• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2018.tde-12042018-120108
Documento
Autor
Nome completo
Gabriela Molinari Roberto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Annichini, Maria Sol Brassesco (Presidente)
Traina, Fabíola
Engel, Edgard Eduard
Smith, Marilia de Arruda Cardoso
Título em português
Influência do miR-10b na proliferação e capacidade invasiva de osteossarcoma
Palavras-chave em português
HOXD10
Metástase
miR-10b
Osteossarcoma
Resumo em português
O Osteossarcoma (OS) é o tumor ósseo pediátrico mais comum. O tratamento atual consiste em remoção cirúrgica e quimioterapia multimodal neo- e adjuvante. No entanto, um terço dos pacientes são acometidos por recorrência pós-cirúrgica e metástases distantes sendo que apenas 20% daqueles com metástase sobrevivem após 5 anos. Diversos miRNAs vêm sendo apontados como metastamiRs, dentre eles o miR-10b. Este microRNA encontra-se hiperexpresso em uma série de tumores e associado a pior prognóstico. Estudos prévios têm demostrado que o miR-10b atua nos processos invasivos principalmente pareando-se de forma incompleta com o RNA mensageiro do gene HOXD10 e assim inibindo a sua tradução. Este fator de transcrição, assim como todos os membros da família dos genes HOX, exerce sua função ativando e reprimindo genes vitais para os processos de crescimento e diferenciação celular (inclusive durante o desenvolvimento do tecido ósseo), sendo também descrito como desregulado em diversos tumores. Em vista disso, o presente trabalho teve como objetivo estudar a influência do miR-10b no OS e sua associação com o gene HOXD10 em relação aos processos de proliferação, invasão e migração celular. Para tanto, foi avaliada a expressão de ambos em amostras tumorais, bem como os efeitos da modulação da expressão de miR-10b na capacidade proliferativa e invasiva de linhagens celulares de OS. Nossos resultados mostraram uma associação inversa entre os níveis de expressão do miR-10b e o grau de malignidade. O aumento de miR-10b in vitro levou a supressão da capacidade clonogênica e à redução dos processos de adesão, migração e invasão, sugerindo um papel de supressor tumoral em OS. Não foi encontrada correlação entre a expressão gênica do miR-10b e a do HOXD10, e ainda o aumento deste microRNA não alterou a expressão proteica do fator de transcrição. Sendo assim, o mecanismo pelo qual miR-10b contribui para a agressividade do OS permanece indefinido, mas parece ser independente de HOXD10. Paralelamente, a expressão do gene KLF4 (recentemente descrito como alvo direto de miR-10b) e de genes sabidamente associados à invasão (MMP2 e ROCK1) e proliferação (TP53 e BCL2) tampouco foi afetada após transfecção. Por outro lado, apesar de não ter sido confirmado como alvo de miR-10b no nosso estudo, HOXD10 foi encontrado significativamente hiperexpresso nas amostras de OS. Assim, considerando a importância da desregulação de vias de desenvolvimento no surgimento de tumores pediátricos e a participação do HOXD10 no desenvolvimento ósseo, o seu papel como oncogene e seu potencial como alvo terapêutico neste tipo tumoral merecem estudos posteriores.
Título em inglês
Influence of miR-10b on proliferation and the invasive potential of osteosarcoma
Palavras-chave em inglês
HOXD10
Metastasis
miR-10b
Osteosarcoma
Resumo em inglês
Osteosarcoma (OS) is the most common pediatric bone tumor. The current treatment consists of surgical removal and neo- and adjuvant multimodal chemotherapy. Nonetheless, one-third of patients are affected by post-surgical recurrence and distant metastases, with only 20% of metastatic cases surviving after 5 years. Several miRNAs have been designated as metastamiRs, among them miR-10b. This microRNA is overexpressed in a series of tumors and associated with poor prognosis. Previous studies have shown that miR-10b acts on invasive processes mainly by pairing with the messenger RNA of the HOXD10 and thereby inhibiting its translation. This transcription factor, like all members of the HOX family, exerts its function by activating and/or repressing vital genes for cell growth and differentiation (even during the development of bone tissue) and is also described as deregulated in several tumors. In view of this, the aim of this work was to study the influence of miR-10b on OS and its association with the HOXD10 in relation to proliferation, invasion and cell migration. For this, the expression of both genes in tumor samples, as well as the effects of miR-10b expression modulation on the proliferative and invasive capacity of OS cell lines, were evaluated. Our results showed an inverse association between miR-10b expression levels and the degree of malignancy. The increase of miR-10b in vitro led to the suppression of clonogenic capacity and reduction of adhesion, migration and invasion, suggesting a role as a tumor suppressor in OS. No correlation was found between the gene expression of miR-10b and HOXD10, while the increase of the microRNA did not alter the protein levels of the transcription factor. Thus, the mechanism by which miR- 10b could contribute to OS aggressiveness remains undefined, though it appears to be independent of HOXD10. In parallel, the expression of KLF4 (recently described as a direct miR-10b target) and of genes known to be associated with invasion (MMP2 and ROCK1) and proliferation (TP53 and BCL2) was not affected after transfection. On the other hand, although HOXD10 was not confirmed as a miR-10b target in our study, this gene was found to be significantly overexpressed in the OS samples. Thus, considering the importance of the deregulation of developmental pathways on pediatric tumors and HOXD10 contribution on bone development, its role as an oncogene and its potential as a therapeutic target in this tumor type deserves further studies.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.