• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Daniel Cardoso de Almeida e Araújo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Passos, Afonso Dinis Costa (Presidente)
Coêlho, Harnôldo Colares
Fabbro, Amaury Lelis Dal
Martinelli, Ana de Lourdes Candolo
Oliveira, Jaqueline Mendes de
Título em português
Inquérito soroepidemiológico sobre hepatites A e E em Cássia dos Coqueiros/SP, 2011 a 2013
Palavras-chave em português
Epidemiologia
Hepatite A
Hepatite E
Soroprevalência
Resumo em português
As hepatites virais A e E estão entre as doenças mais comuns nos seres humanos, relacionadas a países com baixo nível socioeconômico e condições inadequadas de higiene. São transmitidas por via fecal-oral, diretamente pessoa a pessoa ou por contaminação de água e alimentos. Um ciclo zoonótico da hepatite E (genótipo 3) ocorre principalmente pelo consumo de carne ou contato direto com suínos. A incidência de hepatite A vem reduzindo no país, mas pouco tem sido estudado sobre a prevalência em cidades pequenas do interior. Os estudos sobre a hepatite E no país ainda são limitados e sugerem que o genótipo 3 seja o responsável pela infecção. Este estudo buscou estimar a prevalência das hepatites A e E na população adulta de Cássia dos Coqueiros (aprox. 2600 hab.) e levantar possíveis fatores de risco para as infecções. Trata-se de um inquérito soroepidemiológico em 990 habitantes de Cássia dos Coqueiros com mais de 18 anos de idade, aproximadamente 51% de toda a população do município nesta faixa etária, com uma subamostragem de 248 indivíduos especificamente para pesquisa de hepatite E. As amostras de sangue foram coletadas entre os anos de 2011 e 2013 e aplicado um questionário contendo informações demográficas, socioeconômicas e de fatores de risco. Foram realizados exames imunológicos (ELISA) para detecção de anticorpos IgG para as hepatites A e E. As prevalências foram estimadas por faixa etária e calculados seus respectivos intervalos de confiança. Os dados foram submetidos a análises uni e multivariadas, em modelo de regressão logística log-binomial. As associações foram testadas medindo-se as Razões de Prevalência e seus respectivos intervalos de confiança (95%). A prevalência de hepatite A na população total foi 89,1% (IC95%= 87,1 - 90,9), aumentando de acordo com as faixas etárias. Observou-se na análise univariada associação com idade, unidade federada de origem, escolaridade, estrato econômico, antecedentes de hepatite e de contato domiciliar com casos desta doença, bem como história de eliminação de proglotes de Taenia sp nas fezes, mas após ajuste do modelo, apenas a variável idade permaneceu independentemente associada. A prevalência de hepatite E foi 20,7% (IC95%= 15,5 - 25,7), identificando-se associação apenas com a escolaridade na análise univariada, mas que deixou de ser associada após ser ajustada no modelo multivariado. Este é o primeiro estudo soroepidemiológico de base populacional comparando a presença de VHA e VHE numa cidade de porte pequeno com características rurais na região Sudeste do país. Cássia dos Coqueiros apresenta-se como área de baixa endemicidade para VHA, assim como as regiões Sul e Sudeste. A prevalência de VHE foi a maior encontrada em estudo de base populacional ou doadores de sangue no país, mostrando que a infecção ocorre de forma mais frequente do que se acreditava e que mais estudos são necessários para verificar o genótipo circulante e os fatores de risco para infecção, possivelmente pela transmissão zoonótica do VHE3.
Título em inglês
Seroprevalence of Hepatitis A and E in Cássia dos Coqueiros/SP, 2011-2013
Palavras-chave em inglês
Epidemiology
Hepatitis A
Hepatitis E
Seroprevalence
Resumo em inglês
Viral hepatitis A and E are among the most common diseases in humans, related to countries with low socioeconomic level and inadequate hygiene conditions. They are transmitted by fecal-oral route, directly person to person or by contamination of water and food. A zoonotic cycle of hepatitis E (genotype 3) occurs mainly through meat consumption or direct contact with swine. The incidence of hepatitis A has been declining in Brazil, but little has been studied about the prevalence in small towns in the interior. Studies on hepatitis E in the country are still limited and suggest that genotype 3 is responsible for the infection. This study aimed to estimate the prevalence of hepatitis A and E in the adult population of Cássia dos Coqueiros (approximately 2600 inhabitants) and to assess possible risk factors for infections. This is a seroprevalence survey of 990 inhabitants of Cássia dos Coqueiros, over 18 years of age, approximately 51% of the entire population of the municipality in this age group, with a subsampling of 248 individuals specifically for hepatitis E screening. Samples were collected between the years 2011 and 2013 and a questionnaire containing demographic, socioeconomic and risk factors information was applied. Immunological tests (ELISA) were performed to detect IgG antibodies to hepatitis A and E. The prevalences of hepatitis A and E were estimated by age group and their respective confidence intervals were calculated. The data were submitted to multivariate analysis using a log-binomial logistic regression model. Associations were tested by measuring the Prevalence Ratios and their respective confidence intervals (95%). The prevalence of hepatitis A in the total population was 89.1% (95% CI = 87.1-90.9), increasing according to age. The univariate analysis identified association with age, federated unit of origin, education level, economic strata, history of hepatitis and home contact with cases of this disease, as well as history of elimination of Taenia sp proglottes in feces. After adjustment of the model, only age remained independently associated. The prevalence of Hepatitis E was 20.7% (95% CI = 15.5 - 25.7), which was only associated with education level in the univariate analysis, but no longer associated with adjustment in the multivariate model. This is the first population-based seroprevalence study comparing the presence of HAV and HEV in a small city with rural characteristics in the Southeastern region of the country. According to the WHO criteria, Cássia dos Coqueiros seems to be as an area of low endemicity for HAV, as well as the South and Southeast regions of Brazil. The prevalence of HEV was the highest found in a population-based study or blood donors in the country, showing that the infection occurs more frequently than previously believed and that more studies are needed to verify the circulating genotype and the risk factors for infection, possibly due to the zoonotic transmission of HEV3.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.