• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2018.tde-26042018-172449
Documento
Autor
Nome completo
Victor Domingos Lisita Rosa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Peria, Fernanda Maris (Presidente)
Brunaldi, Mariângela Ottoboni
Freitas Junior, Ruffo de
Traina, Fabíola
Título em português
Características clínicas, morfológicas e imunofenotípicas dos Adenocarcinomas de Ampola de Vater
Palavras-chave em português
Adenocarcinoma
Ampola de Vater
Analise de sobrevida
Imuno-histoquímica
Resumo em português
Introdução: O adenocarcinoma ampular é uma neoplasia maligna rara, com frequência de 1% em relação a todos os tumores gastrintestinais e, de 6 a 25% dos casos de neoplasias periampulares. Como distintos epitélios convalescem dentro da ampola de Vater, a origem histológica desses tumores ainda é uma questão desafiadora na prática clínica. As diferenças nas classificações histomorfológicas tornam difícil a avaliação e comparação dos estudos clínicos desses tumores. Por isso, a divisão histológica em dois tipos principais (intestinal e pancreatobiliar) é necessária para comparação terapêutica e prognóstica desta neoplasia. Materiais e métodos: No presente estudo foram incluídos 27 pacientes no período de 2007 a 2013 com diagnóstico de Adenocarcinoma Ampular no HCFMRP-USP. Foi realizada a avaliação histológica e imuno-histoquímica com os anticorpos CK7, CK20, CDX2, MUC1, MUC2, MUC5AC e, em seguida, avaliado a sobrevida global. Resultados: A média de sobrevida global foi de 40,26 meses. 63% eram carcinomas do tipo intestinal e 37% eram do tipo pancreatobiliar. A expressão dos marcadores CK20, MUC 2 e CDX 2 foram mais frequentes nos tumores do tipo intestinal, já os marcadores CK7, MUC 1 e MUC5AC foram expressos com maior frequência no tipo pancreatobiliar. O CDX2 é o marcador com maior sensibilidade e especificidade para o tipo intestinal quando usado de forma isolada (p<0,01). A associação de CK7 e MUC1 apresentou alta sensibilidade (80%) para o subtipo pancreatobiliar, enquanto as associações CK20 e CDX2 ou MUC2 e CDX2 apresentavam especificidade de 100% para o subtipo intestinal. A média global de sobrevida foi de 40,26 meses. Não houve interferência do tipo histológico (p=0,48), estadiamento (p=0,90) ou realização de quimioterapia (p=0.30) na sobrevida global. Conclusão: O presente estudo propõe que a utilização de um painel imuno-histoquímica composto por CDX2, CK7 e MUC1 permite a classificação com maior acurácia dos adenocarcinomas ampulares em tipo intestinal ou pancreatobiliar. Não foi possível afirmar que a realização de quimioterapia, o estadiamento patológico ou o perfil histopatológico influenciou na sobrevida global, porém o grande impacto deste estudo foi a possibilidade de classificar, a partir de um painel imuno-histoquímico reduzido, os dois subtipos histológicos usuais dos adenocarcinoma ampulares e com isso estabelecer um protocolo para direcionar melhor os pacientes.
Título em inglês
Clinical, morphological and immunophenotypic features of the adenocarcinomas of the ampulla of Vater
Palavras-chave em inglês
Adenocarcinoma
Ampulla of Vater
Immunohistochemistry
Overal survival
Survival Analysis
Resumo em inglês
Background: Ampullary carcinoma is a rare malignant neoplasm, with a frequency of 1% of all gastrointestinal tumors and represents 6 to 25% of the cases of periampullary neoplasms. As distinct epithelia convalesce within the ampulla of Vater, the histological origin of these tumors is still a challenging question in clinical practice. Differences in histomorphological classifications make difficult to evaluate and compare the clinical trials of these tumors. Therefore, the histological division into two main types (intestinal and pancreatobiliary) is necessary for therapeutic and prognostic comparison of this cancer. Methods: 27 patients were included between 2007 and 2013 with diagnosis of ampullary carcinoma from HCFMRP-USP. Histological and immunohistochemical evaluation was performed with the antibodies CK7, CK20, CDX2, MUC1, MUC2, MUC5AC and then was evaluated the overall survival. Results: The overall survival rate was 40.26 months. Sixty three percent were intestinal type carcinomas and 37% were pancreatobiliary type. Expression of the CK20, MUC 2 and CDX 2 were more frequent in intestinal tumors, whereas the CK7, MUC 1 and MUC5AC markers were expressed more frequently in the pancreatobiliary type. The immunostaining of CDX2 presented highest sensitivity and specificity for the intestinal type when used alone (p <0.01). The association of CK7 and MUC1 showed high sensitivity (80%) for the pancreatobiliary type, while CK20 and CDX2 or MUC2 and CDX2 associations had 100% specificity for the intestinal type. The overall survival rate was 40.26 months. There was no significative relation of histological type (p = 0.48), staging (p = 0.90) or chemotherapy (p = 0.30) with the overall survival. Conclusions: This study suggests that the use of an immunohistochemical panel of CDX2, CK7 and MUC1 allows the classification with higher accuracy in the intestinal or pancreatobiliary type. It was not possible to affirm that chemotherapy, pathological staging or histopathological profile influenced the overall survival, but the major impact of this study was the possibility to classify, from a reduced immunohistochemical panel, the two usual histological subtypes of ampullary adenocarcinoma and thus establish a protocol to better target patients.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.