• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2003.tde-25022003-134805
Documento
Autor
Nome completo
José Segundo Giampan
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2002
Orientador
Banca examinadora
Rezende, Jorge Alberto Marques (Presidente)
Massola Júnior, Nelson Sidnei
Yuki, Valdir Atsushi
Título em português
Infectividade e proteção de três estirpes fracas do Papaya ringspot virus em plantas de melancia.
Palavras-chave em português
controle biológico (fitossanidade)
melancia
mosaico (doença de planta)
potyvirus
virose vegetal
Resumo em português
Este trabalho teve como objetivo avaliar a infectividade de estirpes fracas do Papaya ringspot virus - type W (PRSV-W) em plantas de melancia (Citrullus lanatus), em função da origem da estirpe fraca, da concentração e da espécie doadora do inóculo e da idade da planta-teste de melancia, inoculada mecanicamente. Também foi avaliado o efeito protetor dessas estirpes em plantas de melancia em casa de vegetação e em campo. A seleção de estirpes fracas do PRSV-W foi feita a partir de bolhas de folhas de melancia infectadas naturalmente em campo. A infectividade da estirpe fraca selecionada foi comparada com a das estirpes fracas PRSV-W-1 e PRSV-W-2, previamente selecionadas de bolhas de folhas de abobrinha de moita (Cucurbita pepo) 'Caserta' com mosaico. Como controle foi utilizada uma estirpe severa do vírus obtida de abobrinha de moita (PRSV-W-C). A avaliação do efeito da concentração e da espécie da planta fonte do inóculo na infectividade de plantas de melancia foi feita com extratos de 4, 8, 12 e 16 discos de folhas de abobrinha de moita e de melancia, infectadas separadamente com as estirpes fracas e severa, e diluídos em 2 mL de tampão fosfato. O efeito da idade da planta-teste de melancia na infectividade das estirpes fracas foi estudado comparando-se plantas inoculadas em quatro estádios de desenvolvimento, a partir do estádio cotiledonar, com inóculos das diferentes estirpes do PRSV-W extraídos de 12 discos foliares/2 mL de tampão. O efeito protetor da estirpe fraca obtida de bolhas de folhas de melancia com mosaico foi avaliado em plantas premunizadas e desafiadas com a estirpe PRSV-W-C, em casa de vegetação e em campo. Plantas de melancia premunizadas com as estirpes fracas PRSV-W-1 e PRSV-W-2 e plantas não protegidas também foram avaliadas no teste em campo. Foram avaliadas a proteção, com base nos sintomas, a produção e o conteúdo de açúcares (grau brix) dos frutos colhidos das plantas premunizadas e não premunizadas. Uma estirpe fraca do vírus, denominada PRSV-W-3, foi selecionada de bolhas de folhas de melancia com mosaico. Em todos os testes de infectividade em plantas de melancia, independente da concentração e da planta fonte do inóculo e do estádio de desenvolvimento da planta-teste inoculada, a estirpe fraca PRSV-W-3 apresentou taxas de infectividade semelhantes as das estirpes PRSV-W-1 e PRSV-W-2, chegando a 100% em alguns casos. A infectividade da estirpe severa PRSV-W-C foi de 100% em todos os testes. Aparentemente, a infectividade das três estirpes fracas foi mais diretamente afetada pela intensidade de fricção das folhas no momento da inoculação mecânica do que pelas variáveis estudadas. A estirpe fraca PRSV-W-3 protegeu as plantas de melancia contra a infecção e/ou manifestação da estirpe PRSV-W-C em casa de vegetação. Em campo, todas as plantas de melancia premunizadas com as três estirpes fracas também ficaram protegidas contra a estirpe severa utilizada no desafio. A produção das plantas premunizadas não diferiu estatisticamente entre si, nem mesmo daquelas inicialmente sadias infectadas em campo. O conteúdo de açúcares e a aparência da polpa dos frutos também foram semelhantes em todos os tratamentos.
Título em inglês
Infectivity and protective effect of three mild strains of papaya ringspot virus in watermelon plants.
Palavras-chave em inglês
biological control (plant protection)
mosaic (plant disease)
plant viruses
watermelon
Resumo em inglês
The purpose of this work was to evaluate the infectivity of three mild strains of Papaya ringspot virus - type W (PRSV-W) on watermelon (Citrullus lanatus). The effect of the origin of the mild strain, the concentration of the inoculum, the species of the source of the inoculum and the age of the test-plant on the infectivity of mechanically inoculated watermelon were also evaluated. The protective effect of these mild strains on preimmunized watermelon plants was evaluated under greenhouse and field conditions. Mild strains were selected from blisters formed on mosaic leaves of naturally infected watermelon plants. The infectivity of the selected mild strain was compared with that of mild strains PRSV-W-1 and PRSV-W-2, which were previously obtained from blisters formed on mosaic leaves of zucchini squash (Cucurbita pepo cv. Caserta). A severe strain isolated from zucchini squash (PRSV-W-C) was used as control. The effect of the concentration and the species source of inoculum of the mild strains on the infectivity of watermelon plants was studied with inoculum extracted from 4, 8, 12 and 16 leaf discs of zucchini squash and watermelon plants, separately infected with the mild and severe strains, diluted in 2 mL of phosphate buffer. Four stages of development of watermelon plants, starting at the cotyledonal stage, were tested for the infectivity with the mild strains. Inocula were prepared with extracts of 12 leaf discs diluted in 2 mL of phosphate buffer. The protective effect of the mild strain selected from blisters on mosaic leaves of watermelon plants was evaluated on preimmunized plants challenge inoculated with severe strain PRSV-W-C, under greenhouse and field conditions. Watermelon plants preimmunized with mild strains PRSV-W-1 and PRSV-W-2 and unprotected plants were also included in the field trial. Protection was evaluated based on plant simptons, yield and sugar content in the fruits. One mild strain, named PRSV-W-3, was obtained from blisters on mosaic leaves of watermelon plants. The rate of infection of watermelon plants with mild strain PRSV-W-3 was similar to that with mild strains PRSV-W-1 and PRSV-W-2 in all infectivity tests, independently of the concentration of the inoculum, species source of the inoculum and stage of development of the inoculated test-plant, reaching 100% in some cases. Rate of infectivity with severe strain PRSV-W-C was always 100%. Apparently, the infectivity of the mild strains on watermelon was more directly related with the intensity of the abrasion produced by mechanical inoculation than with the above studied variables. The selected mild strain PRSV-W-3 protected watermelon plants against superinfection with the severe strain in the greenhouse tests. Protection was also effective under field conditions. Yield of plants preimmunized with all three mild strains and unprotected plants were statistically similar. The sugar content and the quality of the pulp of the fruits were similar for all treatments.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
jose.pdf (173.95 Kbytes)
Data de Publicação
2003-02-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.