• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.11.2009.tde-24062009-093115
Documento
Autor
Nome completo
Vanda Moreira Martins
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2009
Orientador
Banca examinadora
Torrado, Pablo Vidal (Presidente)
Cooper, Miguel
Nóbrega, Maria Teresa de
Rossi, Marcio
Souza, Celia Regina de Gouveia
Título em português
Relação solo-relevo-substrato geológico na planíce costeira de Bertioga (SP)
Palavras-chave em português
Espodossolos - Propriedades físico-químicas
Geologia
Geomorfologia
Pedologia
Restinga.
Resumo em português
O conhecimento do relevo, geologia, cronologia e dos solos nos ambientes costeiros, constitui importante elemento para a interpretação, reconstituição e conservação dos mesmos. Em Bertioga-SP, alguns setores das unidades morfoestratigráficas pleistocênicas e holocênicas, que formam as planícies do litoral paulista, encontram-se preservados na paisagem. A busca pela compreensão da relação entre os solos, o relevo, a natureza e a cronologia dos sedimentos costeiros, acrescida do interesse em estudar os Espodossolos desenvolvidos sobre esses sedimentos direcionaram os objetivos deste trabalho. Para tanto, identificou-se e caracterizou-se os solos e os sedimentos sobre os quais eles se desenvolveram. A fotointerpretação, os trabalhos de campo, as análises químicas, geocronológicas (datações por TL, LOE e 14C) e a granulometria dos solos/sedimentos auxiliaram na identificação, delimitação espacial, bem como o desenvolvimento de teorias sobre a evolução dos solos sobre os depósitos sedimentares. Depósitos continentais, fluviais e marinhos foram identificados. Também foi registrada a influência das formas de relevo e da profundidade do lençol dágua na dinâmica evolutiva e distribuição espacial dos solos em cada unidade geomorfológica. Os Espodossolos, Neossolos, Organossolos, Gleissolos e Cambissolos foram as principais Ordens de solos identificadas. As diferenças topográficas, geomorfológicas e geológicas dos ambientes condicionam a quantidade de água, a fisionomia da vegetação e o conteúdo matéria orgânica nas seis principais unidades geomorfológicas identificadas na planície costeira: (a) depressões fluviolagunares caracterizadas por sedimentos orgânico-pelítico-psamíticos e Organossolos e Gleissolos; (b) terraços marinhos arenosos com predomínio de Espodossolos com ou sem horizontes cimentados (ortstein) e horizontes plácicos; (c) cristas praiais arenosas com Neossolos Quartzarênicos e Espodossolos destituídos de horizontes cimentados (ortstein); (d) rampas de colúvio, psamíticas, com Cambissolos; (e) planície fluvial de granulometria variada com Gleissolos e Neossolos Flúvicos e (f) planícies de maré, psamíticas e pelíticas, onde predominam os Organossolos e Gleissolos. Além dessas unidades, as praias recentes e os setores dominados pelos depósitos continentais colúvio-aluviais indiferenciados também foram abordados como unidades geomorfológicas individuais. A topografia das unidades geomorfológicas de origem marinha, além de indicar a cronologia dos depósitos, influencia no desenvolvimento de diferentes classes de Espodossolos. Os atributos físico-químicos e morfológicos dos Espodossolos podem auxiliar na diferenciação cronológica dos depósitos quaternários mais recentes (holocênicos). A área de ocorrência dos terraços marinhos pleistocênicos é mais extensa do que aquelas registradas nos documentos cartográficos existentes. Nos setores bem drenados dos remanescentes de terraços marinhos pleistocênicos altos, a influência das condições de relevo na pedogênese se reflete na formação dos Neossolos Quartzarênicos (RQ) a partir do desmantelamento dos Espodossolos, enquanto nos terraços marinhos holocênicos os RQ se desenvolvem, podendo evoluir para Espodossolos.
Título em inglês
Soil-relief-geologic substract relationship on the coastal plain of Bertioga (SP)
Palavras-chave em inglês
Coastal plain
Geomorphology
Podzols
Restinga.
Resumo em inglês
Knowledge of the chronology, relief, geology and soils in sedimentary coastal environments is relevant for their interpretation, reconstitution and conservation. In Bertioga, São Paulo State Brazil, several sections of the Pleistocene and Holocene morphostratigraphic costal plain units are preserved in the landscape. This thesis seeks the perception of the relationships between soils, geomorphology, relief and the chronology of Bertiogas coastal sand deposits as well as to study Podzols developed on them. Soils and the different sedimentary environments where these soils develop were thus identified and characterized. Photointerpretation, field work, chemical, physical and chronological (luminescence and radiocarbon dating) analysis supported the identification, spatial delimitation as well as the development of genesis theories of soils over continental, fluvial and marine deposits. Previous data additionally allowed the evaluation of the influence of relief forms and water table depth on the evolutionary dynamics of soils and on their spatial distribution pattern. The main identified orders of soils included Podzols, Arenosols, Fluvisols, Histosols, Gleysols and Cambisols. The topographic, geomorphologic and geologic differences of the environments had conditioned the amount of water, the vegetation features and the organic matter content of the following geomorphologic units: (a) lagoonal terrace depressions, characterized by organo-pelitic-psammitic sediments under Histosols and Gleysols; (b) marine terraces formed by fine to very fine sand under Podzols with and without hardpans (ortstein); (c) fine sandy beach ridges with a dominance of Arenosols and, on a secondary level, Podzols without hardpans (ortstein) and placic horizons; (d) psammitic colluvial slope deposits with Cambisols; (e) fluvial plains with varied texture and with Gleysols and Fluvisols and (f) psammitic and pelitic tidal flats, where Histosols and Gleysols predominate. Besides these units, modern beaches and sections dominated by non-differentiated colluvial-alluvial continental deposits were also analyzed as individual geomorphological units. Topography of geomorphological units from marine origin indicates the chronological sequence of deposits, in addition to influencing the development of different of Podzols, the physical, chemical and morphological properties of which allowed the chronological differentiation of modern Quaternary deposits (Holocene). The mapped area of the Pleistocene marine terraces occurrence was found to be larger than the one indicated on cartographic documents published up to the moment. In the well-drained sections of remnant soils from high Pleistocene marine terraces, the influence of the relief forms on pedogenesis is shown through the formation of Arenosols originated from the destruction of spodic horizons, whereas Arenosols in Holocene marine terrace tends to evolve into Podzols.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Vanda_Martins.pdf (14.30 Mbytes)
Data de Publicação
2009-07-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.