• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2011.tde-30072015-123312
Documento
Autor
Nome completo
Ana Paula Magalhães Medeiros
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2011
Orientador
Banca examinadora
Felicio, Claudia Maria de (Presidente)
Felix, Giedre Berretin
Trawitzki, Luciana Vitaliano Voi
Título em português
Validação do protocolo de avaliação miofuncional orofacial com escalas para jovens e adultos
Palavras-chave em português
Adultos
Estudos de validação
Métodos de avaliação
Sistema estomatognático
Terapia Miofuncional
Resumo em português
A avaliação miofuncional orofacial é etapa fundamental no processo de diagnóstico na área de motricidade orofacial (MO), possibilita a compreensão das condições anatômicas e funcionais do sistema estomatognático, permitindo estabelecer o raciocínio terapêutico e definir encaminhamentos. Vários autores escreveram a respeito da necessidade da prática baseada em evidências e recomendaram o uso de protocolos validados para o diagnóstico, bem como para a terapia. Atualmente, três protocolos de avaliação miofuncional orofacial estão validados e publicados. São eles: o The Nordic Orofacial Test-Screening NOT-S, o Protocolo de Avaliação Miofuncional Orofacial com Escores - AMIOFE, validado para crianças, o qual caracteriza as condições musculares e funcionais com base nos escores, permitindo definir não apenas a presença ou ausência, mas também o grau de distúrbio miofuncional orofacial (DMO) e o protocolo de Avaliação Miofuncional Orofacial com Escores Ampliados - AMIOFE-A. O AMIOFE já foi usado para diagnóstico e análise da evolução de tratamentos em sujeitos jovens e adultos com desordem temporomandibular (DTM), porém não foi validado para esta população. O objetivo do presente estudo foi analisar a validade de critério, a validade de construto, e a confiabilidade intra e entre - examinadores, assim como valores de sensibilidade (S), especificidade (E), valores preditivos (VP+ e VP-) e prevalência (P) do AMIOFE para jovens e adultos. Participaram 50 sujeitos com DTM (GDTM) e 30 sujeitos sem DTM (CA), todos avaliados e selecionados a partir do exame clínico com o RDC/TMD. A validade de critério do protocolo AMIOFE foi analisada pela comparação com o protocolo NOT-S. A validade de construto foi analisada pela: (a) comparação do GDTM ao CA, para verificar a capacidade do AMIOFE em diferenciar sujeitos com e sem DMO; (b) comparação do grupo com DTM antes e após TMO, a fim de analisar a habilidade do AMIOFE para mensurar as mudanças ocorridas em decorrência do tratamento. Para tanto, os dados da avaliação miofuncional orofacial dos dez sujeitos com DTM que receberam terapia miofuncional orofacial (GT) foram comparados na fase diagnóstica e na fase final após 120 dias de tratamento. Dois examinadores, fonoaudiológos devidamente treinados e calibrados, denominados E1 e E2, realizaram as avaliações. De acordo com os resultados houve correlação negativa significante entre os protocolos AMIOFE e NOT-S (r= -0,86, p < 0,01). A validade de construto do AMIOFE foi demonstrada pela capacidade do AMIOFE refletir as condições miofuncionais orofaciais normais e alteradas pelas diferenças observadas entre os escores dos grupos CA e GDTM, nos itens aparência/postura, mobilidade e nas funções de mastigação e deglutição (p < 0,05). O AMIOFE foi capaz de mensurar as mudanças ocorridas entre a FD e a FF do tratamento proposto. A força de concordância medida pelo Kappa Ponderado (Kw) entre-examinadores E1 e E2 variou de razoável a moderada, e os valores de confiabilidade foi 0,88, considerado bom (r = 0,78, P< 0,01). A concordância intra-examinador para E2 variou de razoável a moderada e a confiabilidade para aplicação do AMIOFE foi de 0,92, isto é, excelente (r = 0,84, P< 0,01). A concordância para a aplicação do protocolo NOTS, variou de razoável a boa, e a confiabilidade foi de 0,89 (r = 0,80, P< 0,01). Para os demais índices, foram encontrados os seguintes valores utilizando a mediana e os percentis, apresentados respectivamente, S (80,5 - 65,38), E (80,0 - 92,59), VP+ (76,0 - 80,95), VP- (83,7 - 84,74) e P (46,2 - 26,25). De acordo com os resultados concluiuse que o protocolo AMIOFE é válido, confiável e proporciona um diagnóstico com boa 10 margem de acerto, tanto para os casos positivos como negativos. Sua aplicação clínica e em pesquisas é viável devido à própria construção do protocolo que fornece a indicação do escore a ser atribuído, com base na descrição semântica que o acompanha.
Título em inglês
Validation of the myofunctional assessment instrument with scores in young and adult
Palavras-chave em inglês
Adult
Assessment Methods
Myofunctional therapy
Stomatognatic System
Validation Studies
Resumo em inglês
The clinical orofacial myofunctional evaluation is a fundamental step in the diagnosis process of orofacial myofunctional area, making possible to understand the anatomical and functional conditions of the stomatognathic system, allowing to establish the therapeutic reasoning and define the referrals. Several authors have written about the need for an evidence-based practice (EBP), recommending the use of validated protocols for diagnosis, well as therapy. Currently, three miofunctional protocols are validated and published. They are: The Nordic Orofacial Test-Screening NOT-S, the protocol of orofacial myofunctional evaluation with scores - OMES, validated for children, characterizing the functional and muscular condition based on scores, allowing to define not only the presence or absence, but also the degree of orofacial myofunctional disorders, and the protocol of orofacial myofunctional evaluation with scores expanded (OMES-E). The OMES has been used for diagnosis and to analyze the treatment evolution in young subjects and adults with temporomandibular disorder (TMD), but was not validated for this population. The aim of the present report is to assess the criterion validity, construct validity, and the intra- and inter-examiner, as well as sensitivity (S), specificity (SP), predictive values (PV+ and PV-) and prevalence (P) of OMES for adult. 50 subjects with TMD (GDTM) and 30 subjects without TMD (CA) participated, all them evaluated and selected from the clinical examination with RDC/TMD. The criterion validity of the protocol OMES was analyzed by comparing it with the NOT-S protocol. Construct validity was assessed by: (a) comparing GTMD to CA, to verify the OMES ability to differentiate subjects with and without DMO; (b) comparing the group with DTM before and after TMO, to analize the AMIOFE hability to measure changes due to treatment. For this, the orofacial myofunctional evaluation data from the ten subjects with DTM that received orofacial myofunctional therapy (GT) were compared in the diagnostic phase and the final stage after 120 days of treatment. Two examiners, speech therapists trained and calibrated, called E1 and E2, performed the evaluation. According to the results there was a significant negative correlation between the protocols OMES and NOT-S (r= -0,86, p < 0,01). The construct validity of OMES was demonstrated by the ability of OMES reflect the normal and altered myofunctional orofacial condictions by the differences between the groups scores GTMD and CA, in the items appearance / posture, mobility and in the functions of deglutition and mastication (p < 0,05). The OMES was able to measure the changes between FD and FF of the proposed treatment. The agreement the linear mensure by weighted Kappa coefficient (Kw) inter-examiner E1 e E2 ranged between reasonable to moderate, and the value of reliability was 0,88, considered good (r = 0,78, P< 0,01). The agreement intra-examiner for E2 ranged from reasonable to moderate and the reliability to AMIOFE application was 0,92, ie, excellent (r = 0,84, P< 0,01). The agreement for NOT-S protocol application ranged from reasonable to good, and the reliability was 0,89 (r = 0,80, P< 0,01). For the others items, were found the following values using the median and the percentile, presented respectively, S (80,5 - 65,38), SP (80,0 - 92,59), PV+ (76,0 - 80,95), PV- (83,7 - 84,74) e P (46,2 - 26,25). According to the results, concluded that the OMES protocol is valid, and provides a reliable diagnosis with a good margin of success, for both positive and negative cases. Clinical application and in research is feasible because of the actual construction of the protocol provides indication of the score to be assigned, based on semantic description that accompanies it.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
ana.pdf (1.14 Mbytes)
Data de Publicação
2015-08-17
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.