• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2014.tde-19032014-140807
Documento
Autor
Nome completo
Guilherme Portes Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2014
Orientador
Banca examinadora
Silva, Sila Carneiro da (Presidente)
Pereira, Lilian Elgalise Techio
Sbrissia, André Fischer
Título em português
Estrutura do pasto e taxa de consumo de forragem de amendoim forrageiro (Arachis pintoi Krapovickas & Gregory cv. Belmonte) submetido a intensidades de pastejo
Palavras-chave em português
Amendoim forrageiro
Estrutura do pasto
Lotação contínua
Taxa de consumo
Resumo em português
A introdução de leguminosas em pastagens contribui para a produção animal sustentável, proporcionada pela fixação biológica do nitrogênio atmosférico e elevado valor nutritivo da forragem produzida. O conhecimento da estrutura do dossel forrageiro é fundamental para o manejo adequado de sistemas pastoris, uma vez que determina as respostas de plantas e de animais. Estudos com gramíneas tropicais evidenciaram a importância e a praticidade do uso da altura do pasto como guia de manejo eficiente para explicar variações em comportamento ingestivo de animais, permitindo a definição de metas ou alvos de manejo de pasto que maximizam a velocidade de ingestão de forragem. Entretanto, estudos dessa natureza são escassos com leguminosas tropicais. Nesse contexto, o objetivo deste estudo foi avaliar a estrutura do dossel forrageiro e a taxa de consumo de forragem em amendoim forrageiro (Arachis pintoi cv. Belmonte) submetido a intensidades de pastejo. O experimento foi conduzido na Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", Piracicaba, SP, de fevereiro a novembro de 2013. Os tratamentos corresponderam a quatro intensidades de pastejo representadas pelas alturas de 5, 10, 15 e 20 cm, e foram alocados às unidades experimentais (piquetes de 200 m²) segundo delineamento de blocos completos casualizados, com quatro repetições. Foram avaliadas as seguintes variáveis-resposta: distribuição vertical dos componentes morfológicos da massa de forragem dos pastos, massa e densidade volumétrica da forragem, composição morfológica de amostras de simulação de pastejo, taxa de bocados, massa do bocado e taxa de consumo. A estrutura do dossel influenciou a massa do bocado, a taxa de bocados e a taxa de consumo, assim como reportado na literatura para gramíneas forrageiras. No outono e na primavera as respostas foram semelhantes, com diminuição da taxa de bocados e aumento da massa do bocado com o aumento da altura de manejo, sem diferenças em massa do bocado entre as alturas de 15 e 20 cm. A taxa de consumo apresentou o mesmo padrão de resposta descrito para massa do bocado, aumentando com o incremento em altura dos pastos, porém sem diferença entre as alturas de manejo de 15 e 20 cm. No inverno a taxa de bocados seguiu o mesmo padrão do outono e da primavera, porém houve maior presença de invasoras e menor altura efetiva de manejo para os tratamentos de 15 e 20 cm, fato que resultou em menor massa de bocado para esses tratamentos. O fato resultou em taxa de consumo estável para as alturas de manejo nessa época do ano. A massa do bocado foi a variável mais sensível às variações em estrutura do dossel forrageiro, tendo sido determinante das taxas de consumo mensuradas. Maior taxa de consumo de forragem em pastos de amendoim forrageiro sob lotação contínua é obtida com alturas de manejo entre 15 e 20 cm.
Título em inglês
Sward structure and rate of herbage intake in forage peanut (Arachis pintoi Krapovickas & Gregory cv. Belmonte) subjected to intensities of grazing
Palavras-chave em inglês
Continuous stocking
Forage peanut
Intake rate
Sward structure
Resumo em inglês
The introduction of forage legumes in pastures favours sustainable animal production because of the biological fixation of atmospheric nitrogen and high nutritive value of the produced herbage. Knowledge about sward structure is essential for adequate management of pastoral systems, since it is determinant of plant and animal responses. Previous studies with tropical forage grasses highlighted the importance and the potential of sward height as an efficient management guide to explain variations in the ingestive behaviour of grazing animals, allowing the definition of sward targets that maximise the rate of herbage intake. However, for tropical forage legumes similar studies are scarce. Against that background, the objective of this study was to evaluate the sward structure and the rate of herbage intake in forage peanut (Arachis pintoi cv. Belmonte) subjected to intensities of grazing. The experiment was carried out at Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", Piracicaba, SP, from February to November 2013. Treatments corresponded to four grazing intensities represented by the sward heights of 5, 10, 15 and 20 cm, and were allocated to experimental units (200 m2 paddocks) according to a randomised complete block design, with four replications. The following response-variables were evaluated: vertical distribution of morphological components in the sward herbage mass, herbage mass and bulk density, morphological composition in samples of simulated grazing, bite rate, bite mass and intake rate. The sward structure interfered with bite mass, bite rate and intake rate as reported in literature for forage grasses. During autumn and spring, pattern of responses were similar, with reduction in bite rate and increase in bite mass with increasing sward management height, with no difference in bite mass recorded between the 15 and 20 cm targets. The rate of herbage intake showed the same pattern of response described for bite mass, increasing with increasing sward management height, with no difference between the 15 and 20 cm targets. During winter, bite rate followed the same pattern of variation described for autumn and spring, but there was a larger percentage of weeds and lower sward heights than the 15 and 20 cm targets, resulting in smaller bite mass under those conditions. Consequently, there was no difference in intake rate among treatments at that time of the year. Bite mass was the response-variable most sensible to variations in sward structure, being determinant of the rate of herbage intake. Higher rates of herbage intake in continuously stocked forage peanut swards is obtained with management heights between 15 and 20 cm.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-03-28
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • Fialho, C.A., et al. Methods for characterising and describing morphogenetic responses of forage peanut (Arachis pintoi Krapovickas & Gregory cv. Belmonte). In 50 Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, Campinas, SP, 2013. Anais da 50 Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia.Brasília, DF : Sociedade Brasileira de Zootecnia, 2013. Abstract.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.