• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Thamires Máximo Neves Felice
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2018
Orientador
Banca examinadora
Pfeifer, Luzia Iara (Presidente)
Barba, Patrícia Carla de Souza Della
Mello, Débora Falleiros de
Santos, Jair Licio Ferreira
Título em português
Estudo retrospectivo de fatores de risco para paralisia cerebral
Palavras-chave em português
Desenvolvimento infantil
Epidemiologia
Fatores de risco
Paralisia cerebral
Resumo em português
Introdução: No Brasil há uma carência de estudos sobre a prevalência e incidência da Paralisia Cerebral (PC), sendo que as taxas são de extrema importância para a orientação das políticas de saúde operacionais e no auxílio da alocação de recursos adequados. Devido à escassez de pesquisa em âmbito nacional e à importância de se conhecer mais profundamente a relação entre ocorrências pré e perinatais e a incidência da PC, fica clara a necessidade de um estudo que possibilite a identificação dos fatores de risco presentes nestes períodos, permitindo a criação de estratégias melhores planejadas para as políticas de saúde que tornem o cuidado com o recém-nascido mais rápido e eficaz. Objetivo: Realizar um estudo retrospectivo dos fatores de risco para PC no período de 5 anos (2010 - 2014) no município de Ribeirão Preto - SP, com os objetivos específicos de: identificar a porcentagem de crianças nascidas no município e que foram identificadas como apresentando risco de atraso de desenvolvimento e, dentre estas, as que foram diagnosticadas com PC; identificar os fatores de riscos mais prevalentes no município; verificar a associação dos fatores de risco com o diagnóstico de PC. Método: Estudo epidemiológico descritivo, de levantamento retrospectivo de prontuários de um ambulatório de saúde especializado. A coleta de dados foi realizada em três etapas buscando identificar os nascidos vivos, os bebês de risco e verificar os prontuários. Através de uma amostra de conveniência, foram coletados os fatores de risco materno, gestacional e do parto, onde o desfecho final observado era o diagnóstico de PC. Resultados: Foram realizadas a análise descritiva e testes de associação. Dos nascidos vivos no período, 23,3% das crianças nascidas no SUS foram consideradas com risco de atraso desenvolvimento, sendo a maioria do sexo feminino, residente no distrito oeste do município. Em 76,92% dos prontuários não continha a informação da saúde prévia da mãe, 13% das mães fumaram na gestação e a maioria não planejou a gravidez. Quando analisadas as intercorrências na gestação e no parto foi identificada maior frequência de uma única intercorrência. Cerca de 65% das crianças apresentavam relatos de indícios de alterações neurológicas, 73,4% tiveram alta por abandono e em nenhum prontuário foi encontrado o diagnóstico de PC. Conclusão: Verificamos os riscos mais frequentes e o perfil das características pré-natais e perinatais, no entanto, devido ao alto número de altas porabandono neste serviço de saúde analisado, não foi possível verificar o desfecho do acompanhamento, bem como saber se a criança evoluiu para o diagnóstico de PC. Estas ausências de dados comprometeram as análises de associação e a estimativa da prevalência de PC. Sugere-se uma adequação na detecção de riscos com avaliações padronizadas, com a criação de um check list, além de um sistema de informação que seja capaz de criar um banco de dados de registros para acompanhamento já que através destes dados futuras estratégias de prevenção podem ser melhor definidas.
Título em inglês
Retrospective study of risk factors for cerebral palsy
Palavras-chave em inglês
Cerebral palsy
Child development
Epidemiology
Risk factors
Resumo em inglês
Introduction: In Brazil, there is a lack of studies on the prevalence and incidence of Cerebral Palsy (CP), with rates being extremely important for the orientation of operational health policies and for the allocation of adequate resources. Due to the lack of research at the national level and the importance of a deeper understanding of the relationship between pre and perinatal events and the incidence of CP, it is clear that a study is needed to identify the risk factors present in these periods, strategies for health policies that make newborn care faster and more effective. Objective: To carry out a retrospective study of the risk factors for CP in the period of 5 years (2010 - 2014) in the city of Ribeirão Preto, SP, with the specific objectives of: identifying the percentage of children born in the municipality and identified as presenting a risk of developmental delay and, among these, those diagnosed with CP; identify the most prevalent risk factors in the municipality; to verify the association of risk factors with the diagnosis of CP. Method: Descriptive epidemiological study, from a retrospective survey of medical records of a specialized health clinic. Data collection was performed in three stages to identify the live births, the at-risk babies and to verify the medical records. Through a convenience sample, the maternal, gestational and labor risk factors were collected, where the outcome observed was the diagnosis of PC. Results: Descriptive analysis and association tests were performed. 23.3% of the children were considered at risk of development, the majority being female, living in the western district of the municipality. In 76.92% of the medical records did not contain the information of the previous health of the mother, 13% of the mothers smoked in the gestation and the majority did not plan the pregnancy. When the intercurrences during pregnancy and delivery were analysed, a greater frequency of a single intercurrence was identified. About 65% of the children had reports of neurological changes, 73.4% were discharged from the hospital, and in none of the files was the diagnosis of PC. Conclusion: We verified the most frequent risks and the profile of prenatal and perinatal characteristics, however, due to the high number of discharges, it was not possible to verify the follow-up outcome, as well as whether the child evolved to the diagnosis of CP. These data absences compromised the association analysis and the estimation of PC prevalence. It is suggested an adequacy in the detection of risks withstandardized assessments, with the creation of a check list, as well as an information system that can create a database of records for follow-up since, through this data, future prevention strategies can be better defined.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-07-01
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.