• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2004.tde-14102004-135338
Documento
Autor
Nome completo
Herika Aparecida Bequis de Araujo Zaia
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2004
Orientador
Banca examinadora
Dornelas, Marcelo Carnier (Presidente)
Barbedo, Claudio José
Fonseca, Tamara Canto
Título em português
Desenvolvimento floral de Caesalpinia echinata LAM, Caesalpinia peltophoroides Benth e Caesalpinia férrea Var. leyotachia Benth. (Fabaceae/Caesalpinioideae).
Palavras-chave em português
fabaceae
filogenia
microscopia eletrônica de varredura
morfogênese vegetal
ontogenia
pau-Brasil
pau-ferro
reprodução vegetal
sibipiruna
Resumo em português
O estudo da ontogênese floral é essencial para uma melhor compreensão dos processos evolutivos envolvidos no desenvolvimento dos órgãos reprodutivos dos vegetais. Este trabalho teve por objetivo analisar a ontogênese floral das espécies C. echinata, C. peltophoroides e C. ferrea, da família Fabaceae/ Caesalpinioideae Foram realizados estudos morfo-anatômicos com o emprego de técnicas de microscopia eletrônica de varredura e microscopia óptica. Os resultados obtidos permitiram determinar que a ontogênese floral das três espécies são similares: o meristema da inflorescência é indeterminado e inicia a formação de brácteas acropetalarmente. Cada bráctea protege um único meristema floral. O primórdio da sépala abaxial é o primeiro a ser formado pelo meristema floral, seguido dos primórdios das sépalas laterais e adaxiais, de forma unidirecional. Os primórdios das pétalas e dos estames epissépalos e epipétalos são iniciados a seguir. A formação do carpelo inicia-se com a formação de uma protuberância no centro do meristema floral e quando o primórdio do carpelo atinge cerca de 100 µm de altura, o mesmo inicia uma invaginação em seu lado adaxial formando uma fenda cuja superfície interna originará a placenta. Nos estágios que precedem a antese, há a diferenciação de células papilares no estigma. Os resultados obtidos neste trabalho de descrição da ontogênese floral em Caesalpinia poderão servir de fundamentação para futuros estudos dos aspectos moleculares do desenvolvimento reprodutivo em leguminosas.
Título em inglês
Floral development in Caesalpinia echinata LAM, Caesalpinia peltophoroides benth e Caesalpinia ferrea benth var. leyotachia (fabaceae/ caesalpinioideae).
Palavras-chave em inglês
fabaceae
ontogeny
pau-brasil
pau-ferro
philogyny
scanning electron microscopy
sibipiruna
vegetable morfogeny
vegetable reproductive
Resumo em inglês
The study of the floral ontogeny is essential for the understanding the evolutionary processes involved in the development of the floral organs. The aim of this work was to analyse the floral ontogeny the species C. echinata, C. peltophoroides and C. ferrea, from the family Fabaceae/ Caesalpinioideae. Scanning electron microscopy and light microscopy techniques were used. The observed results indicated that the ontogeny events of the tree species were similar: the inflorescence apical meristem is indeterminate and initiates bracts in an acropetal order. Each bract protects a single floral meristem. The first floral organ formed is the abaxial sepal and it is followed by the lateral and adaxial sepal primordia in a unidirecional order. The whorls of petal and antepetalous and antesepalous stamen primordial are the next to begin. The carpel primordium arise as a mound in the center of the floral meristem. When the carpel primordium is about 100µm high, a cleft is formed in its adaxial side, on the site where the placenta will be formed. At anthesis, the stigma differentiates papilate cells. The results obtained with this descriptive work will serve as a foundation for future studies of the molecular aspects of reproductive development of legumes.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
herika.pdf (2.10 Mbytes)
Data de Publicação
2004-10-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.