• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2018.tde-13092018-102408
Documento
Autor
Nome completo
Marcela Motta de Castro
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2018
Orientador
Banca examinadora
Espreafico, Enilza Maria (Presidente)
Archangelo, Leticia Fröhlich
Carvalho, Robson Francisco
Leopoldino, Andréia Machado
Título em português
Estudo do gene EMC2 em câncer de mama: abordagens de bioinformática e funcionais
Palavras-chave em português
Bioinformática ; Câncer de mama ; Ciclo celular ; Complexo EMC ; EMC2 ; Proliferação celular
Resumo em português
Em mulheres, o câncer de mama é o tipo mais incidente depois do tumor de pele não melanoma e é a principal causa de morte por câncer. Apesar dos avanços já alcançados na caracterização da doença, a busca por novos marcadores moleculares para diagnóstico, tratamento e entendimento molecular da doença é de extrema importância. Estudos em nosso laboratório apontaram a proteína EMC1 (do inglês, Endoplasmic Reticulum Complex 1) como relacionada a propriedades malignas em linhagens celulares de câncer de mama e melanoma, assim como aumento no crescimento tumoral em ensaios in vivo. Despertou-se, então, o interesse em nosso laboratório, no estudo das outras proteínas do complexo EMC. Este estudo atual, busca analisar dados em larga escala do banco TCGA em um painel de 32 tipos tumorais, e aponta associação da expressão de diversas proteínas EMCs a pior sobrevida dos pacientes. O gene EMC2, que se localiza na região cromossômica altamente amplificada em diversos tumores (8q23.1), se destaca pela intensidade de pacientes com superexpressão em câncer de mama (40%). Em linhagens desse tipo tumoral, o knockdown de EMC2 aponta redução na taxa proliferativa, assim como associação à progressão do ciclo celular na fase M, quando feito o protocolo de sincronização utilizando a droga nocodazol. Em conjunto, nossos dados sugerem que o complexo EMC pode favorecer o desenvolvimento de tumores e influenciar em sua malignidade. Além disso, a proteína EMC2 parece apresentar funções relacionadas a proliferação e possivelmente, ciclo celular.
Título em inglês
The study of the EMC2 gene in breast cancer: bioinformatics and functional approaches
Palavras-chave em inglês
Bioinformatics ; Breast cancer ; Cell proliferation ; Cell cycle ; EMC complex ; EMC2
Resumo em inglês
In woman, the breast cancer is the most incidence type after skin tumor non melanoma and it is a main cause of cancer death. Despite the advances already achieved in the disease caracterization, the search for novel molecular biomarkers to diagnostic, treatment and disease knowledge is extremely importante. In vitro approaches pointed Endoplasmic Reticulum Complex 1 (EMC1) involvement in malignant properties in breast cancer and melanoma cell lines, and increase in tumor growth in a in vivo assay. It highlighted the study of the other members of EMC complex. In this study, we used a large-scale database from TCGA in a range of 32 tumoral types, and showed association in EMC expression and poor surviving curve. The EMC2 gene, localized in a high amplified chromosome region in cancer (8q23.1), have a interesting upregulation level in breast cancer (40%). In knockdown EMC2 cell lines, the proliferation is less intense and progression in M phase, in a nocodazole sincronization assay, is impaired. Together, the data suggest that the EMC complex favors the tumour development and the EMC2 protein seens to play a role in proliferation and maybe in cell cycle.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Marcela.pdf (7.06 Mbytes)
Data de Publicação
2018-10-04
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.