• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.11.2018.tde-02052018-182855
Documento
Autor
Nome completo
Alexandre Barbieri Prata
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2018
Orientador
Banca examinadora
Sartori Filho, Roberto (Presidente)
Júnior, José Buratini
Souza, Alexandre Henryli de
Vasconcelos, José Luiz Moraes
Wiltbank, Milo Charles
Título em inglês
Ovarian function, steroides hormones and fertility in cows stimulated with gonadotropins
Palavras-chave em inglês
Bovine
Corpus luteum
Fertility
Follicle
Hormone
Resumo em inglês
To increase profitability in beef and dairy cattle operations, adequate reproductive management strategies that provide high service and conception rates, especially at the beginning of the breeding season for beef cattle, and after the voluntary waiting period for dairy herds, are necessary. To achieve these goals various hormonal protocols have been developed to synchronize the emergence of a new follicular wave, estrus and ovulation, thus allowing fixed time artificial insemination (FTAI). Treatment with eCG has been included in FTAI protocols. Considering that eCG is an indispensable tool for reproductive management, a better understanding of its biological action in the final follicular growth process, ovulation and luteal development is crucial to optimize its use in hormonal protocols. At the same time, alternatives for eCG need to be tested. In this regard, it is important a better understanding of how FSH and LH act in the dominant follicle. Based on that, three studies were performed. The first study evaluated effects of eCG on fertility of 679 crossbred lactating grazing cows synchronized for FTAI. Treatment with eCG tended to increase P/AI at 30 and 60 days and increased P/AI at 30 and 60 days for cows inseminated at ≤ 70 DIM but had no effect in cows receiving AI after 70 DIM. The second study evaluated the effect of eCG or different doses of hCG on the final growth of the dominant follicle in 84 Nelore cows submitted FTAI. No differences were observed for the diameter of the largest follicle on D8 or D10. However, the growth rate of the dominant follicle between D8 and D10 was greater for the groups eCG and hCG 300. In addition, more cows from the Groups hCG 300 and hCG 200 SC presented premature ovulation. Treatment with different hCG doses on D8 of a FTAI protocol failed to produce similar effects compared to eCG. The third study evaluated the effect of eCG, FSH, or hCG on follicular growth rate, ovulatory follicle size, CL volume and circulating E2 and P4 concentrations, as well as the number of large and small luteal cells in cows submitted to a protocol for synchronization of ovulation. Seventeen non-lactating Nelore cows were used. Two Latin squares were done, totaling eight replicates. The gonadotropin treatments, eCG, FSH, or hCG, were effective in increasing the follicular growth rate between D7-10 and consequently the follicular diameter on D10 and ovulatory follicle diameter in comparison to Control. In addition, treatment with different gonadotropins increased the number of large and small luteal cells, however, there was no difference in preovulatory E2 peak concentration, CL volume and circulating P4 concentration post ovulation.
Título em português
Função ovariana, hormônios esteroides e fertilidade de vacas estimuladas com gonadotrofinas
Palavras-chave em português
Bovino
Corpo lúteo
Fertilidade
Folículo
Hormônio
Resumo em português
Para aumentar a rentabilidade nos sistemas de produção de bovinos de corte e leiteiro, são necessárias estratégias de manejo reprodutivo que proporcionem elevadas taxas de serviço e concepção, especialmente no início da estação de monta em bovinos de corte e após o período de espera voluntária para rebanhos leiteiros. Para atingir esses objetivos, vários protocolos hormonais foram desenvolvidos com o intuito de sincronizar a onda folicular, o estro e a ovulação, permitindo assim inseminação artificial em tempo fixo (IATF). Considerando que a eCG é uma ferramenta indispensável para o manejo reprodutivo, é fundamental uma melhor compreensão de sua ação biológica no processo de crescimento folicular final, ovulação e desenvolvimento luteal, otimizando seu uso em protocolos hormonais. Além disso, alternativas para a eCG precisam ser testadas. Dessa forma é importante uma melhor compreensão de como FSH e LH atuam no folículo dominante. Com base nisso, três estudos foram realizados. O primeiro avaliou os efeitos da eCG na fertilidade de 679 vacas lactantes mestiças em sistema de pastejo sincronizadas para IATF. O tratamento com eCG tendeu em aumentar a P/IA aos 30 e 60 dias e aumentou a P/IA aos 30 e 60 dias para vacas inseminadas com DEL ≤ 70, mas não houve efeito nas vacas que receberam IA após 70 DEL. O segundo avaliou o efeito da eCG ou diferentes doses de hCG no crescimento final do folículo dominante em 84 vacas Nelore submetidas a IATF. Não houve diferença quanto ao diâmetro do maior folículo no D8 ou D10. No entanto, a taxa de crescimento folicular entre D8 e D10 foi maior para os grupos eCG e hCG 300. No entanto, mais vacas dos Grupos hCG 300 e hCG 200 SC apresentaram ovulação precoce. O tratamento com diferentes doses de hCG no D8 do protocolo de IATF não produziu efeitos semelhantes em relação à eCG. O terceiro estudo avaliou o efeito de eCG, FSH ou hCG na taxa de crescimento folicular, tamanho do folículo ovulatório, volume de CL e concentrações circulantes de E2 e P4, bem como o número de células lúteas grandes e pequenas em vacas submetidas a sincronização da ovulação. Foram utilizadas 17 vacas Nelore não lactantes em delineamento com dois quadrados latinos, totalizando oito réplicas. Os tratamentos com as gonadotrofinas eCG, FSH, ou hCG foram efetivos em aumentar a taxa de crescimento folicular entre D7-10 e consequentemente o diâmetro folicular no D10 e o diâmetro do folículo ovulatório em relação ao Controle. Além disso, o tratamento com diferentes gonadotrofinas aumentou o número de células lúteas grandes e pequenas sem, entretanto, se detectar diferenças no pico pré-ovulatório de E2, volume luteal e concentração circulante de P4 após a ovulação.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-05-10
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.