• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.17.2018.tde-10042018-140930
Documento
Autor
Nome completo
Ellen Carrara Fonseca
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Rocha, Eduardo Melani (Presidente)
Rocha, Flávio Jaime da
Ottaiano, José Augusto Alves
Paula, Jayter Silva de
Sousa, Sidney Julio de Faria e
Título em português
Comparação entre os tratamentos adjuvantes no pterígio primário ressecado: uma network metanálise
Palavras-chave em português
Adjuvantes
Network metanálise
Pterígio
Tratamento
Resumo em português
O pterígio é uma degeneração benigna da conjuntiva, que se estende em direção à córnea e acomete principalmente adultos habitantes de regiões intertropicais. A prevalência mundial varia de 0,7 a 31%. A patogênese exata permanece incerta, mas evidências atuais sugerem a participação de fatores genéticos e ambientais, principalmente a exposição crônica à radiação ultravioleta. O tratamento pode ser clínico, com uso de colírios para melhora dos sintomas, ou cirúrgico. Até os anos de 1980, a técnica de ressecção do pterígio com manutenção de área de esclera nua era predominante, porém apresentava taxas muito elevadas de recidiva. Desde então, tem-se procurado técnicas adjuvantes a essa para obtenção de melhores resultados e redução do número de recorrência. O presente estudo busca, por meio de comparações diretas e indiretas da network metanálise, identificar qual, dentre as várias técnicas utilizadas, seria a melhor a ser empregada. Após pesquisa em bases de dados foram selecionados 24 ensaios clínicos randomizados, computando 1815 olhos em 1668 pacientes, sendo possível comparar os seguintes tratamentos adjuvantes à técnica de esclera nua: associação de 5-Fluorouracil (5-FU), Betaterapia, Mitomicina C (MMC) em diferentes concentrações e Ciclosporina, além de transplante de membrana amniótica (TMA) e enxerto conjuntival, também associado ao uso de Bevacizumab, MMC e Ciclosporina. Foi possível realizar comparações diretas entre os seguintes tipos de intervenções: esclera nua versus esclera nua + Ciclosporina gotas 0,05%, enxerto conjuntival versus esclera nua + MMC 0,02% intraoperatória, enxerto conjuntival versus transplante de membrana amniótica, esclera nua versus esclera nua + MMC 0,02% intraoperatória e esclera nua versus enxerto conjuntival, sendo considerados os melhores, respectivamente: esclera nua + Ciclosporina gotas 0,05%, enxerto conjuntival, enxerto conjuntival, esclera nua + MMC 0,02% e enxerto conjuntival. Em relação à network metanálise, o ranqueamento ordenado do melhor para o pior procedimento na redução de recidiva foi o seguinte: enxerto conjuntival + Ciclosporina gotas 0,05%, esclera nua associada à MMC < 0,02%, esclera nua + Betaterapia (dose única de 2500 cGy), enxerto conjuntival + Betaterapia (dose única de 1000 cGy), esclera nua + MMC gotas 0,02%, enxerto conjuntival, esclera nua + MMC > 0,02%, esclera nua + Ciclosporina gotas 0,05%, esclera nua + 5FU intraoperatório 5%, transplante de membrana amniótica, esclera nua + MMC 0,02%, enxerto conjuntival + Bevacizumab gotas 0,05%, esclera nua + Bevacizumab e esclera nua. Em conclusão, diante das inúmeras possibilidades de combinações de tratamento para o pterígio, foi possível se estabelecer, a partir das técnicas comparadas em estudos clínicos publicados e disponibilidade dos recursos em cada serviço, o tratamento com menor recidiva.
Título em inglês
Comparison among adjuvant treatments for primary pterygium: a network metanalysis
Palavras-chave em inglês
Adjuvants
Network metanalysis
Pterygium
Treatment
Resumo em inglês
Pterygium is a benign conjunctival degeneration towards the cornea which affects mostly adults who live in the intertropical regions. World prevalence is between 0,7 and 31%. The exact pathogenesis remains unclear but it´s known that genetics and environmental factors may predispose to this condition, specially cronic exposure to ultraviolet radiation which can cause oxidative stress and increase growth factors production. Treatment can be simptomatic, with eye drops, or surgery can be performed. Until the 80´s pterygium ressection leaving an area of bare sclera was the main surgic procedure but it led to high rates of recurrency. Since then, adjuvants techniques have been studied in order to improve the results by decreasing recurrency rates. The aim of this paper is to try to identify, among several adjuvant procedures, which would be the best to avoid recurrency. To acomplish that we performed a network metanalisis. After critical search in data bases we selected 24 randomized clinical trials that included 1815 eyes of 1668 patients. We were able to compare the following adjuvant treatments to bare sclera technique: use of 5-Fluorouracil (5-FU), Bethaterapy, Mytomicyn C (MMC) in different concentrations, Cyclosporine, Amniotic Membrane Transplantation (AMT) and Conjunctival Autograft (CAG) alone or associated to Bevacizumab, MMC and Cyclosporine. The following direct comparisons were made: bar esclera versus bar esclera + Ciclosporyne eye drops 0.05%, conjunctival autograft versus bar esclera + intraoperative MMC 0.02%, conjunctival autograft versus amniotic membrane transplantation, bare sclera versus bar esclera + intraoperative MMC 0.02% and conjunctival autograft versus bare sclera with better results, respectivelly, in: bare sclera + Ciclosporyne 0.05% eye drops, conjunctival autograft, conjunctival autograft, bare sclera + MMC 0.02% and conjunctival autograft. Regarding the network metanalysis, the rank from best to worst treatment is: conjunctival autograft + Ciclosporyne eye drops 0.05%, bare sclera + MMC < 0.02%, bare sclera + Betatherapy (2500 cGy single dose), conjunctival autograft + Betatherapy (1000 cGy single dose), bare sclera + MMC 0.02% eye drops, conjunctival autograft, bare sclera + intraoperative MMC > 0.02%, bare sclera + Ciclosporyne eye drops 0.05%, bare sclera + intraoperative 5FU 5%, amniotic membrane transplantation, bare sclera + intraoperative MMC 0.02%, conjunctival autograft + Bevacizumab eye drops 0.05%, bare sclera + Bevacizumab eye drops 0.05% and bare sclera alone. In conclusion, given the numerous possible combinations of treatment for pterygium, it is possible to establish from the techniques compared in published clinical trials and availability of resources in each service, treatment with lower recurrence.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-17
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.