• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Pedro Fiori Arantes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2010
Orientador
Banca examinadora
Ronconi, Reginaldo Luiz Nunes (Presidente)
Grespan, Jorge Luis da Silva
Pallamin, Vera Maria
Rocha, Angela Maria
Santos, Laymert Garcia dos
Título em português
Arquitetura na era digital-financeira: desenho, canteiro e renda da forma
Palavras-chave em português
Arquitetura contemporânea
Canteiro-de-obras
Frank O. Gehry
Indústria do turismo
Pós-modernismo
Projeto digital
Renda monopolista
Resumo em português
A arquitetura contemporânea vive hoje uma arriscada fusão com a publicidade e a indústria do entretenimento. Tal convergência exige uma expansão da forma arquitetônica até o limite de sua materialidade. Em busca da renda informacional máxima, característica do universo das marcas mundiais, constatamos uma inversão de seus antigos fundamentos construtivos e produtivos, subvertidos por um jogo de volumes e efeitos para além de qualquer regra ou limitação. Aliado às técnicas digitais de projeto e à reorganização dos canteiros de obra, esse novo fetichismo da forma, análogo à autonomização do poder e da riqueza abstrata no capitalismo contemporâneo, define a nova condição da arquitetura. Estudaremos essa condição tomando como fio condutor projetos dos arquitetos mais consagrados pelo atual sistema de distinção e premiação. No propósito de melhor identificar esta arquitetura da exceção, investigamos nas obras emblemáticas dos últimos vinte anos um conjunto de particularidades e recorrências, que a nosso ver define a economia política da exceção e da regra no mundo atual. Principiamos pela análise do emaranhado de significados que sustentam hoje a forma construída, passando em seguida à esfera da produção das novas modalidades de projeto digital às transformações no canteiro de obras para, ao fim, examinar como ocorrem a circulação (com a proliferação de imagens midiáticas), o consumo (especialmente por meio da indústria do turismo) e a distribuição de riquezas que essa arquitetura favorece. O que se verifica é uma produção sobredeterminada pela busca da renda monopolista derivada das propriedades intrínsecas da forma, em seu novo estágio de concepção e realização. Esperamos, assim, mostrar como a arquitetura de ponta tornou-se uma das manifestações mais expressivas da acumulação flexível e da renda das marcas sob a dominância da lógica das finanças.
Título em inglês
Architecture in the financial-digital era: the design, construction, and rent of form
Palavras-chave em inglês
Building site
Contemporary architecture
Digital design
Frank O. Gehry
Monopoly rent
Post-modernism
Tourist industry
Resumo em inglês
Contemporary architecture is dangerously enmeshed with the entertainment industry and the field of advertising. This meshing has pushed architectural form to the limits of materiality. Architecture today searches for maximum informational rent, a process typical of global product branding; through this process, established building and production principles are subverted by a play of volumes and effects beyond any rule or limitation. Relying on digital design technologies and the reorganization of the building site, this new fetishism of form, analogous to the autonomization of power and abstract wealth in contemporary capitalism, defines the new condition of architecture. We study this condition by focusing on the work of those architects who are most successful in the current system of professional recognition and rewards. So as to identify this architecture of exception more precisely, we analyze emblematic works from the last twenty years; in these works we identify a set of particularities and recurrent issues that define the political economy of exception and rule today. We begin by analyzing the tangle of meanings associated with contemporary built form. We then move on to the sphere of production from the new technologies of digital design to transformations in the building site. Finally, we examine three processes as they relate to contemporary architecture: circulation (through the proliferation of images in the media), consumption (in particular through the tourist industry), and distribution of wealth. Our investigation reveals that architectural production, in its new stage of conception and realization, is overdetermined by the search for monopoly rent through intrinsic properties of form. We argue that cutting-edge architecture has become one of the most expressive manifestations of flexible accumulation and brand revenue under the prevailing logic of financial capitalism.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
PedroArantes_72dpi.pdf (17.94 Mbytes)
Data de Publicação
2010-06-17
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.