• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.11.2005.tde-15062005-171710
Documento
Autor
Nome completo
Hugo Imaizumi
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2005
Orientador
Banca examinadora
Santos, Flavio Augusto Portela (Presidente)
Berchielli, Telma Teresinha
Mattos, Wilson Roberto Soares
Rodrigues, Paulo Henrique Mazza
Susin, Ivanete
Título em português
Suplementação protéica, uso de subprodutos agroindustriais e processamento de milho em dietas para vacas leiteiras em confinamento.
Palavras-chave em português
bovino leiteiro
confinamento animal
dieta animal
milho – processamento
subprodutos para animais
suplementos protéicos para animais
Resumo em português
Na intenção de avaliar o efeito da suplementação protéica, uso de subprodutos agroindustriais e o processamento de milho, foram conduzidos quatro experimentos. No experimento I, avaliou-se formas de processamento de milho (milho moído, M; e resíduo de pipoca doce, P) e fontes protéicas (farelo de soja, FS; uréia, U; ou farinha de peixe, FP), combinando-os para formar quatro tratamentos: MFS (M + FS); PFS (P + FS); PFP (P + FS + FP); PU (P + U). Comparado ao milho moído (MFS), o resíduo de pipoca doce (PFS) diminuiu os teores de gordura e proteína no leite. Em relação às fontes protéicas (PFS x PFP x PU), observou-se que a maior produção leiteira foi obtida no tratamento PFS. A farinha de peixe (PFP) levou ao menor teor de gordura no leite, mas aumentou o teor protéico no leite. No experimento II, avaliou-se os efeitos da inclusão de três teores (0,15 e 30% da MS) de farelo de algodão (FA) em substituição ao farelo de soja na dieta. O consumo de MS não foi afetado pelos tratamentos, contudo a inclusão de FA levou a efeitos lineares negativos sobre a produção de leite e teor e produção de proteína e efeitos lineares positivos sobre o teor e produção de gordura no leite. No experimento III, comparou-se os efeitos de uma dieta basal com 16% de PB contra duas outras com 17,5% de PB, sendo esses incrementos obtidos através da adição de uréia (U-17,5, resultando em aumento de proteína degradável no rúmen, PDR) ou farelo de soja e de algodão (FSFA-17,5, resultando em aumento de proteína metabolizável, PM). O aumento do teor de PDR (U-17,5) tendeu a aumentar o consumo de MS em relação à dieta basal. A produção de leite elevou-se com o aumento de PM (FSFA-17,5), não ocorrendo o mesmo com o aumento de PDR (U-17,5). O teor e a produção de proteína no leite também elevou-se com o fornecimento extra de PM. Concluiu-se que a elevação do teor de PM para valores acima das recomendações propostas pelo National Research Council - NRC (2001) para vacas produzindo ao redor de 29 kg/d melhorou as produções de leite e de proteína no leite. O experimento IV consistiu de dois ensaios. No primeiro, os tratamentos continham 0 (RUC-0), 10 (RUC-10) ou 20% (RUC-20) de resíduo úmido de cervejaria (RUC). Todas as dietas continham 1% de uréia. Um quarto tratamento isoprotéico, com 2% de uréia substituindo parcialmente o farelo de soja, sem RUC, foi utilizado. O consumo de MS não foi afetado. A produção de leite e o teor e produção de proteína no leite aumentaram com a inclusão de RUC e foram prejudicados com o fornecimento de 2% de uréia. No ensaio 2, foram comparados o RUC fresco com o RUC ensilado com milho moído. Ambos os tratamentos eram isoprotéicos e continham proporções semelhantes de milho moído e RUC. O consumo de MS, produção de leite e os teores e produções de gordura e proteína no leite não foram afetados pelos tratamentos.
Título em inglês
Protein supplementation, by-products and corn processing for lactating dairy cows.
Palavras-chave em inglês
dairy cattle
metabolizable protein
ruminal degradable protein
ruminant nutrition
soybean meal
urea
Resumo em inglês
Four studies were conducted to compare protein sources and content, corn processing method and a fibrous by-product for lactating dairy cows. Study 1: corn processing methods (fine ground, M; and popped, P) and protein sources (soybean meal, FS; urea, U; or fishmeal, FP) were compared in 4 treatments: MFS (M + FS); PFS (P + FS); PFP (P + FS + FP); PU (P + U). Compared to fine ground corn (MFS), popped corn (PFS) decreased milk fat and protein content. The 3 protein sources comparisons (PFS x PFP x PU) showed that milk yield was higher for PFS. Feeding fishmeal (PFP) decreased milk fat content, but increased milk protein content. Study 2: the cottonseed meal content in the diet (0, 15 and 30% of DM) in replacement to soybean meal were compared. Dry matter intake was not affected by treatments, but cottonseed meal supplementation had a negative linear effect on milk yield and on milk protein content and yield. Increasing cottonseed meal had a positive linear effect on milk fat content and yield. Study3: basal diet (16% CP) was compared to two diets with 17.5% CP, where crude protein content of diets were increased by feeding extra urea (U-17.5, resulting in increased rumen degradable protein content, RDP) or extra soybean and cottonseed meal (FSFA-17.5, resulting in increased metabolizable protein content, MP). Extra RDP (U-17.5) tended to increase DMI compared to basal diet. Milk yield were increased by extra MP (FSFA-17.5) but not by extra RDP (U-17.5). Milk protein content and yield were also increased by feeding extra MP. In conclusion, increasing diet MP content above National Research Council - NRC (2001) recommendations for cows producing around 29 kg/d improved milk and milk protein yields. Study 4: two trials were conducted. In trial 1, treatments were 0 (RUC-0), 10 (RUC-10) or 20% (RUC-20) wet brewers grains inclusion in diet dry matter. All 3 diets contained 1% urea on a DM basis. A fourth isonitrogenous diet, with additional urea (2% of diet DM) in partial replacement of soybean meal, without brewers grains, was compared to. Dry matter intake were not different. Milk yields and milk protein contents and yields were increased by feeding wet brewers grains and decreased by feeding 2% urea. In trial 2, weekly received fresh wet brewers grains versus wet brewers grains ensiled with ground corn were compared. Both treatments were isonitrogenous diets and contained the same proportions of ground corn and wet brewers grains on a dry matter basis. Dry matter intake, milk yield, milk fat content and yield and protein content and yield were not different.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
hugo.pdf (568.73 Kbytes)
Data de Publicação
2005-06-16
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • IMAIZUMI, Hugo, et al. Avaliação de diferentes fontes e teores de proteína na dieta sobre o desempenho, fermentação ruminal e parâmetros sangüíneos de vacas da raça Holandesa em final de lactação. Acta Scientiarum (UEM), 2003, vol. 25, nº 4, p. 1031-1037.
  • IMAIZUMI, Hugo, et al. Diet crude protein content and sources for lactating dairy cattle. Scientia Agrícola (USP. Impresso), 2010, vol. 67, p. 16-22.
  • IMAIZUMI, Hugo, et al. Fontes protéicas e de amido com diferentes degradabilidades ruminais para alimentar vacas leiteiras. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 2006, vol. 41, p. 1413-1420.
  • IMAIZUMI, Hugo, et al. Avaliação das estimativas de desempenho lactacional de vacas leiteiras pelos modelos do NRC (2001) e CPM-DAIRY (Versão 1.0) para dietas contendo farelo de algodão como substituto ao farelo de soja. In 41a. Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, Campo Grande, 2004. Anais da 41a. Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia., 2004. Resumo.
  • IMAIZUMI, Hugo, et al. Avaliação de teores crescentes de resíduo úmido de cervejaria e uréia sobre o desempenho lactacional de vacas de alta produção. In 9o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP, Piracicaba, 2001. Anais do 9º Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP.São Paulo : USP, 2001. Resumo.
  • IMAIZUMI, Hugo, et al. Avaliação de teores crescentes de resíduo úmido de cervejaria e uréia sobre o desempenho lactacional de vacas leiteiras. In 39a. Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, Recife, 2002. Anais da 39a. Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia.Recife : SBZ, 2002. Resumo.
  • IMAIZUMI, Hugo, et al. Utilização de farelo de algodão como substituto do farelo de soja em dietas para vacas Holandesas em lactação. In 39a. Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, Recife, 2002. Anais da 39a. Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia.Recife : SBZ, 2002. Resumo.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.