• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.11.2009.tde-19052009-080908
Documento
Autor
Nome completo
Leandro Batista Costa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2009
Orientador
Banca examinadora
Miyada, Valdomiro Shigueru (Presidente)
Cyrino, Jose Eurico Possebon
Gomes, Jacinta Diva Ferrugem
Menten, José Fernando Machado
Racanicci, Aline Mondini Calil
Título em português
Aditivos fitogênicos e butirato de sódio como potenciais promotores de crescimento de leitões recém-desmamados
Palavras-chave em português
Aditivos alimentares
Agentes antimicrobianos
Desmama animal
Leitões
Nutrição animal
Reguladores de crescimento.
Resumo em português
Os antimicrobianos promotores de crescimento na alimentação animal tem proporcionado melhora considerável no desempenho. Porém, seu uso vem sendo proibido em diversos países e, face a esta restrição, tem-se buscado alternativas aos antimicrobianos promotores de crescimento. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar aditivos fitogênicos, butirato de sódio, assim como a colistina sobre o desempenho, histologia intestinal, pH, morfometria de órgãos, digestibilidade dos nutrientes e freqüência de diarréia de leitões recém-desmamados. Um experimento em blocos casualizados, com 34 dias de duração foi realizado para testar cinco tratamentos: controle (T1) - ração basal; antimicrobiano (T2) basal com 40 ppm de sulfato de colistina; fitogênico (T3) dieta basal com 500 ppm de aditivos fitogênicos; butirato de sódio (T4) dieta basal com 1500 ppm de butirato de sódio; fitogênico+butirato de sódio (T5) dieta basal com 500 ppm de aditivos fitogênicos + 1500 ppm de butirato de sódio. Para o desempenho e frequência de diarréia foram utilizados 120 leitões, com idade de 24 dias e peso inicial de 6,10 ± 1,21 kg, oito repetições por tratamento e três leitões por unidade experimental. No ensaio de digestibilidade (quatro primeiras repetições), utilizou-se o método da coleta parcial de fezes e o óxido de cromo como marcador. Ao final do experimento, um animal de cada baia, das quatro primeiras repetições, foi abatido para análise de histologia, pH e morfometria dos órgãos. Foram testados contrastes específicos de interesse. O desempenho, a frequência de diarréia e o pH da digesta não foram influenciados pelos tratamentos (P>0,05). Os leitões dos tratamentos fitogênico e butirato apresentaram a média de digestibilidade da energia superior (P=0,07) a dos leitões do tratamento fitogênico+butirato de sódio. Para a morfometria dos órgãos, a média dos tratamentos T2, T3, T4 e T5 para a relação peso:comprimento do intestino delgado foi menor (P=0,02) que a do tratamento controle. Para o peso relativo do ceco, a média dos tratamentos fitogênico e butirato de sódio foi menor (P=0,09) do que a do tratamento fitogênico+butirato de sódio. Em relação à histologia intestinal, no duodeno, a média da densidade de vilosidades (DV) dos leitões dos tratamentos fitogênico e butirato de sódio foi maior (P=0,06) do que a dos leitões do tratamento fitogênico+butirato de sódio. Foi observado, também, maior DV (P=0,02) para os animais do tratamento fitogênico em relação aos animais do tratamento butirato de sódio. No jejuno, a média da DV dos leitões dos tratamentos T2, T3, T4 e T5 foi maior (P=0,03) do que a dos leitões do tratamento controle. Os animais do tratamento butirato apresentaram maior DV do que os animais do tratamento fitogênico (P=0,08). Assim, em condições de creche experimental, não ficou evidenciado efeito dos aditivos fitogênicos e do butirato de sódio como promotores de crescimento de leitões recém-desmamados, alimentados com dietas complexas e altamente digestíveis. Há, também, indicações de que os aditivos fitogênicos e o butirato de sódio, individualmente adicionados às dietas dos leitões, podem melhorar a digestibilidade e algumas características histológicas e morfométricas.
Título em inglês
Phytobiotic additives and sodium butyrate as potential growth promoters of weanling pigs
Palavras-chave em inglês
Antimicrobials
Butiric acid
Herbal extracts
Nutrition
Piglets.
Resumo em inglês
The antimicrobials growth promoters in the animal feed have been related to an increase on animal performance. However, due to the restriction of many countries to the use of antimicrobial as growth promoters, alternatives are being studied. So, the purpose of this work was to evaluate the effect of phytobiotic additives, sodium butyrate and even colistina on performance, intestinal histology, digesta pH, organs morphometry, nutrients digestibility and diarrhea incidence of weanling pigs. A 34-d randomized complete block design experiment was carried out to compare five treatments: control (T1) basal diet; antimicrobial (T2) basal diet with 40 ppm of colistin sulfate; phytobiotic (T3) basal diet with 500 ppm of natural phytobiotics; sodium butyrate (T4) basal diet with 1500 ppm of sodium butyrate; and phytobiotic+sodium butyrate (T5) basal diet with 500 ppm of natural ptytobiotics + 1500 ppm of sodium butyrate. One hundred and twenty piglets (average age around 24 d and initial live weight of 6.10 ± 1.21 kg), eight replications per treatment, and three animals per experimental unit were used for performance data and diarrhea incidence. For digestibility assay, 60 piglets of first four replications were considered, using chromium oxide as fed marker. At the end of experimental period, an animal of each pen of first four replications was slaughtered for histology analysis, digesta pH and organs morphometry. Specific contrasts of practical importance were tested. No differences were found in performance data (P>.05). The treatments did not show any effect (P>.05) on diarrhea incidence and on digesta pH. Energy digestibility coefficient average of phytobiotic additives and sodium butyrate was higher (P=.07) than that of phytobiotic+sodium butyrate. Organs morphometry showed that the average of treatments T2, T3, T4 e T5 for weight:length ratio of small intestine was lower (P=.02) than that of control treatment. The average of phytobiotic and sodium butyrate treatments for caecum relative weight was lower (P=.09) than that of the phytobiotic+sodium butyrate treatment. For intestinal histology of duodenum, the average of villous density (DV) of phytobiotic and sodium butyrate treatments was higher (P=.06) than that of phytobiotic+sodium butyrate treatment. Piglets of phytobiotic treatment showed higher DV (P=.02) than those of sodium butyrate treatment. Jejunum DV average of treatments T2, T3, T4 e T5 was higher (P=.03) than that of control treatment. Piglets of sodium butyrate treatment showed higher DV than those of phytobiotic treatment (P=.08). Therefore, there was no evidence of natural phytobiotic and sodium butyrate as growth promoters of weanling pigs fed complex diet with high digestibility raised in experimental nursery. However, there are some indications that both phytobiotic and sodium butyrate added individually to weanling pig diets, may improve energy digestibility and some histology and morphometry traits.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Leandro_Costa.pdf (1.96 Mbytes)
Data de Publicação
2009-05-21
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.