• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.12.2007.tde-14122007-112730
Documento
Autor
Nome completo
Cíntia Retz Lucci
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Zylbersztajn, Decio (Presidente)
Cabral, Sandro
Saes, Maria Sylvia Macchione
Título em português
Adoção de padrões em produtos agrícolas no Brasil: uma abordagem da teoria de custo de mensuração
Palavras-chave em português
Agribusiness
Custo de transação
Produtos agrícolas
Produtos agrícolas - Padrões
Resumo em português
Por que os padrões oficiais para produtos frescos não são adotados no Brasil? Apesar das vantagens expostas pela teoria econômica, padrões oficiais não são adotados. O mercado agrícola lida com a incerteza derivada de características inerentes tais como variabilidade e perecibilidade dos produtos frescos. Padrões homogeneízam bens, levando o mercado a ser mais competitivo. É esperado, portanto, que os agentes adotem padrões para reduzir tal variabilidade. Entretanto, no principal mercado atacadista brasileiro, o sistema atual de classificação não é previsível, e os agentes têm recusado a aceitar o novo padrão oficial. Os produtos são classificados de acordo com a qualidade observada no dia e os preços são então estabelecidos. Cada dia uma nova classificação é feita. Em alguns casos não somente os preços oscilam diariamente, mas também o que é definido como "A" hoje pode ser considerado "2A" amanhã. Sendo o padrão oficial voluntário, parte-se da premissa de que a adoção é uma decisão organizacional de cada firma. Duas hipóteses são feitas. Os agentes enfrentarão benefícios e custos antes e depois da adoção do novo padrão. Se os custos forem mais elevados do que os benefícios previstos, os agentes rejeitarão o padrão. De acordo com a perspectiva de governança, mesmo quando são esperados ganhos líquidos, os agentes tenderão a resistir à padronização se houver necessidade de investimentos que envolvam especificidade, e salvaguardas serão necessárias a fim de proteger quase renda. Na segunda hipótese, os agentes não adotam padrões porque se beneficiam da falta de delimitação dos atributos capturando margens que estão em domínio público. Assim, os custos da mensuração dos atributos estariam afetando a padronização. A análise empírica tem foco nas transações entre atacadista e varejista de tomate fresco que ocorrem no principal mercado atacadista brasileiro. A pesquisa integra: análise da estrutura contratual do arranjo e do mercado dos agentes envolvidos na transação; um estudo de caso; e uma análise da relação entre custos para adoção do padrão oficial, custos de mensuração e especificidade do ativo. Origens dos dados: survey com atacadistas e varejistas. Como resultados, a padronização requer alto nível de investimento específico e, portanto, custos de transação seriam altos. De acordo com a perspectiva de governança, não haveria incentivos para agentes investirem em tecnologia sem salvaguardas. Os dados empíricos observados na situação atual foram baixo nível de investimentos específicos, incerteza secundária (Williamson, 1985) derivada de potencial devolução de mercadoria, e alta freqüência da transação. Sobre custos de mensuração, esses são potencialmente altos. Os agentes levam muitas horas para realizar a compra, precisam ir várias vezes por semana ao mercado e os consumidores reclamam por terem que fazer a seleção.
Título em inglês
Standardization on brazilian produce: a measurement cost approach
Palavras-chave em inglês
Agricultural products
Agricultural products-standards
Transaction cost
Resumo em inglês
Why are official standards not adopted in the market for fresh food in Brazil? Despite the advantages widely claimed by economic theory, official standards are proposed but not adopted. Agricultural markets include uncertainty derived from inherent characteristics such as variability and perishability. Standards homogenize goods, leading to more competitive markets. It is to be expected that agents will adopt standards to reduce variability. However in the major Brazilian wholesale markets, the present grade system is unpredictable, and agents have been refusing to accept new official standards. Products are classified according to the quality observed and then the prices are established. Each day a new grade is ascribed. In some cases, not only do prices oscillate daily, but also what is defined as grade "A" today might be considered grade "2A" tomorrow. Since official standard is voluntary, we assume the adoption as an organizational decision of each firm. Two hypotheses are made. Agents will face benefits and costs before and after the adoption of a new standard. If the costs are higher than the expected benefits, agents will reject the standard. According to the "governance perspective", even when net gains are expected, agents tend to resist standard adoption if it requires specific asset investment and safeguards will be required in order to protect quasi rents. The second hypothesis is, agents don't' adopt standards since they get benefits from the lack of delimitation of attributes through capturing margins in public domain. Thus, measurement costs of attributes based on official standards are affecting standard adoption. Empirical analysis is focused on fresh tomato wholesaler-retailer transactions on the main Brazilian wholesale market. The research integrates: analysis of the contractual arrangement and market structure of the agents involved in the transaction; a case study; and an analysis of the causal relations between official standard adoption and measurement costs and asset specificity. Data sources: survey of wholesalers and retailers; exploratory interviews with wholesale market agents. Standardization requires high level of specific investments. Technology is product specific thus costs would be high. Thus according to governance perspective there are no incentives for agents to invest in technology. The findings are low level of specific investments, secondary uncertainty (Willianson, 1985) derived from potential merchandise return and a high frequency of transaction. About measurement costs, these are potentially high since agents take several hours to buy the product and consumers complain about doing the selection. Long ago, public administration spent resources trying to introduce unambiguous standards. The results may contribute to public policy by showing the determinants based on efficiency principles that are confounding the implementation of standards.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
cintia.pdf (947.74 Kbytes)
Data de Publicação
2008-04-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.