• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.17.2007.tde-05072007-112447
Documento
Autor
Nome completo
Vitor Aparecido Castania
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2007
Orientador
Banca examinadora
Volpon, José Batista (Presidente)
Barbieri, Claudio Henrique
Batista, Lelio Carli
Daleck, Carlos Roberto
Picado, Celso Herminio Ferraz
Título em português
Enxerto corticoesponjoso homógeno processado quimicamente, esterilizado em óxido de etileno e embebido em medula óssea autógena. Estudo experimental em cães (Canis familiaris LINNAEUS, 1758)
Palavras-chave em português
enxerto homógeno
Enxerto ósseo
medula óssea
óxido de etileno
Resumo em português
Foi estudado experimentalmente o desempenho biológico de um tipo de enxerto ósseo homógeno, processado quimicamente, esterilizado em óxido de etileno e embebido em medula óssea autógena. De cães doadores adulto-jovens foram obtidos blocos cilíndricos de 1,0 x 1,0 cm da epífise distal do fêmur, com auxílio de uma trefina. Os ossos assim obtidos foram clareados, desengordurados, esterilizados em óxido de etileno e mantidos em estoque. Trinta cães adultos jovens foram usados como receptores do enxerto e foram alocados em dois grupos. No grupo I (experimental) os animais foram operados e, criado, transversalmente, com trefina de 1,0 cm de diâmetro externo, um espaço cilíndrico de 1,0 cm de diâmetro por 1,0 cm de altura na epífise distal do fêmur direito, onde foi encaixado o enxerto preparado e que foi previamente embebido em medula óssea do próprio animal retirada por punção óssea na crista ilíaca. Três semanas depois, o mesmo animal foi submetido ao mesmo procedimento cirúrgico no fêmur esquerdo. Os cães deste grupo foram sacrificados seis semanas após a primeira cirurgia. O grupo II constituiu o controle e foi formado por vinte cães adulto-jovens em que, primeiro, foi retirado um cilindro de osso da epífise distal do fêmur esquerdo e, em seguida, no mesmo tempo cirúrgico, foi criado o mesmo espaço no fêmur direito, com uma trefina de um centímetro de diâmetro interno e, então, encaixado o bloco de osso retirado do fêmur do outro lado do mesmo animal. Estes animais foram subdivididos em dois subgrupos de dez cães cada, em relação ao tempo de sacrifício. Em um subgrupo os cães foram sacrificados três semanas após, enquanto que, no outro subgrupo, foram sacrificados seis semanas após a cirurgia de implantação do enxerto. O processo de incorporação do enxerto foi avaliado pela histologia convencional e histologia de fluorescência óssea, pela injeção prévia de tetraciclina. A comparação foi entre os grupos I e II, nos períodos de três e seis semanas pós-implante. As áreas dos enxertos homógenos com 21 dias pós-implante, geralmente mostraram-se visíveis, na maioria das vezes, formadas por trabéculas finas irregulares, sem osteócitos, porém com áreas de neoformação óssea. Já os enxertos autógenos, a área do osso implantado era bem visível, com trabéculas de osso antigo, mais adelgaçadas, em menor número que o osso receptor, porém com intensa deposição de osso neoformado. Para os enxertos homógenos com 42 dias pós-implante, a área do enxerto estava bem definida e integrada ao osso adjacente, composta por trabéculas antigas com predomínio de osso neoformado sobre a superfície. Nos enxertos autógenos com 42 dias pós-implante, as trabéculas tinham orientação comum, com espaço intertrabecular preenchido por tecido conjuntivo denso, em algumas áreas, e por medula óssea madura em outras. O enxerto homógeno processado e esterilizado em óxido de etileno e embebido em medula óssea apresentou boa atividade biológica, embora, com integração mais lenta e menor desempenho em relação ao enxerto autógeno, o que o torna um bom substituto para este último.
Título em inglês
Homogenous cortical-cancellous bone graft chemically processed, sterilized with ethylene oxide and soaked in autogenous bone marrow. An experimental study in dogs (Canis familiaris LINNAEUS, 1758).
Palavras-chave em inglês
bone graft
bone marrow
ethylene óxide
homogenous graft
Resumo em inglês
In the present investigation the biological performance of the homogenous bone graft chemically processed, sterilized with ethylene oxide and soaked in autogenous bone marrow was investigated. Thirty dogs were assigned into two groups. In group I, ten young adult dogs received a cylindrical block of the above mentioned graft. Previously, the bone graft was immersed in autogenous bone marrow and then inserted in a cylindrical hole, with the same dimensions, created at the distal femoral epiphysis of the right femur. After three weeks the same animal was submitted to the same surgical procedure, but on the left femur. The animal was killed six weeks later. The group II was made up of twenty dogs that received an autogenous graft obtained from the left distal femur and implanted into the right distal femur (same shape, dimensions and technique). From this group, 10 dogs were killed three weeks later and 10 dogs were killed six weeks later. The graft incorporation was evaluated by light microscopy and fluorescence microscopy. Results showed that for 21 day implant in the homogenous group, there was osteogenesis at the periphery of the bone graft, but most of its trabeculae were still inviable. Conversely, for the autogenous grafts newly-formed bone was found on the trabecular surface, even in the inner parts of the implanted bone. At 42 days there was active osteogenesis in homogenous grafts with new bone deposition on the trabeculae but, in two cases, the graft was not incorporated (reabsorbed in one case and sequestred in the other one). The autogenous graft showed newly formed bone arranged in a well mature fashion with new bone marrow filling the intertrabecular gaps. It was concluded that the homogenous graft as prepared herein is a good alternative for autogenous grafts, although with a slower osteogenesis rate an less biological performance.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
VitorCastania.pdf (1.93 Mbytes)
Data de Publicação
2007-08-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.