• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Carla Barbosa Nonino
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2001
Orientador
Banca examinadora
Marchini, Julio Sérgio (Presidente)
Leite, Jacqueline Isaura Alvarez
Santos, Jose Ernesto dos
Título em português
Calorimetria indireta x Harris Benedict: determinação, validação e comparação para cálculo da taxa metabólica de repouso em obesos grau III.
Palavras-chave em português
calorimetria indireta
Harris Benedict
Obesidade
taxa metabólica de repouso
Resumo em português
Vários estudos analisando a taxa de metabolismo de repouso (TMR) contribuíram com equações cuja proposta era estabelecer padrões que pudessem ser genericamente utilizadas para se estimar a TMR. A equação de Harris-Benedict (HB), permanece como o método mais comumente utilizado para estimar a TMR. Porém, em indivíduos obesos o uso de equações preditivas da TMR pode levar a resultados conflitantes. Indivíduos obesos submetidos a dietas hipocalóricas podem apresentar uma diminuição da TMR e do gasto energético total. Isto pode ser a causa da redução na velocidade da perda de peso durante o tratamento. Outros estudos mostram que a TMR, quando corrigida para a massa livre de gordura (MLG), apresenta pouca variabilidade e propõem uma correlação entre MLG e TMR. Porém ainda existem dificuldades em se afirmar ou não se a redução de massa corporal também reduz a TMR. O presente estudo teve como objetivos determinar a TMR de indivíduos com obesidade grau III (IMC > 40 kg/m2) do sexo feminino obtida por meio de calorimetria indireta (CI) e comparar com a TMR estimada por meio da equação de HB utilizando-se peso atual e peso ideal. Relacionar a TMR medida por CI com a composição corporal e validar a relação entre a TMR e a MLG nestes indivíduos antes e após a perda de peso. As pacientes foram internadas na Unidade Metabólica da Divisão de Nutrologia do Departamento de Clínica Médica do HCFMRP-USP, durante um período de 8 semanas. No início e no final do estudo foram realizadas: avaliação nutricional incluindo antropometria, bioimpedância e calorimetria indireta. As pacientes foram submetidas a uma dieta hipocalórica durante a internação. A TMR medida por calorimetria indireta (CI) no início e final do estudo foi de 2540 ± 417 e 1924 ± 275 kcal/dia, respectivamente (p<0,05). Quando calculado pela equação de HB utilizando-se peso atual, os valores encontrados foram 2074 ± 214 e 1941 ± 190 kcal/dia (p<0,05). Utilizando-se o peso ideal a TMR calculada foi de 1343 ± 59 kcal/dia. A TMR medida por CI foi, em média, 18 % maior que a calculada por HB pelo peso atual e 47 % maior que a calculada por HB utilizando-se o peso ideal no início do estudo. No final do estudo estes valores passaram para 1% e 30% respectivamente. Comparando-se a TMR medida por CI e calculada por HB usando peso atual tem-se, no início do estudo uma diferença significante (p<0,05) que não se repete no final do estudo (p>0,05). A TMR, quando corrigida para massa livre de gordura no início e no final do estudo foi de 46 ± 6 e 35 ± 5 kcal/d/MLG (p<0,05) respectivamente e quando corrigida para a gordura corporal (GC) foi de 33 ± 6 e 30 ± 5 kcal/d/GC (p<0,05) respectivamente. Os dados encontrados no presente estudo não permitem afirmar que o uso da equação de HB possa estimar a TMR de maneira confiável em indivíduos obesos grau III do sexo feminino. Porém os dados sugerem que logo após submeter esses indivíduos à dieta hipocalórica, com conseqüente perda de peso a equação de HB se torna confiável para estimar a TMR. Pacientes obesos ingerindo dieta livre deveriam ter a TMR obtida por meio da equação de HB corrigida por um fator de 20% a mais.
Título em inglês
Indirect calorimetry x Harris Benedict: determination, validation and comparision to calculate rest metabolic rate in morbidly obese.
Palavras-chave em inglês
indirect calorimetry
obesity
rest metabolic rate
Resumo em inglês
Studies analyzing resting energy expenditure (REE) have contributed with equations that were intended to establish a pattern that could be used generally to estimate the REE. Harris Benedict’s (HB) equation remains as the most used in estimating the REE. But in obese subjects, the use of predictive equations can lead to conflicting results. Obese individuals undergoing a hypo caloric diet may have a reduction in the REE and in the total energy expenditure. These are the most probably cause of the slowing on weight loss during the treatment. Some studies show that when the REE is relative to the fat free mass (FFM) there is less variability and their proposal is a correlation between FFM and REE. But it is difficult to confirm if a reduction in total body mass also can diminish the REE. The objective of this study was to define the REE of female subjects with grade III obesity (body mass index (BMI) > 40 kg/m2) using indirect calorimetry (IC) and to compare this REE with the one estimated with HB equation using real body weight and ideal body weight, and try to correlate the REE obtained by IC with the body composition, validating the relation between REE and FFM in these individual before and after weight loss. The patients were under hospital regimen in the Metabolic Unit of the Nutrology Division of the Internal Medicine Department of the HCFMRP-USP, for an 8 weeks period. At the beginning and at the end of the study, nutritional assessment was realized, including anthropometry, bioimpedance and indirect calorimetry. The patients were undergoing a hypo caloric diet during the 8 week period. The REE obtained by indirect calorimetry (IC) at the beginning and at the end of the study was 2540 ± 417 e 1924 ± 275 kcal/day, respectively (p<0,05). When estimated with the HB equation using real weight the values were 2074 ± 214 e 1941 ± 190 kcal/day (p<0,05). Using the ideal weight, the calculated REE was 1343 ± 59 kcal/day. At the beginning of the study, REE obtained by IC was 18 % greater than the REE calculated with HB equation using the real weight and 47 % greater than the one calculated using the ideal body weight. At the end of the study these values changed to 1% e 30% respectively. There is a significant difference (p<0,05) when comparing the REE obtained by IC with the one calculated using the HB equation with real weight at the beginning of the study, but this does not happen at the end of the study (p>0,05). The REE corrected by the FFM at the beginning and at the end of the study was 46 ± 6 e 35 ± 5 kcal/d/FFM (p<0,05) respectively and the REE corrected by the fat mass (FM) was 3 ± 6 e 30 ± 5 kcal/d/FM (p<0,05) respectively. The data found in this study does not allow affirming that the use of HB equation to predict REE in female grade III obese subjects is reliable. But the data suggest that immediately after using a hypo caloric diet, the REE calculated using HB equation and real weight is reliable. When calculating the REE of female grade III obese patients undergoing a free diet using HB equation, the obtained value should be increased in 20 %.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Dissertacao.pdf (676.54 Kbytes)
Data de Publicação
2003-02-14
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • Carvalho, RLV, et al. Análise do valor calórico de alguns alimentos consumidos na Região de Ribeirão Preto. In II Congresso Paulista de Clínica Médica, Ribeirão Preto, 1998. Anais., 1998. Resumo.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.