• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2018.tde-23032018-134048
Documento
Autor
Nome completo
Aline Patricia Alves da Silva Lima
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Takayanagui, Osvaldo Massaiti (Presidente)
Fukuda, Marisa Tomoe Hebihara
Zuanetti, Patrícia Aparecida
Título em português
Recursos do ambiente familiar, vocabulário receptivo e leitura em crianças portadoras da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA)
Palavras-chave em português
Classe social
Leitura
Síndrome da Imunodeficiência Adquirida
Vocabulário
Resumo em português
Introdução: A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) é uma doença infecciosa causada por um retrovírus chamado Human Immunodeficiency Virus - HIV. Os principais alvos do HIV são as células que exibem a molécula CD4 e as células gliais do Sistema Nervoso Central (SNC) possuem estas moléculas. Uma das alterações possíveis de acontecer em virtude da infecção pelo HIV é a alteração de linguagem, pois o processamento desta ocorre no SNC. Dentre todas as dimensões da linguagem a semântica é a parte que compreende o significado das palavras tanto na compreensão quanto na produção. Esta dimensão pode influenciar o processo da leitura. Objetivo: Comparar o desempenho entre crianças portadoras de HIV por transmissão vertical e crianças com baixo risco para o HIV em atividades de vocabulário receptivo e na leitura de palavras e pseudopalavras e quanto aos Recursos do Ambiente Familiar (RAF) que podem estar envolvidos com o aprendizado, identificar: a relação entre a gravidade da doença com o vocabulário receptivo e com a leitura, considerando o nível de CD4 e da carga viral (CV), a classificação CDC (Centers for Disease Control), adesão ao tratamento e tempo de uso da medicação; a classificação econômica das crianças portadoras de HIV e sua relação com RAF e o desempenho em vocabulário receptivo e leitura. Método: A população estudada foi de 11 crianças com HIV e 20 crianças com baixo risco para HIV, com idades entre 8 anos e 10 anos. Para a avaliação foi utilizado o Teste de Vocabulário por Figuras USP (TVfusp-139o) e o Teste de Competência de Leitura de Palavras e Pseudopalavras (TCLPP). Foi realizada a classificação econômica das crianças e a avaliação do RAF através de dois questionários respondidos pelos responsáveis, considerando que estes fatores podem estar envolvidos com a aprendizagem escolar. Resultados: Houve diferença entre os grupos para as variáveis RAF e o vocabulário, sendo que o grupo com baixo risco para o HIV apresentou desempenho significativamente superior ao grupo com HIV. As perguntas relacionadas aos passeios que a criança realizou, presença de brinquedos, jornais, livros e revistas em casa foram as que diferiram. Não houve diferença para a variável leitura. Não teve correlação entre as variáveis clínicas e laboratoriais e o vocabulário. Embora não significativa, houve correlação positiva entre a classificação CDC e leitura. Conclusão: Crianças portadoras de HIV apresentam desempenho inferior em vocabulário e o RAF significativamente inferior; não foi encontrada diferença em leitura. Os recursos do ambiente familiar que possivelmente podem contribuir para o aprendizado escolar é a presença de objetos, brinquedos, livros e revistas em casa e passeios; todas as variáveis laboratoriais e clínicas não apresentaram correlação significativa com o desempenho em vocabulário; a maior parte nos portadores de HIV encontravam-se na classificação econômica C ou D (82,1%). Houve correlação positiva com a classificação econômica, RAF e leitura.
Título em inglês
Resources of the Family Environment, receptive vocabulary and reading in childrens patients with Acquired Immunodeficiency Syndrome (AIDS)
Palavras-chave em inglês
Acquired Immunodeficiency Syndrome
Reading
Social class
Vocabulary
Resumo em inglês
Introduction: Acquired Immune Deficiency Syndrome (AIDS) is an infectious disease caused by a retrovirus called Human Immunodeficiency Virus - HIV. The main targets of HIV are the cells that display the CD4 molecule and the glial cells of the Central Nervous System (CNS) possess these molecules. One of the possible changes to occur due to HIV infection is the language change, as the processing of this occurs in the CNS. Of all the dimensions of language, semantics is the part that understands the meaning of words in both comprehension and production. This dimension can influence the reading process. Objective: To compare the performance of HIV-infected children by vertical transmission and children with low HIV risk in activities of receptive vocabulary and reading of words and pseudowords and Family Environment Resources (RAF) that may be involved in learning , To identify: the relationship between the severity of the disease with the receptive vocabulary and reading, considering CD4 and viral load (CV), CDC (Centers for Disease Control) classification, adherence and time of medication use; The economic classification of children with HIV and their relationship with RAF and o, performance in receptive and reading vocabulary. Method: The study population was 11 children with HIV and 20 children with low HIV risk, aged 8 years and 10 years. For the evaluation we used the Vocabulary Test for Figures USP (TVfusp-139o) and the Test of Competence of Reading of Words and Pseudowords (TCLPP). The economic classification of the children and the RAF evaluation were performed through two questionnaires answered by those responsible, considering that these factors may be involved with school learning. Results: There was a difference between the groups for the RAF and vocabulary variables, and the group with low HIV risk presented a significantly superior performance to the HIV group. The questions related to the trips that the child performed, the presence of toys, newspapers, books and magazines at home were the ones that differed. There was no difference for the reading variable. There was no correlation between clinical and laboratory variables and vocabulary. Although not significant, there was a positive correlation between the CDC classification and reading. Conclusion: HIV-positive children have lower vocabulary performance and significantly lower RAF; no difference was found in reading; the resources of the family environment that can possibly contribute to the school learning are the presence of objects, toys, books and magazines at home and walks realized in the last 12 months; all laboratory and clinical variables did not show a significant correlation with vocabulary performance, ie there was no correlation between viral load, CD4 cell count, CDC score, adherence and medication with vocabulary performance; the majority of those with HIV were in the economic classification C or D (82.1%); there was a positive correlation for the economic classification and the RAF score and the economic classification and performance in reading and strong tendency between the economic classification and the vocabulary.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.