• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2018.tde-10042018-112043
Documento
Autor
Nome completo
Diego José Argenton Telarolli
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Grossi, Debora Bevilaqua (Presidente)
Resende, Renan Alves
Santiago, Paulo Roberto Pereira
Shimano, Antonio Carlos
Título em português
Análise cinemática e baropodométrica de tornozelo e pé durante diferentes tarefas funcionais para avaliação do valgo dinâmico de joelho
Palavras-chave em português
Instabilidade articular
Joelho

Testes funcionais
Tornozelo
Resumo em português
O valgo dinâmico de joelho é amplamente relacionado à disfunção e ao mau alinhamento postural e membros inferiores. No entanto, não está estabelecido como o valgo dinâmico de joelho está associado às adaptações cinemáticas de tornozelo e pé e ao comportamento das cargas plantares durante atividades funcionais. Objetivo: Comparar a amplitude articular de dorsiflexão do tornozelo, adução e abdução de retropé, pronação e supinação de subtalar, bem como avaliar a área e a pressão plantar total e do mediopé em diferentes tarefas funcionais utilizadas na avaliação do valgo dinâmico de joelho em indivíduos clinicamente saudáveis de ambos os sexos a partir da avaliação cinemática e baropodométrica. O objetivo foi correlacionar o valor do pico de valgo dinâmico de joelho com as amplitudes de tornozelo, com a área e pressão plantar do pé nestas tarefas. Materiais e métodos: Foram incluídos 30 voluntários sem histórico de lesão ou trauma nos membros inferiores, sendo 15 homens e 15 mulheres. Os voluntários tiveram o membro inferior dominante avaliado na realização de cinco diferentes tarefas funcionais: descida de degrau, single leg step down, agachamento unipodálico, aterrissagem unipodálica e drop vertical jump. Para a avaliação cinemática foi utilizado o sistema Vicon (Centennial, CO, EUA) com um total de 34 marcadores refletivos bilateralmente, para observação das variáveis cinemáticas tridimensionais de joelho, tornozelo e pé. A área e a pressão plantar foram obtidas do Baropodômetro Matscan System (Tekscan®. South Boston, MA, EUA). Para as análises dos dados cinemáticos e baropodométricos foram considerados o momento do pico de valgo de joelho nas diferentes tarefas funcionais realizadas. Resultados: As amplitudes de dorsiflexão de tornozelo (P = 0,489), adução e abdução do retropé (P = 0,0791), pronação e supinação de retropé (P = 0,163) e pronação e supinação da articulação subtalar (P = 0,305) não foram diferentes entre nenhuma das tarefas realizadas. Quanto as variáveis de área e pressão plantar total do pé, as tarefas de agachamento unipodálico e a descida de degrau apresentaram os maiores valores em comparação as tarefas de aterrissagem unipodálica (p = 0,005 e 0,027; ES = 0,66), drop vertical jump (p = 0,001 e p = 0,001; ES = 0,38) e single leg step down (p = 0,01 e p = 0,007; ES = 0,43). Os menores valores foram observados na tarefa de drop vertical jump com diferenças observadas para todas as tarefas (p<0,05). Já para as variáveis de pressão plantar do mediopé, a maior pressão foi observada na tarefa de descida de degrau que foi diferente de todas as tarefas (p<0,005), exceto a tarefa de agachamento unipodálico (p=0,13 es= 0,306) e as menores pressões foram encontradas na tarefa do drop vertical jump que apresentou diferenças para a tarefa de agachamento unipodálico (p=0,028 es= 0,485), aterrissagem unipodálica (p=0,006 es= 0,687) e descida de degrau (p=0,001 es= 0,257), porém não apresentou diferenças quando comparada a tarefa de single leg step down (p=0,374 es= 0,170). As variáveis de pico de valgo dinâmico de joelho apresentaram baixa correlação com as variáveis de pronação da articulação subtalar, área e pressão total e do mediopé. Conclusão: As tarefas funcionais avaliadas não apresentam diferença na cinemática de tornozelo e pé. A tarefa de descida de degrau levou a uma maior área de contato e maior pressão plantar do pé e a tarefa de drop vertical jump apresentou menor área de contato e menor pressão plantar do pé. Não houve correlação do pico de valgo dinâmico de joelho, com as amplitudes de tornozelo e pé, bem como a área e a pressão plantar do pé.
Título em inglês
Kinematic analysis of the ankle and foot during different functional tasks to evaluate the dynamic value of knee
Palavras-chave em inglês
Ankle
Foot
Functional tests
Joint Instability
Knee
Resumo em inglês
Dynamic knee valgus is largely related to the dysfunction and poor postural alignment of this articulation. However, isn't established how dynamic knee valgus can be associated with ankle and foot kinematic adaptations and the behavior of the plantar loads during functional activities. Objective: To compare the joint amplitude of ankle dorsiflexion, adduction and abduction of rearfoot, pronation and supination of midfoot, as well as to evaluate the total and midfoot area and pressure in different functional tasks used in the evaluation of dynamic knee valgus in clinically healthy individuals of both sexes from the kinematic and baropodometric evaluation. Besides that, the goal was to correlate the value of the dynamic knee valgus peak with the ankle amplitudes, with the foot area and foot pressure in these tasks. Materials and methods: It included 30 volunteers with no history of injury or trauma in the lower limbs, 15 men and 15 women. The volunteers had the dominant lower limb evaluated in performing five different functional tasks: step descent, single leg step down, single leg squat, unipodal landing and drop vertical jump. For the kinematic evaluation, the Vicon system (Centennial, CO, USA) with a total of 34 markers were used bilaterally to observe the three-dimensional knee, ankle and foot kinematics variables. The area and plantar pressure were obtained from the Matscan System Baropodometer (Tekscan®, South Boston, MA, USA). For the analysis of the kinematic and baropodometric data, the moment of the knee valgus peak was considered in the different functional tasks performed. Results: Results: The amplitudes of ankle dorsiflexion (P = 0.489), adduction and abduction of the rearfoot (P = 0.0791), pronation and supination of the rearfoot (P = 0.163) and pronation and supination of the subtalar joint (P = 0.305) did not Were different between any of the tasks performed. Regarding the variables of area and total foot pressure of the foot, the tasks of unipodal squatting and stair descent presented the highest values in comparison to the tasks of unipodal landing (p = 0.005 and 0.027; ES = 0.66), drop vertical jump (P = 0.001 and p = 0.001, ES = 0.38) and single leg step down (p = 0.01 and p = 0.007, ES = 0.43). The lowest values were observed in the drop vertical jump task with differences observed for all tasks (p <0.05). For the midfoot plantar pressure variables, the greatest pressure was observed in the task of stair descent that was different from all tasks (p <0.005), except for the one-legged squat task (p = 0.13 and 0.306) (P = 0.028 es = 0,485), unipodal landing (p = 0,006 es = 0,687), and lowering of the step (p = 0.001 es = 0.257), but did not present differences when compared to single leg step down task (p = 0.344 es = 0.170). The variables of dynamic knee dynamic valgus presented a low correlation with the variables of pronation of the subtalar joint, area and total pressure and midfoot.Conclusion: The functional tasks evaluated don't present differences in ankle and foot kinematics. The task of step descent led to a greater area of contact and greater plantar pressure and the task of drop vertical jump had a lower area of contact and lower foot pressure of the foot. There was not a correlation of the dynamic knee valgus peak with the ankle and foot amplitudes, as well as foot area and pressure.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.