• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2018.tde-17042018-164232
Documento
Autor
Nome completo
Jowanka Amorim
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Carmona, Fabio (Presidente)
Arruda, Luisa Karla de Paula
Coppede, Juliana da Silva
Vianna, Elcio dos Santos Oliveira
Título em português
Avaliação do extrato etanólico das flores de Erythrina mulungu Benth. no tratamento da asma em um modelo animal
Palavras-chave em português
Asma
Inflamação
Leguminosae
Planta medicinal
Resumo em português
Introdução: Estima-se que 300 milhões de pessoas no mundo possuam asma e há expectativa de aumentar o número de mortes pela doença nos próximos 10 anos. Parte disto deve-se à limitação na eficácia dos tratamentos atuais e à heterogeneidade da doença. Erythrina mulungu Benth. (Leguminosae, mulungu) é uma planta nativa brasileira de interesse do Sistema Único de Saúde para ser estudada e que apresenta potenciais efeitos antiinflamatórios. Objetivo: Avaliar os efeitos da administração do extrato etanólico das flores de E. mulungu no tratamento da asma em um modelo experimental, e os mecanismos envolvidos. Métodos: Camundongos Balb/c sensibilizados com ovalbumina (OVA) foram tratados por via intraperitoneal com 4 doses (200, 400, 600 e 800 mg/kg) do extrato de E. mulungu, ou dexametasona (2 mg/kg) - controle positivo - durante 7 dias consecutivos e foram paralelamente desafiados com ovalbumina intranasal. A hiper-responsividade brônquica foi avaliada in vivo, 24 h após o último desafio; o lavado broncoalveolar (LBA) foi coletado para avaliação do número de células totais e diferencial por citômetro e contagem microscópica, respectivamente. O sangue foi coletado para dosagem de anconticorpos IgE para ovalbumina. Níveis de citocinas IL-4, IL-5, IL-10, IL-13 e INF-? foram dosados no homogenato pulmonar através do ensaio de imunoabsorção enzimática (ELISA); e o recrutamento de células inflamatórias no tecido foi avaliado coloração Hematoxilina-Eosina (H&E). O perfil cromatográfico da planta foi analisado por cromatografia líquida de alta pressão (HPLC), seguido de espectrofotometria de massas (MS). Resultados: O tratamento com E. mulungu diminuiu significativamente o aumento da hiper-responsividade brônquica nos animais em todas as doses testadas. Diminuiu o número de células totais, eosinófilos e linfócitos no LBA, significativamente na dose de 600 mg/kg e suprimiu significativamente a concentração de IL- 4 e IL-5. Além disso, E. mulungu diminuiu significativamente o recrutamento de células inflamatórias no tecido dos animais asmáticos. Erisotrina, N-óxido-erisotrina e hipaforina foram os constituintes majoritários encontrados. Conclusão: Coletivamente esses resultados sugerem que E. mulungu tem potencial para uso no tratamento da asma, através da modulação da resposta inflamatória, apresentando efeitos imunomodulador e anti-inflamatório.
Título em inglês
Evaluation of ethanolic extract from the Brazilian medicinal plant Erythrina mulungu Benth. in the treatment of asthma in an animal model
Palavras-chave em inglês
Asthma
Herbal medicine
Inflammation
Leguminosae
Resumo em inglês
Background: Asthma affects 300 million people worldwide and the number of victims of the disease is expected to increase in the next 10 years. Part of this may be a result of the limited efficacy of current treatments and disease heterogeneity. Erythrina mulungu Benth. (Leguminosae, mulungu) is a Brazilian native species which is listed by the Brazilian National Program of Medicinal Plants and Herbal Medicines to be studied and that has potential anti-inflammatory effects. Objective: To evaluate the effects of E. mulungu flowers ethanolic extract in ovalbumin (OVA)-induced asthma in mice, and to study the mechanisms involved. Methods: OVA-sensitized mice were intraperitoneally treated with four doses (200, 400, 600 e 800 mg/kg) of the E. mulungu extract or dexamethasone (2 mg/kg) - positive control - during seven consecutive days and simultaneously challenged with intranasal ovalbumin. Airway hyperresponsiveness was evaluated in vivo, 24 h after the last OVA challenge; broncoalveolar lavage fluids (BAL) was collected for counting the number of total and differential inflammatory cells. Blood was collected for measurement of anti-OVA IgE levels. Levels of cytokines IL-4, IL-5, IL-10 IL-13 and INF-? were measured in pulmonary homogenate by Enzyme-Linked Immunosorbent Assay (ELISA); and the inflammatory cells recruitment to the lung tissue were determined using hematoxylin and eosin staining (H&E). The species' chromatographic profile was evaluated by Ultra Performance Liquid Chromatography - Tandem Mass Spectrometer. Results: The treatment with E. mulungu extract significantilly reduced the airway hyperresponsiveness in all doses evaluated. It significantly reduced the number of total cells, eosinophils and lymphocytes in BAL, at 600 mg/kg and significantly decresead the levels of IL-4 and IL-5. In addition, E. mulungu significantly decreased the cellular inflammatory infiltration in the lung tissue of allergic mice. Erysothrine, erysothrine-N-oxide and hypaphorine were the major constituents in the extract. Conclusions: Collectively, these results suggest the potential of E. mulungu for asthma treatment, through modulation of inflammatory response.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.