• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2007.tde-19102007-115608
Documento
Autor
Nome completo
Daniela Comelis Bertolin
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2007
Orientador
Banca examinadora
Pace, Ana Emilia (Presidente)
Cesarino, Claudia Bernardi
Kusumota, Luciana
Título em português
Modos de enfrentamento de pessoas com insuficiência renal crônica terminal em tratamento hemodialítico
Palavras-chave em português
adaptação psicológica
enfermagem
estresse
hemodiálise
insuficiência renal crônica
Resumo em português
A Insuficiência Renal Crônica Terminal (IRCT) é uma doença crônica nãotransmissível e um problema de saúde pública, constituindo uma das principais causas de morte e incapacitação no mundo. A condição crônica de saúde é uma situação estressante e fonte de novos estressores que são enfrentados, de acordo com o significado que têm para os envolvidos. Os modos de enfrentamento podem amenizar os efeitos do estresse, favorecendo o processo adaptativo. Objetivos: Analisar os modos de enfrentamento das pessoas com IRCT frente à situação de doença e ao tratamento por hemodiálise, segundo variáveis sociodemográficas, clínicas e hábitos de vida. Material e método: Trata-se de um estudo descritivo, transversal e populacional, que utiliza análise quantitativa, desenvolvido no Instituto de Urologia e Nefrologia de São José do Rio Preto (IUN), onde foram entrevistados 107 pacientes acometidos por IRCT em tratamento hemodialítico há seis meses ou mais, adultos (pacientes com 18 anos ou mais), orientados, tendo condições de responder aos questionários propostos sem prejuízo nas respostas; que concordaram em participar do estudo, assinando o termo de consentimento livre e esclarecido. Os instrumentos utilizados foram o Inventário de Estratégias de Enfrentamento de Folkman e Lazarus (1985) e um roteiro de entrevista semi-estruturada para caracterização da população elaborado para este estudo. Resultados: A maioria das pessoas entrevistadas era do sexo masculino, de idade adulta (idade entre 18 e 59 anos), branca, tinha companheiro (a), morava com a família, tinha escolaridade entre zero e oito anos de estudo, era aposentada, não trabalhava, tinha atividade de lazer, não praticava atividades físicas e tinha religião. As principais causas da IRCT foram GNC, diabetes mellitus, causa indeterminada e hipertensão arterial. Os modos de enfrentamento que obtiveram maiores escores médios foram relacionados aos fatores reavaliação positiva, resolução de problemas e fuga-esquiva, evidenciando o uso mais freqüente dos modos de enfrentamento focados no problema. As mulheres apresentaram escores médios mais elevados para todos os fatores; idosos tiveram escores médios mais elevados nos fatores confronto, afastamento e fuga-esquiva; pessoas com 12 ou mais anos de estudo apresentaram escores médios mais elevados que pessoas com menos anos de estudo para os fatores autocontrole, suporte social, fuga-esquiva, resolução de problemas e reavaliação positiva; pessoas que referiram trabalhar apresentaram escores médios mais elevados para os fatores autocontrole, suporte social, resolução de problemas e reavaliação positiva; pessoas que realizaram transplante obtiveram escores mais elevados nos fatores autocontrole, suporte social, aceitação de responsabilidades, fuga-esquiva, resolução de problemas e reavaliação positiva; pessoas que não tinham religião obtiveram os menores escores médios para todos os fatores. Conclusão: a identificação dos modos de enfrentamento das pessoas, em tratamento hemodialítico, pode facilitar o planejamento da assistência, favorecendo a adaptação das pessoas aos estressores associados à IRCT e ao tratamento hemodialítico.
Título em inglês
Ways of coping of the people with terminal chronic renal failure in hemodialysis treatment.
Palavras-chave em inglês
adaptation psychological
chronic renal failure
nursing
renal dialysis
stress
Resumo em inglês
Terminal Chronic Renal Failure (TCRF) is a non-transmissible chronic disease and one problem of public health, constituting one of the main causes of death and disabilities in the world. The chronic condition of health is a stressful situation and source of new stressors, that are cope in accordance with the meaning that has for the involved ones. The ways of coping can brighten up the effect of the stress it favoring the adaptation. Aims: To analyze the ways of coping of the people with TCRF front the situation of disease and the hemodialysis treatment, according to social, demography, clinical variables and habits of life. Material and method: One is about a descriptive, transversal and population study, that uses quantitative analysis, developed in the Institute of Urology and Nephrology of São Jose do Rio Preto (IUN), where 107 patients with TCRF in hemodialysis treatment had been interviewed, they have six months or more , adults (patient with 18 years or more), guided, having conditions to answer to the questionnaires considered without damage in the answers; that they had agreed to participating of the study signing the term of free and clarified assent. The instruments had been used was Ways of coping of Folkman and Lazarus (1985) and a half-structuralized script of interview for characterization of the people, made for this study. Results: The majority of the interviewed people was mans, adults (age between 18 and 59 years), white, had study between 0 and 8 years and it had religion. The main causes of the TCRF had been GNC, diabetes mellitus, indetermined cause and arterial hipertension. The ways of coping that had the hight medium scores had been related to the factors positive reappraisal, planful problem-solving and escape-avoidance, evidencing the most frequent use in the problem-focuse coping. The women had higher médium score for all the factors; old had had higher medium scores in the factors confrontive coping, distancing and escapeavoidance; people that not work higher médium scores for the factors self-control, seeking social support, planful problem-solving and positive reppraisal; people who had carried through transplant, had gotten higher médium scores in the factors self-control, seeking social support, accepting responsibility, escape-avoidance, planful problem-solving and positive reppraisal; people who did not have religion had gotten the minors medium scores for all the factors. Conclusion: the identification in the ways of coping of the people in hemodialysis treatment, can facilitate to the planning of the assistance, favoring the adaptation of the people to the stressors associates to the TCRF and the hemodialysis treatment.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2007-10-22
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.