• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tesis Doctoral
DOI
10.11606/T.17.2012.tde-13072012-143709
Documento
Autor
Nombre completo
Mirele Savegnago Mialich Grecco
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
Ribeirão Preto, 2012
Director
Tribunal
Jordao Junior, Alceu Afonso (Presidente)
Chagas, Carlos Eduardo Andrade
Freitas, Maria Cristina Foss de
Garcia, Rosa Wanda Diez
Kamiji, Mayra Mayumi
Título en portugués
Validação de Índice de Massa Corporal (IMC) ajustado pela massa gorda obtido por impedância bioelétrica
Palabras clave en portugués
Composição Corporal
Gordura Corporal.
Impedância bioelétrica
Índice de Massa Corporal
Resumen en portugués
A obesidade é definida como o excesso de tecido adiposo e o IMC tem sido um dos métodos mais utilizados para o diagnóstico de obesidade devido sua facilidade de aplicação e baixo custo. Entretanto, este índice possui a grande limitação de não diferenciar tecido adiposo e massa livre de gordura. Este trabalho buscou validar o Índice de Massa Corporal ajustado pela massa gorda obtido por impedância bioelétrica previamente desenvolvido por Mialich et al., 2011. Foi realizado um estudo transversal com 501 indivíduos, de ambos os gêneros, com faixa etária entre 17 e 38 anos, matriculados em cursos de graduação da USP do campus de Ribeirão Preto. Os indivíduos foram submetidos à aferição de peso, estatura e a avaliação de composição corporal através do equipamento de impedância bioelétrica. Além disso, foram coletadas informações referentes ao padrão alimentar por meio da aplicação de um questionário desenvolvido pelos pesquisadores, e também referente à prática de atividade física através da utilização do questionário IPAQ. A participação dos alunos foi voluntária e todos os indivíduos foram avaliados somente 1 vez no estudo e por um grupo de examinadores treinados. Para validação foi utilizado o modelo de regressão linear, sendo o IMC ajustado a variável independente e o IMC tradicional a variável dependente. A amostra era composta por 366 mulheres e 135 homens e apresentou médias de idade de 20,8 ± 3,2 anos e 20,3 ± 2,7 anos; peso 76,9 Kg ± 13,6 e 57,8 Kg ± 9,2; estatura 177,3 cm ± 6,7 e 163,1 cm ± 6,3; IMC 24,4 ± 3,8 Kg/m2 e 21,7 ± 3,0 Kg/m2; massa livre de gordura, 60,0 Kg ± 7,7 e 39,8 Kg ± 3,8; massa gorda 17,0 % ± 6,2 e 26,6 % ± 6,2, para homens e mulheres, respectivamente. Com relação à validação foram verificados valores elevados e satisfatórios de R2 sendo, 91,1%, 91,9% e 88,8%, considerando todos os indivíduos, homens e mulheres, respectivamente. Foram definidas também novas faixas de classificação do estado nutricional para ambos os gêneros, considerando este novo IMC ajustado, sendo: 1,35 a 1,65 (risco nutricional para subnutrição), > 1,65 e 2,0 (eutrofia) e > 2,0 (obesidade). Verificou-se também que este novo índice possui uma capacidade mais acurada de captar indivíduos obesos (0,980; 0,993; 0,974), considerando todos os indivíduos, mulheres e homens, respectivamente, e os pontos de corte para gordura corporal de 25% (homens) e 35% (mulheres), em detrimento ao IMC tradicional (0,932; 0,956; 0,95). Além disso, este trabalho possibilitou a definição de novos de pontos de corte do IMC tradicional para a classificação de obesidade, sendo: 25,24 Kg/m2 e 28,38 Kg/m2, para mulheres e homens, respectivamente. O novo IMC ajustado foi validado para a população estudada e pode ser adotado na prática clínica. Novos estudos devem buscar a sua aplicação em diferentes etnias assim como a comparação deste índice com outros já descritos previamente na literatura científica.
Título en inglés
Validation of body mass index (BMI) adjusted for fat mass using the bioelectrical impedance analysis.
Palabras clave en inglés
Bioelectrical Impedance Analysis
Body Composition
Body Index Mass
Fat mass.
Resumen en inglés
Obesity is defined as the excess fat and BMI has been one of the most widely used methods for the diagnosis of obesity because of its ease of application and low cost. However, this index has a major limitation of not differentiating adipose tissue and fat- free mass. This study aimed to validate the Body Mass Index adjusted for fat mass obtained by bioelectrical impedance analysis previously developed by Mialich et al., 2011. We conducted a cross-sectional study with 501 subjects of both genders, aged between 17 and 38 years, enrolled in graduate courses at the USP campus at Ribeirao Preto. The subjects underwent measurement of weight, height and body composition assessment by bioelectrical impedance analysis. In addition, information was collected regarding the eating pattern by applying a questionnaire develops by the researchers, and also on the physical activity questionnaire using the IPAQ. The student participation was voluntary and all subjects were evaluated only one time in the study and by a group of trained examiners. For validation we used the linear regression model, being the BMI-adjusted the independent variable and BMI-traditional the dependent variable. The sample consisted of 366 women and 135 men and it had a mean age of 20.8 ± 3.2 years and 20.3 ± 2.7 years, weight 76.9 ± 13.6 kg and 57.8 ± 9.2 kg, height 177.3 ± 6.7 cm and 163.1 ± 6.3 cm, BMI 24.4 ± 3.8 kg/m2 and 21.7 ± 3.0 kg/m2, fat-free mass, 60.0 ± 7.7 kg and 39.8 ± 3.8 kg, fat mass 17.0 ± 6.2% and 26.6 ± 6.2% for men and women, respectively. With respect to validation were found high and satisfactory R2 values, 91.1%, 91.9% and 88.8%, considering all individuals, men and women, respectively. We also defined new range classification of nutritional status for both genders, considering this new BMI, as follows: 1.35 to 1.65 (nutritional risk for malnutrition), > 1.65 and 2.0 (normal) and > 2.0 (obesity). It was also found that this new index has the capacity to capture more accurate obese subjects (0.980, 0.993, 0.974) whereas all individuals, men and women, respectively, and the cutoff points for body fat of 25% (men) and 35% (women), rather than the traditional BMI (0.932, 0.956, 0.95). Moreover, this study allowed the definition of new points to traditional BMI cutoff for the classification of obesity, and: 25.24 kg/m2 and 28.38 kg/m2 for women and men, respectively. The new BMI set was validated for the population studied and may be adopted in clinical practice. Further studies should seek their implementation in different ethnic groups as well as the comparison of this index with other previously described in the literature.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Tese.pdf (12.06 Mbytes)
Fecha de Publicación
2012-10-30
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2019. Todos los derechos reservados.