• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Paula Adriana da Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Souza, Jacqueline de (Presidente)
Borges, Tatiana Longo
Pegoraro, Natália Priolli Jora
Pillon, Sandra Cristina
Título em português
O uso de benzodiazepínicos em mulheres atendidas pela estratégia de saúde da família em um município do interior paulista
Palavras-chave em português
Atenção básica à saúde
Benzodiazepínicos
Mulheres
Taxa de prevalência
Resumo em português
O objetivo do presente estudo foi determinar a prevalência do uso de benzodiazepínicos (BZDs) em mulheres de uma unidade da Estratégia de Saúde da Família (ESF). Analisou-se também as possíveis associações do uso de BZD com fatores sociodemográficos, acometimento de doenças crônicas e uso de outros psicotrópicos. O recorte de gênero justifica-se pelas evidências científicas de maior uso destes fármacos por mulheres. O lócus da atenção básica foi escolhido a partir da observação sobre a carência de estudos, especialmente brasileiros, neste setting. Trata-se de um estudo quantitativo, de corte transversal e caráter correlacional e descritivo. Os dados foram coletados nos prontuários, fichas cadastrais e arquivo de receitas da farmácia responsável pela região. Foram realizadas análises através de estatística descritiva, análises bivariadas e regressão logística considerando como variável desfecho o uso de BZDs. A prevalência encontrada no presente estudo foi de 7,4% (n=1094), abaixo das descritas em estudos similares. Entende-se que o foco mais preventivo das ESFs possam contribuir para estes achados ou que a qualidade dos registros tenha interferido nestes resultados. As usuárias de BZDs estudadas estavam em sua maioria na faixa de idade de 56 a 74 anos (48,4%), estudaram somente até o primeiro grau completo (65,6%), autorreferiram pelo menos uma doença crônica (82,2%) e quase metade usava, concomitantemente, pelo menos um outro psicotrópico (48,4%). Houve associação significativa entre usar BZDs e ter baixa escolaridade (p=0,005), apresentar doenças autorreferidas (p=0,000) e consumir outros psicotrópicos (p=0,000). A associação entre idades mais elevadas e uso de BZDs (p=0,005) também foi significativa. As análises apontaram ainda que as mulheres que usavam outros psicotrópicos apresentaram cinco vezes mais chances de usar BZDs do que as que não usavam. As mulheres com doença autorreferida apresentaram quase cinco vezes mais chances de usarem BZDs do que as que não referiram doenças. Conclui-se que o grupo que deve ser priorizado em relação ao consumo destas substâncias é o de mulheres de meia idade ou mais, com pouca escolaridade e doença crônica. Recomenda-se que as equipes se atentem para as necessidades psicossociais das pessoas com transtorno mental, discutam e empreendam esforços para implementar ações para inserção e reinserção social e de ampliação das redes de apoio que possam ser estratégicas no auxílio à contenção dos sintomas e melhoria da qualidade de vida dessas pessoas, na tentativa de evitar o uso de mais psicotrópicos e/ou de serviços de maior complexidade
Título em inglês
The use of benzodiazepines by women assisted in a family health care program in a municipality in the interior of São Paulo
Palavras-chave em inglês
Benzodiazepines
Prevalence rate
Primary health care
Women
Resumo em inglês
The aim of the present study was identifying the prevalence of Benzodiazepine (BZD) by women in a Family health care program (FHPs). It was also analyzed the possible associations of the use of BZD with sociodemographic factors, affection of chronic diseases and use of other psychotropic drugs. The choice of gender was justified by scientific literature pointing women to be the major BZD users. The choice of basic health care was done because of the lack in studies in those settings in Brazil. It is a quantitative study of cross section and of correlational descriptive type. Data were collected on the charts and registration sheets and recipes from responsible pharmacy for the geographical region. Analyses were performed using descriptive statistics and logistic regression, considering as the outcome variable the use of BZDs. The prevalence found in this study was 7.4% (n = 1094) and was below than others the found in similar studies. It is understood that the most preventive focus of the FHPs may contribute to these findings or the quality of the records have interfered in these results. Users of BZDs studied were in majority in the age range from 56 to 74 years (48.4%), studied only up to the first degree (65.6%), self- mentioned at least one disease (82.2%) and almost half used at least one other psychotropic drug (48.4%) at the same time. There was a significant association between using BZDs and have low educational level (p = 0.005), present self- mentioned diseases (p = 0.000) and the use of other psychotropic drugs (p = 0.000). The association between higher ages and use of BZDs (p = 0.005) was also significant. Analyzes also showed that women who used other psychotropic drugs were five times more likely to use BZDs than those who did not. Women with self- reported disease were almost five times more likely to use BZDs than women who did not report diseases. We concluded that the groups that should receive more attention in relation to the consumption of these substances are those of middle-aged women or older with low schooling, and with chronic disease. It is recommended that the health teams pay attention to the psychosocial needs of persons with mental disorder, discuss and take efforts to implement actions for insertion and social reintegration as well as the expansion of networks of support that can be a strategic aid to the containment of symptoms and improving of the quality of life of these people, in an attempt to avoid the use of more psychotropic drugs and/or of the services of greater complexity
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
PAULAADRIANASILVA.pdf (1.87 Mbytes)
Data de Publicação
2017-09-21
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.