing
Physical Activity
Telephone
Resumo em inglês
This intervention study aimed to verify the effects of the use of telephone support as a strategy to increase physical activity in people with diabetes mellitus. The study was conducted in a Family Health Unit of a city in the state of São Paulo, in 2012. The sample consisted of 26 patients who were divided into two groups, G1 and G2. The G1 attended a diabetes education group with weekly meetings for two months, and received follow-up telephone support for four months. The G2 only received follow-up telephone support. For data collection, a questionnaire containing sociodemographic and clinical variables, a form for the registration of metabolic control and the International Physical Activity Questionnaire - IPAQ were used. Data were collected at the beginning and end of the intervention. For analysis, descriptive statistics, t-Student test, mixed-effects model and McNemar test were used. The results showed that of the patients aged between 45 and 92 years, 77.0% were women, 42.0% widowed, 46.0% retired, with 4.34 years of study, and R$2,188.91 of monthly family income. The average for length of time between diagnosis and treatment of diabetes was similar for both groups, 11.62 years for G1 and 7.19 years for G2. Regarding the level of physical activity, it was found that no patient was classified as sedentary after the intervention, and 11.5% were sedentary in the beginning of the study. For G1, 61.5% of patients were classified as active after the intervention, exceeding in 15.0% the results before the intervention. For G2, it was observed that 84.6% of patients were classified as active after the intervention, overlapping in 31.0% the results before the intervention. Regarding the frequency and duration of physical activity, patients in G1 adopted one more day of walking in the week after the intervention, totaling four days. There was an increase in the duration of moderate physical activity during the week, showing an increase of 82 minutes as compared with before and after intervention. For G2 there was an increase of more two days of walking during the week, totaling six days. With regard to clinical variables related to metabolic control, the G1 showed lower values of systolic blood pressure, fasting glucose, low density lipoprotein, total cholesterol and glycated hemoglobin and higher values of high density lipoprotein and body mass index.For the variables waist circumference, diastolic blood pressure and triglycerides were obtained statistically significant reductions (p<=0.01). In the G2 there were lower values of waist circumference, diastolic blood pressure, fasting glucose, low-density lipoprotein and triglycerides and higher values of body mass index, systolic blood pressure, high density lipoprotein, total cholesterol and glycated hemoglobin. The use of telephone support as an intervention strategy proved to be an important tool to encourage increased levels of physical activity for people with diabetes mellitus.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-01-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.