• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.11.2002.tde-05112002-152641
Documento
Autor
Nome completo
Sérgio Raposo de Medeiros
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2002
Orientador
Banca examinadora
Lanna, Dante Pazzanese Duarte (Presidente)
Aroeira, Luiz Januario Magalhães
Boin, Celso
Fontes, Carlos Augusto de Alencar
Rodriguez, Norberto Mario
Título em português
Ácido linoléico conjugado: teores nos alimentos e seu uso no aumento da produção de leite com maior teor de proteína e perfil de ácidos graxos modificado.
Palavras-chave em português
ácidos graxos
bovinocultura leiteira
composição de alimentos
óleos e gorduras animais comestíveis
suplemento alimentares para animais
Resumo em português
Os ácidos linoléicos conjugados (CLA) são potentes anticarcinogênicos em animais de laboratório e inibidores da lipogênese na glândula mamária, fígado e tecido adiposo. No primeiro experimento, foram determinados os teores de CLA de alimentos e o consumo total de CLA em dietas brasileiras. Amostras de leite foram coletadas em rebanhos Holandeses (B. taurus) e Gir (B. indicus) em dois períodos (Águas x Seca). Carne bovina foi coletada de animais terminados em: 1) Pastagem suplementada com concentrado; 2) Dietas com alto volumoso e 3) Dietas com alto concentrado. Amostras de carne suína e de frango foram adquiridas em Piracicaba-SP. Dietas humanas foram amostradas no restaurante da ESALQ. Leite de Holandês nas Águas apresentaram as médias mais elevadas (15,8 ± 2,9 mg/g gordura). Os teores no período da Seca foram significativamente mais baixos, com média de 5,1 mg/g gordura. Houve menor variação entre épocas para B. indicus, (Águas, 9,7 e Seca, 8,0 mg/g gordura). O teor de CLA na carne bovina foi afetado pelo sistema de produção com valores de 2,8 ±0,5; 4,7 ± 1,5 e 9,9 ± 2,4 mg/g gordura, respectivamente, para os animais a pasto, com alto volumoso e alto concentrado. Carne de monogástricos apresentaram os menores valores (frango, 1,0 e suínos, 0,2 mg/g gordura). O experimento 2 estudou os efeitos da suplementação de CLA na produção e composição do leite em 30 vacas cruzadas pastejando estrela africana (Cynodon nlenfuensis var. nlenfuensis). O suplemento (4kg/dia) foi formulado para prover 115% das exigências de proteína metabolizável, sendo fornecidos 150g/cab/dia de Megalac â (Controle) ou 150g/cab/dia de sais de cálcio de CLA (CLA-60, Church & Dwight, Princeton, NJ) da 4 a a 11 a semana de lactação (período de tratamento). Os efeitos residuais foram avaliados entre a 12 a e a 15 a semana (período residual). O tratamento com CLA aumentou a produção de leite (P=0.056) e reduziu o teor de gordura de 2,86 para 2,05% (P<0,01) e a produção de gordura de 437 para 349 g/dia (P<0,01). Houve aumento de 10% no teor de proteína (2,78 para 3,05%; P<0,01) e de 19% na produção (422 para 504 g/dia; P<0.01). A densidade energética do leite foi reduzida (P<0.01) pelo CLA, sendo que o volume de leite aumentou, consequentemente as exigências de energia líquida de lactação foram reduzidas por unidade de leite produzido. A produção do leite e o teor e produção de proteína do leite dos animais tratados mantiveram-se mais elevados no período residual. O CLA reduziu os teores de ácidos graxos (AG) de cadeia curta e a proporção de AG saturados. O tratamento com CLA aumentou o teor de CLA em 30% (P<0.01) e do isômero t10,c12, em 88%. Os resultados do experimento. 1 demonstram que, se o CLA tem efeito protetivo contra câncer sugerido pelos estudos epidemiológicos disponíveis, o enriquecimento de CLA na dieta seria desejável. A suplementação com CLA aumentou a produção de leite, alterou sua composição, e reduziu as exigências nutricionais por unidade de leite, permitindo aumentos de volume de leite e de quantidade de proteína, particularmente em ambientes onde o aporte de energia é restrito.
Título em inglês
Conjugated linoleic acid: content in food and the use to increase milk production, to increase milk protein content and to modify the fatty acids profile.
Palavras-chave em inglês
dairy production
fats and oils
fatty acids
feed composition
feed supplements
Resumo em inglês
Conjugated linoleic acids (CLA) are potent anticarcinogenics in animal models and inhibitors of fatty acid synthesis in mammary gland, kidney and adipose tissue. In experiment 1, CLA content of some foods and total intake in Brazilian diets were determined. Milk samples were collected from Holstein herds (B. taurus) and Gir (B. indicus) herds in two seasons (Rainy x Dry). Beef samples were collected from animals finished on: 1) Pasture plus supplement; 2) High roughage feedlot diets 3) High concentrate feedlot diets. Pork and broiler samples were purchased in Piracicaba-SP. Human diets were collected at the university restaurant (ESALQ). Holstein milk at the Rainy season presented the highest values (15.8 ± 2.9 mg/g fat). At the dry season values were much lower averaging 5.1 mg/g fat. For B. indicus there was less variation between seasons, (Rainy, 9,7 and Dry, 8,0 mg/g fat). Beef samples CLA content were affected by the production system and values were 2.8 ±0.5; 4.7 ± 1.5 e 9.9 ± 2.,4 mg/g fat, respectively, for pasture animals, the high roughage and high concentrate. Monogastrics had the lowest values (broiler, 1,0 and pork, 0,2 mg/g fat). Experiment 2 studied the CLA supplementation effects on milk production and composition using 30 crossbred cows grazing stargrass (Cynodon nlenfuensis var. nlenfuensis). The supplement (4kg/dia) was formulated to provide 115% of the metabolizable protein requirements. The control treatment was 150g/cab/dia de Megalac â (Control) and the treatment were 150g/cab/day CLA calcium salts (CLA-60, Church & Dwight, Princeton, NJ) from week 4 to week 11 (treatment period). Residual effects were evaluated between week 12 and week 15 (residual period). CLA treatment increased milk production (P=0.056) and reduced fat content from 2.86 to 2.05% (P<0,01) and fat production from 437 to 349 g/day (P<0,01). Milk protein increased by 10% (2.,78 to 3.05%; P<0.01) and 19% in production (422 to 504 g/day; P<0.01). Milk energy concentration was decreased (P<0.01) by CLA, while milk volume increased, consequently the net energy of lactation was reduced by kilos of milk produced. Milk production and protein production and content, for the treated cows, kept higher in the residual period. CLA reduced short chain fatty acids (FA) and the proportion of saturated FA. CLA treatment increased CLA content by 30% (P<0.01) and for t10,c12, by 88%. Experiment 1 results showed that, if CLA has protective against cancer suggested by the available epidemiological studies, than CLA enrichment should be desirable. CLA supplementation with CLA increased milk volume production, altered it’s composition, and reduced the energy requirements in relation to milk unity produced, allowing higher milk volumes, higher protein produced, particularly in environments where energy is restricted.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
sergio.pdf (722.10 Kbytes)
Data de Publicação
2002-12-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.