• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.22.2014.tde-07012015-142708
Documento
Autor
Nome completo
Fabiana Cristina Taubert de Freitas Swerts
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2014
Orientador
Banca examinadora
Robazzi, Maria Lucia do Carmo Cruz (Presidente)
Martins, Julia Trevisan
Martins, Lisandra Vanessa
Rocha, Fernanda Ludmilla Rossi
Terra, Fábio de Souza
Título em português
Efeitos do Isostretching na redução de queixas de dor osteomuscular, fadiga e na melhora da flexibilidade em funcionários públicos
Palavras-chave em português
Dor Musculoesquelética
Fadiga
Flexibilidade
Modalidades de Fisioterapia
Saúde do Trabalhador.
Terapia por Exercício
Resumo em português
O Isostretching é uma técnica de execução de exercícios definida como a arte de abrandar e fortificar o corpo por meio de exercícios próprios, os quais exigem uma posição vertebral correta na duração de uma expiração longa; trabalha-se todo o corpo durante os exercícios, relaxando e fortalecendo os músculos. O objetivo geral do presente estudo foi avaliar o efeito de uma intervenção fisioterapêutica de Isostretching em funcionários públicos na redução de queixas de dor osteomuscular e fadiga e no aumento da flexibilidade. Trata-se de uma pesquisa de delineamento quase-experimental do tipo pré e pós-teste com análise quantitativa e comparativa dos dados, realizada com 25 trabalhadores não-docentes de uma Instituição Pública de Ensino Superior em Saúde (IPESS) do interior de São Paulo. Para a coleta de dados foram utilizados quatro instrumentos: o de caracterização dos trabalhadores que abordou aspectos pessoais e ocupacionais, hábitos de vida e saúde; o Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ), versão curta, para avaliar a prática de atividade física dos sujeitos; o Diagrama de Corlett (DC) para avaliar a presença, localização e intensidade das queixas de dor osteomuscular e o Questionário de Percepção de Fadiga (QPF) para avaliar queixas de fadiga. Para avaliar a flexibilidade foi adotado o teste no Banco de Wells. A coleta de dados foi dividida em três etapas: a primeira, o pré-teste, constou da aplicação dos questionários aos sujeitos; a segunda foi a intervenção por Isostretching a qual teve uma freqüência de duas vezes por semana, duração de 30 minutos cada, no período de 10 semanas e contou com um programa de exercícios de Isostretching. Na terceira etapa, o pós-teste, os sujeitos responderam novamente ao DC e QPF e refizeram o teste de flexibilidade. Os resultados mostraram presença inicial de dor osteomuscular de intensidade leve a moderada nas regiões de coluna vertebral, membro superior e membro inferior, bem como de níveis altos de fadiga. Após a intervenção houve redução estatisticamente significativa dos sintomas de dor osteomuscular em pescoço (p=0,013), região cervical (p=0,011), costas superior (p=0,011), costas inferior (p=0,002), bacia (p=0,012), ombro direito e esquerdo (p=0,021), braço direito (p=0,033) e esquerdo (p=0,034), cotovelo direito (p=0,046), antebraço direito (p=0,020) e esquerdo (p=0,025), pé direto (p=0,017) e esquerdo (p=0,011). Obteve-se, também, redução estatisticamente significativa (p=0,001) dos níveis de fadiga, principalmente nos domínios Sonolência e Moleza (p=0,000) e Projeção da Fadiga sobre o Corpo (p=0,000). A flexibilidade dos participantes apresentou melhora estatisticamente significativa (p=0,000), variando de 11 cm a 34,5 cm no pré-teste e de 16 cm a 36,5 cm no pós-teste. Dessa forma, conclui-se que o protocolo de exercícios de Isostretching aplicado aos participantes deste estudo foi eficaz na redução da dor osteomuscular em segmentos da coluna vertebral e de membro superior, na redução dos níveis de fadiga e na melhora da flexibilidade muscular
Título em inglês
Effects of Isostretching on reduction of musculoskeletal pain and fatigue complaints and on improves the flexibility in public workers
Palavras-chave em inglês
Exercise therapy
Fatigue
Flexibility
Musculoskeletal pain
Occupational health
Physical therapy modalities
Resumo em inglês
Isostretching is a technique of performing exercises defined as the art of slowing and fortify the body through proper exercises, which require a correct vertebral position on the duration of a long expiration; works the whole body during the exercises, relaxing and strengthening the muscles. The overall objective of the present study was to evaluate the effect of a physiotherapeutic intervention of Isostretching in public workers in reducing musculoskeletal pain complaints and fatigue and increasing flexibility. It is a quasi-experimental design research of pre-and post-test type with quantitative and comparative data analysis performed with 25 non-teaching employees of a Public Institution of Higher Learning in Health of the State of São Paulo. For data collection were used four instruments: the characterization of workers who addressed personal and occupational aspects, life habits and health; the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ), short version, to evaluate the practice of physical activity of the subjects; the Corlett Diagram (CD) to assess the presence, location and intensity of the complaints of musculoskeletal pain and Fatigue Perception Survey (FPS) to assess complaints of fatigue. To evaluate the flexibility was adopted Bank of Wells test. Data collection was divided into three stages first, the pre-test, consisted of the application of questionnaires to the subjects; the second was the intervention by Isostretching which had a frequency of twice a week, lasting 30 minutes each, during a period of 10 weeks and featured a Isostretching exercise program. In the third stage, the post-test, subjects answered back to CD and FPS and redid the flexibility test. The results showed initial presence of musculoskeletal pain of mild to moderate intensity in the regions of the spine, upper limb and lower limb, as well as high levels of fatigue. After the intervention there was statistically significant reduction in symptoms of musculoskeletal pain in the neck (p=0,013), cervical region (p=0,011), upper back (p=0,011), lower back (p=0,002), pelvis (p=0,012), right and left shoulder (p=0,021), right arm (p=0,033) and left arm (p=0,034), right elbow (p=0,046), right forearm (p=0,020) and left forearm (p=0,025), right foot (p=0,017) and left foot (p=0,011). Also obtained statistically significant reduction (p=0,001) fatigue levels, mainly in the fields Sleepiness and Inertia (p=0,000) and projection of fatigue on the body (p=0,000). The flexibility of the participants showed statistically significant improvement (p=0,000), ranging from 11cm to 34,5cm in the pre-test and 16cm to 36,5cm in the post-test. Thus, it is concluded that the Protocol of Isostretching exercises applied to participants in this study was effective in reducing musculoskeletal pain in spinal segments and upper limb, reduction levels of fatigue and improving muscle flexibility
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-01-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.