• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.22.2008.tde-29042008-104407
Documento
Autor
Nome completo
Joseane de Souza
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2008
Orientador
Banca examinadora
Carvalho, Ana Maria Pimenta (Presidente)
Figlie, Neliana Buzi
Petean, Eucia Beatriz Lopes
Pillon, Sandra Cristina
Teodoro, Maycoln Leôni Martins
Título em português
Filhos de alcoolistas: afetividade e conflito nas relações familiares
Palavras-chave em português
alcoolismo
enfermagem
filhos de alcoolistas
psicologia
relações familiares
Resumo em português
O presente estudo teve como objetivos: verificar os níveis de afetividade e de conflito nas díades pai-mãe, pai-filho, (subsistema parental), identificar a ocorrência de sintomas depressivos, problemas comportamentais e cognitivos nas crianças de 9 a 11 anos, identificar sintomas depressivos nos pais e mães, buscar compreender a história de vida do pai e da mãe em suas famílias de origem, descrever a percepção que pai/marido e mãe/esposa têm do alcoolismo e suas conseqüências para as relações familiares. Participaram deste estudo quatorze famílias cujo pai era alcoolistas e tinham filhos na faixa etária entre 9 e 11 anos. Os critérios de inclusão do grupo foram: pai alcoolista com diagnóstico de dependência de álcool, isto de acordo com a décima versão da Classificação Internacional de Doenças (CID-10) para transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de álcool, intoxicação aguda (F.10.0), e com eventuais co-morbidades, por exemplo: tabagismo, depressão e ansiedade. E tivesse no mínimo cinco anos de convivência com a esposa e os filhos. Os pais deveriam ter vínculo conjugal (oficial ou consensual). As crianças não deveriam apresentar déficits sensoriais e neurológicos evidente, históricos de ferimento na cabeça, ainda, não estarem em atendimento psicológico e /ou psiquiátrico e não terem histórico de uso ou de dependência química. A mãe não deveria apresentar dependência de álcool e drogas, podendo ser incluído mãe tabagista. Os instrumentos utilizados foram: roteiro de identificação familiar, Familiograma, Genograma e roteiro sobre o histórico de alcoolismo. Os instrumentos para avaliação das variáveis pessoais da criança foram: Escala Comportamental Infantil A2 de Rutter (ECI), Inventário de Depressão Infantil (IDI), Matrizes Progressivas Coloridas de Raven. Para avaliar sinais de depressão nos pais e mães foi utilizado o Inventário de Beck de Depressão. A coleta de dados foi realizada por meio de três visitas para as famílias, com horário e dia marcados com os pais. Os resultados revelaram: a percepção de mais afetividade na relação mãe e filho e mais conflito na relação conjugal, sugerindo que existe mais proximidade entre mãefilho e distanciamento na relação pai-filho. A história da família de origem dos pais revelou que os mesmos foram filhos de pais alcoolistas e tiveram um relacionamento mais próximo com suas mães e distante com seus pais. Ao correlacionar o nível de afetividade de mães com seus filhos e com a presença de sintomas de depressão e problemas de comportamento observa-se que quanto mais afetividade o filho percebe em sua relação com a mãe menos sinais de depressão ele apresenta e menos sinais de problemas de comportamento. Pesquisar as relações de famílias alcoolistas pode contribuir para identificar as variáveis familiares que estão interferindo nesse percurso, planejar projetos de intervenções que incluam a família auxiliando o paciente alcoolista a restabelecer sua vida familiar e, conseqüentemente, diminuir as chances desta criança de desenvolver uma dependência.
Título em inglês
Children of alcoholic: affectivity and conflit in family relationships
Palavras-chave em inglês
alcoholic children (COAs)
alcoholism
family relationships
nursing
psychology
Resumo em inglês
The present study aimed to verify the levels of affection and conflict in fathermother and father-son dyads (parental subsystem); to identify the occurrence of depressive symptoms, behavioral and cognitive problems in children from 9 to 11 years old; to identify depressive symptoms in their fathers and mothers as well as to understand the father's and mother's life history in their original families, to describe the perception that father/husband and mother/wife have about alcoholism and its consequences to the families relations. Participated from this study fourteen families whose father was alcoholics and their children. The inclusion criteria were: alcoholic father with diagnostic of the alcohol dependence according to the tenth version from the diagnostic criterion- CID 10- Disease International Classification for mental and behaviors disorders due to use of alcohol (F. 10.0) and eventual comorbities, for example, smoking, depression and anxiety; with children from 9 to 11 years old and had in the minimum five years of living together with the wife and the children; the parents must have conjugal bonds (official or consensus). The children could not have sensorial neurological disorders and history of the head injuries and were not attending psychological and/ or psychiatry treatment and did not have historical of using chemical dependence. The mother should not show dependence from alcohol and drugs, could be included tobacco user mother. The instruments were: family identification guide, Familiogram, Genogram and an interview guide about history of alcohol consumption. The instruments to assess personal characteristics of the children were: Child Behavioral Scale A2, Infant Depression Inventory (IDI), Ravens's Coloured Progressive Matrices. To evaluate depressive symptoms in fathers and mothers it was used the Beck Depression Inventory. Data were collected by means of three home visits to the families, with time and day scheduled with the parents. Results showed that the subjects of the present study perceived more affectivity in mother-child relationship and more conflict in father-mother relationship. The family history showed that the parents were themselves children of alcoholics and had a closer relationship with their mothers and a distant relationship with their fathers. Comparing the level of affectivity of mothers with their children and child depressive symptoms and behavioral problems revealed that the more affectivity in mother-child relationship the less behavioral and depressive symptoms in the child. Understanding the family members relationships can contribute to identify family characteristics that play a significant role in alcoholics families and help in family intervention planning to restore family life and prevent children to become alcoholics.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
errata.pdf (21.63 Kbytes)
JoseanedeSouza.pdf (547.86 Kbytes)
Data de Publicação
2008-05-20
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.