• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.22.2014.tde-03022015-154922
Documento
Autor
Nome completo
Jefferson Thiago Gonela
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2014
Orientador
Banca examinadora
Zanetti, Maria Lucia (Presidente)
Moraes, Camila de
Pace, Ana Emilia
Teixeira, Carla Regina de Souza
Tourinho Filho, Hugo
Título em português
Treinamento com pesos e cargas progressivas em idosos com diabetes mellitus tipo 2
Palavras-chave em português
Diabetes Mellitus tipo 2
Exercício
Qualidade de Vida
Treinamento Resistido
Resumo em português
Objetivos: Caracterizar os pacientes com diabetes mellitus tipo 2 segundo as variáveis sociodemográficas e clínicas; comparar as variáveis antropométricas e morfológicas, os exames bioquímicos; a capacidade funcional; a qualidade de vida e a frequência alimentar, antes e após o treinamento com pesos. Método: A amostra foi constituída por 23 pacientes que participaram de um Programa de Treinamento com pesos. Foram utilizados formulários para obtenção das variáveis sociodemográficas, clínicas, antropométricas e morfológicas; Testes de força máxima de membros inferiores e superiores; Testes para avaliação funcional; Questionário SF-36 e de Frequência Alimentar. O tempo da intervenção foi de 16 semanas, sendo 12 de treinamento e quatro de avaliações. O treinamento ocorreu em três dias por semana; com intensidade moderada de 60 a 80% de uma repetição máxima (1RM), equivalente de oito a 12RM. O volume foi aumentado em número de exercícios com o progresso das fases do treinamento. Resultados: 18 (78,3%) dos pacientes eram mulheres, idade média de 68,3 anos, casada ou com cônjuge, aposentada, com escolaridade média de 5,3 anos de estudo. As comorbidades mais frequentes foram dislipidemia e a hipertensão arterial. Houve manutenção do peso corporal, Índice de massa corporal e circunferência da cintura. Ocorreu aumento da cintura escapular, da área muscular do braço e da perna e da massa isenta de gordura. Constatou-se redução da circunferência do tórax e do percentual de gordura. O índice HOMA-IR diminuiu de 3,8 para 2,8 nos pacientes sem uso de insulina. Observou-se tendência de redução da glicemia inicial durante as 37 sessões do treinamento. Houve melhora da sensibilidade à insulina após o Programa de Treinamento com pesos, com valores menores no final do treinamento. Não houve alterações significativas nos parâmetros de colesterolemia. Houve melhora significativa na maioria dos testes funcionais. No teste de levantar da cadeira cinco vezes, no pré-treinamento, nove pacientes apresentaram tempo superior a 13,6 seg. No pós-treinamento quatro mantiveram o tempo acima, mas dois reduziram o tempo de 16,1 seg e 19,6 seg para 13,9 seg. No teste de força de carga máxima, verificou-se aumento significativo tanto em membros superiores quanto inferiores, com 20,8% e 23,4%, respectivamente. Após o período de treinamento com pesos verificou-se redução significativa da pressão arterial sistólica, tanto em repouso quanto após o esforço dos testes funcionais. A qualidade de vida, segundo o SF-36, melhorou em todos os oito componentes. Houve melhora significativa nos componentes capacidade funcional, 18%; aspectos físicos, 63%; dor, 37,7%; vitalidade, 27,2%; aspectos sociais, 25,6%; e saúde mental, 22,5%. Para os componentes estado geral de saúde e aspectos emocionais houve melhora de 10,5 e 21%, respectivamente, mas sem significância estatística. A capacidade funcional dos pacientes apresentou correlação moderada com o desempenho nos testes físicos finais, coeficiente de Pearson de 0,50 a 0,72. Conclusões: o Programa de Treinamento com pesos melhorou a força muscular, a capacidade funcional e a qualidade de vida dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2
Título em inglês
Resistance training and progressive loads in elderly with type 2 diabetes mellitus
Palavras-chave em inglês
Exercise
Quality of Life
Resistance Training
Type 2 Diabetes Mellitus
Resumo em inglês
Objectives: Characterize patients with type 2 diabetes mellitus according to sociodemographic and clinical variables; compare the morphological and anthropometric variables, biochemical tests; physical function; quality of life and food frequency, before and after resistance training. Methods: The sample consisted of 23 patients who participated in a Resistance Training Program. Forms were used to assess the sociodemographic, clinical, anthropometric and morphological variables; Repetition Maximum tests for upper and lower limbs; Physical Function tests; SF-36 Form and Food Frequency. The intervention period was 16 weeks; 12 of them were for training and four for assessments. The training program occurred three days a week with moderate intensity of 60% to 80% of 1-repetition maximum (1-RM), an equivalent of eight to 12-RM. The intensity increased in number of exercises with progressing according to training phases. Results: eighteen (78,3%) patients were women, aged around 68,3 years, married or with spouse, retired, with average education of 5,3 years of studying. The most frequent comorbidities were dyslipidemia and arterial hypertension. There was a body weight maintenance, body mass index, and waist circumference. There was an increase of the shoulder girdle, the arm´s and leg´s muscle areas and the lean mass. It was observed a reduction of chest circumference and body fat percentage. The HOMA-IR index decreased from 3,8 to 2,8 in patients without insulin´s use. It was observed as well a trend of reduction in initial blood glucose levels during the 37 training sessions. There was an improvement in insulin sensitivity after the Resistance Training, with lower scores at the end of training. There weren't significant changes in the cholesterolemia´s parameters. There was a significant improvement in most functional tests. In the timed test of five repetitions of rising from a chair and sitting down, in the pre- training, nine patients showed a higher time than 13,6 sec. In the post-training, four kept the time higher, but two reduced the time from 16,1 sec and 19,6 sec to 13,9 sec. In the repetition maximum test, it was verified a significant increase in both upper and lower limbs with 20,8% and 23,4% respectively. After the resistance training period, it was observed a significant reduction in systolic blood pressure both at rest as after exertion and from the physical function tests. The quality of life, according to SF-36, improved in all eight domains. There was a significant improvement in physical function components, 18%; physical aspects, 63%; pain, 37,7%; vitality, 27,2%; social aspects, 25,6%; and mental health, 22,5%. Components for general health and emotional aspects had improved of 10,5 and 21%, respectively, but without statistical significance. The patients' physical function showed moderate correlation with the performance on the final physical tests, Pearson's correlation coefficient from 0,50 to 0,72. Conclusions: The Resistance Training Program improved muscle strength, physical function and quality of life of patients with type 2 diabetes mellitus
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-03-10
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.