• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2003.tde-15092003-082710
Documento
Autor
Nome completo
Ana Lucia de Azevedo Barilli
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2003
Orientador
Banca examinadora
Franco, Laercio Joel (Presidente)
Netto, Antonio Ruffino
Tamburus, Jose Roberto
Título em português
"Prevalência das doenças periodontais em pacientes com doença isquêmica coronariana aterosclerótica, em Hospital Universitário"
Palavras-chave em português
cardiopatia isquêmica
doenças periodontais
Índice Periodontal Comunitário - IPC
perda de inserção periodontal.
Resumo em português
As doenças periodontais (DP) são precedidas em importância apenas pela cárie dentária como problema de saúde bucal coletiva no Brasil. Ambas são doenças infecciosas ainda muito prevalentes, entretanto é dada às DP uma importância questionavelmente secundária, pois não são sistematicamente investigadas e prevenidas em saúde pública. Pelo fato de sua prevalência ser atualmente desconhecida no Brasil, a alta freqüência das formas leves e moderadas das doenças periodontais na população como um todo e de suas formas mais graves em grupos ou indivíduos de risco, dentre estes os portadores de cardiopatias isquêmicas, motivou este estudo no Ambulatório de Cardiopatia Isquêmica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, cotejando os resultados com outros obtidos em grupo de pessoas não-cardiopatas atendidas na mesma instituição. Foi investigada a prevalência e gravidade das doenças periodontais, bem como a prevalência de seus fatores de risco, história médica da presença de doenças de interesse à periodontia (diabetes, hipertensão, acidente vascular cerebral) e comportamento relativo à higiene bucal. Dentre as 634 pessoas examinadas na fase de recrutamento dos participantes, 480 foram do grupo de pacientes cardiopatas isquêmicos e 154 de grupo de não-cardiopatas. Foram selecionados respectivamente de cada grupo, 58 e 62 participantes, na faixa etária de 30 a 79 anos, para a investigação periodontal. A média da idade foi de 53 anos em ambos os sexos para os pacientes cardiopatas e de 40 anos nos homens e 37 anos nas mulheres nos pacientes não-cardiopatas. Foram utilizados o Índice Periodontal Comunitário (IPC) e o índice de Perda de Inserção periodontal (PI), ambos recomendados pela OMS (1999). Os resultados mostraram um predomínio de sextantes nos escores indicativos das formas graves da DP entre os pacientes cardiopatas (74,1% contra 20,2%; p < 0,00001). Dentre os pacientes cardiopatas apenas 1,1% dos sextantes exibiram saúde periodontal, contra 32,0% nos pacientes não-cardiopatas (p < 0,00001). No tocante a história pregressa da DP, mensuradas através da perda de inserção, 6,0% dos sextantes não a exibiram entre os pacientes cardiopatas, contra 68,0% dos não-cardiopatas (p < 0,00001). Eram portadores de fatores de retenção de biofilme dental 100,0% dos pacientes cardiopatas e 82,3% dos pacientes não-cardiopatas (p < 0,001). Exigiam tratamento periodontal mais complexo, normalmente praticados por especialistas em periodontia, 94,8% dos pacientes cardiopatas contra 33,9% dos pacientes não-cardiopatas (p < 0,0001). Necessitavam de tratamento de bolsas > 6mm 79,3% dos pacientes cardiopatas contra 9,7% dos pacientes não-cardiopatas (p < 0,0001). Alguns fatores de risco comprovado e/ou provável às DP, foram investigados nos pacientes cardiopatas e pacientes não-cardiopatas: observou-se tabagismo em 10,4% e 33,9% (p < 0,01), respectivamente; alcoolismo em 44,8% e 24,2% (p < 0,02), respectivamente; diabetes em 29,3% e 1,6% (p < 0,0001), respectivamente; hipertensão arterial em 34,5% e 8,1% (p < 0,001), respectivamente. Conclusões: As DP mostraram-se muito prevalentes nos dois grupos estudados, sendo de maior gravidade nos pacientes com cardiopatia isquêmica. A elevada prevalência de fatores de risco às DP aponta para a necessidade de adoção de estratégias de intervenção para minimizá-los.
Título em inglês
Prevalence of periodontal diseases in patients with ischaemic coronary disease in an University Hospital, 2003.
Palavras-chave em inglês
Community Periodontal Index - CPI
ischaemic coronary diseases
periodontal attachment loss.
periodontal diseases
Resumo em inglês
Periodontal diseases are preceded in importance only by dental caries as oral public health problem in Brazil. Both are infectious diseases and with high prevalences, however, a secondary importance is given to periodontal diseases because they are not routinely investigated and prevented at public health level. Presently its prevalence is not known in the Brazilian population. The high prevalence of mild and moderate forms of periodontal diseases in the general population, and its severe forms in specific groups or in high risk patients, as those with ischaemic coronary diseases, motivated this survey. It was carried out among patients from the Outpatient Clinic of Ischaemic Coronary Disease – Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo – and using for comparisons patients from other clinics of the same hospital. The prevalence and severity of periodontal diseases were investigated, as well as the prevalence of their risk factors, medical history of diseases with periodontic interest (diabetes, hypertension, stroke), and behaviour related to oral hygiene. During the recruitment phase, among 634 patients examined, 480 were from the group with cardiopathy and 154 from the group without cardiopathy. From each group were selected, respectively, 58 and 62 participants, aged 30 to 79 years for the periodontal investigation. Mean age was 53 years for both sexes in the group with cardiopathy and 40 years for men and 37 years for women in the group without cardiopathy. The Community Periodontal Index and the Attachment Periodontal Index, both recommended by the World Health Organization (1999), were used. Results showed a predominance of sextants in the scores indicating severe forms of periodontal diseases among patients with cardiopathy (74.1 vs. 20.2%; p< 0.00001). Among patients with cardiopathy, only 1.1% of the sextants showed periodontal health against 32.0% in the other group (p< 0.00001). Previous history of periodontal diseases, measured through lost of insertion, was present in 6.0% of the sextants in patients with cardiopathy and 68.0% in those without cardiopathy (p< 0.0001). All patients with cardiopathy and 82.3% of those without cardiopathy were carriers of retention factors of dental biofilm (p< 0.001). It was found that 94.8% of the patients with cardiopathy against 33.9% of the other group (p< 0.0001) required more complex periodontal treatment, usually performed by periodontal specialists. Treatment of sites ≥ 6mmm was required by 79.3% of the patients with cardiopathy and by 9.7% from the other group (p< 0.0001). The frequency of confirmed or possible risk factors for periodontal diseases in the groups with and without cardiopathy were, respectively: smoking – 10.4 and 33.9% (p< 0.001); alcoholism – 44.8 and 24.2% (p< 0.02); diabetes – 29.3 and 1.6% (p< 0.0001); hypertension – 34.5 and 8.1% (p< 0.001). Conclusions: Periodontal diseases were highly prevalent in the two groups studied, but with higher severity among patients with cardiopathy. The high frequency of risk factors for periodontal diseases in both groups appointed to the need of intervention strategies towards these risk factors.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
tese.pdf (455.27 Kbytes)
Data de Publicação
2003-09-30
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.