• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2005.tde-27062005-110320
Documento
Autor
Nome completo
Gustavo Fischer Sbrissia
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2005
Orientador
Banca examinadora
Barros, Geraldo Sant Ana de Camargo (Presidente)
Guimarães, Vania di Addario
Zen, Sérgio De
Título em português
Sistema agroindustrial do leite: custos de transferência e preços locais.
Palavras-chave em português
indústria agrícola
leite – produção
preço
Resumo em português
O presente trabalho estudou os sistemas de pagamento de leite no Brasil, nos seis principais estados produtores. Analisou e discutiu a diferenciação de preços do leite em decorrência do pagamento de bonificações por volume de 1666 produtores dentro de 62 diferentes linhas de coleta de 5 cooperativas. Cerca de 34% das cooperativas amostradas no Brasil pagam por volume e cerca de 55% das cooperativas utilizam os critérios de volume e qualidade na remuneração dos produtores. Para o pagamento do frete, 58% das cooperativas cobram o frete somente pelo volume entregue, enquanto 23% utilizam os critérios distância e volume no cálculo do frete e 19% das cooperativas cobram o frete dos produtores pela distância percorrida. Na segunda etapa foram selecionadas cinco cooperativas que utilizavam somente o critério volume no pagamento do leite. O volume total captado no mês pela amostra foi de 4.300.810 litros, em 62 linhas de coleta das cinco cooperativas. A média foi de 106 litros/dia por produtor, com um mínimo de 0,6 litros até um valor máximo de 3983 litros/dia para o maior produtor. O trabalho também analisou o frete pago por litro. A média da amostra foi de R$ 0,029/litro, com um pagamento variando desde nenhuma cobrança de frete até R$ 0,070 por litro. O valor líquido por litro apresentou uma média de R$ 0,373, com um mínimo de R$ 0,255 e um valor máximo de R$ 0,541, variações de 112%. Foi observado que o valor recebido pelo litro do leite aumenta significativamente com o aumento do volume. As constatações efetuadas permitem afirmar que o valor do frete cobrado aos produtores, como se poderia esperar, está vinculado positivamente ao tamanho da rota de coleta e ao número de produtores na rota e negativamente ao volume coletado de cada produtor. Essas mesmas variáveis influem também de acordo com a lógica econômica nos preços recebidos pelos produtores. Observou-se, todavia, que o volume produzido influenciava positivamente os preços recebidos também por outras vias que não seu impacto sobre o valor do frete. Essa é, fora de dúvida, uma forte evidência favorável à discriminação de preços contra os menores produtores, embora não seja uma prova cabal da ocorrência de tal fato.
Título em inglês
Dairy value chain: transfer cost and local prices.
Palavras-chave em inglês
agriculture industry
milk production
price
Resumo em inglês
This article aimed to study payment systems of milk in Brazil, in the six main producing states. It analyzed and discussed the different milk prices practiced due to the paying of bonus per volume, of 1,666 producers, among 62 different lines of collect of 5 cooperatives. Roughly 34% of the studied cooperatives in Brazil pay per volume and around 55% of the cooperatives use the criteria of volume and quality to pay producers´ income. For the freight payment, 58% of the cooperatives charge the freight only based on the volume delivered, whereas 23% use the criteria of distance and volume in the figures and 19% of the cooperatives charge producers the freight based on the distance run. On the second phase was chosen 5 cooperatives, which use only the criterion of volume to pay the milk. The amount of volume obtained in the month studied totaled 4,300,810 liters, in 63 lines of collect of 5 cooperatives. The average was 106 liters/day per producer, with the minimum of 0.6 liters up to a maximum value of 3,983 liters/day for the biggest producer. The study also analyzed the freight paid per liter. The average of the study was R$ 0.029/liter, with the payment ranging from no charge of freight up to R$ 0.070 per liter. The net value per liter showed an average of R$ 0.373, with the minimum of R$ 0.255 and a maximum price of R$ 0.541, variations of 112%. It was observed that the value received per liter of milk significantly increases with the raise of volume. The conclusions obtained alow to state that the price of the freight charged on the producers, as It was expected, is linked positively to the length of the route of collect and to the number of producers in the route and negatively to the volume collected from each producer. These very variables affect also according to the economic logic of the prices received by producers. It was noticed, however, that the volume produced affected positively the prices received also by other vias that did not have any impact on the freight price. This is, without doubt, one strong evidence favorable to the discrimination of prices against minor producers, even thought it is not a real proof of such fact.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
GustavoSbrissia.pdf (280.59 Kbytes)
Data de Publicação
2005-08-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.