• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Eike Bianchi Kohama
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Tourinho Filho, Hugo (Presidente)
Arruda, Miguel de
Liberatore Junior, Raphael Del Roio
Martinelli Junior, Carlos Eduardo
Título em português
Efeitos de uma temporada competitiva sobre a cinética do eixo GH/IGF-I, proteína de ligação do IGF e sua relação com maturação e desempenho motor em jogadores de futebol adolescentes
Palavras-chave em português
Adolescentes
Desempenho motor
Futebol
GH/IGF-I
Maturação
Resumo em português
O eixo GH/IGF-I é um sistema de mediadores de crescimento, receptores e proteínas de ligação que controlam o crescimento somático e tecidual em muitas espécies e programas de exercícios estão relacionados a esta função anabólica por meio da ação deste eixo. Partindo deste pressuposto, o presente estudo tem como objetivo verificar o comportamento do eixo GH/IGF-I, da proteína de ligação do IGF e sua relação com a maturação ao longo de uma temporada competitiva de jogadores de futebol adolescentes e a sua relação com o desempenho dos atletas. 11 jogadores da categoria sub-15 do Botafogo Futebol Clube foram selecionados para o estudo. As concentrações de GH, IGF-I e IGFBP3 foram mensuradas por ensaios imunocolorimétricos específicos (Immulite) e as coletas ocorreram antes e após uma sessão de treino padrão (STP). A potência aeróbia e anaeróbia, velocidade, força rápida e agilidade foram avaliadas um dia antes da coleta de sangue através dos testes Léger, RAST, Velocidade de 30m, Salto Sêxtuplo e Teste T. A maturação foi controlada pelo Pico de Velocidade do Crescimento (PVC) uma ferramenta que apresenta a distância em anos que o indivíduo está de sua maturação. As coletas e testes ocorreram em 3 momentos (M1, M2 e M3) da competição. As concentrações hormonais foram analisadas pelo teste de Wilcoxon and Friedman e os resultados dos testes motores e PVC foram analisados por meio da ANOVA para medidas repetidas e post hoc de Bonferroni. Os níveis de IGF-I (ng/mL) apresentam uma redução após o STP na fase final da competição (461±95 vs. 429±87; p=0,04). Já a fase anabólica evidencia-se pelo aumento nos níveis de IGF-I após a STP no M2 (460±68 vs. 519±115; p=0,05). A variação nas concentrações de IGF-I após a STP foi significativamente maior no M2 em relação ao M3 (59±95 vs. -32±49 ng/ml; p=0,04). O IGFBP-3 (ng/mL) apresentou concentrações mais elevadas tanto antes quanto após a STP no M2 quando comparado ao M3(4,9±1,0 vs. 4,6±1,0 mg/l; p=0.03) (5,5±1,7 vs. 4,5±0,8 mg/l; p=0.04). O GH (ng/mL) não apresentou variação significante durante toda a competição. Os valores de potência (Watt) foram maiores no M2. O teste post hoc de Bonferroni mostrou que a Pot_Med nos momentos M1 (409,1±87,3) e M2 (458±100) apresentam diferença significante (p=0,007). O mesmo aconteceu para Pot_Pico M1 (507,6±26,7) M2 (562,8±34,7) (p=0,031) e também para Pot_Mín M1 (305,5±28,9) M2 (376,75±25,01) (p=0,007). A velocidade (s) também atingiu seu valor mais alto no M2, o teste post hoc de Bonferroni mostrou que os valores M2 (4,47±0,17) são significativamente maiores do que no M1 (4,29±0,14) (p=0,03). A agilidade acompanhou os demais resultados M2 (8,91 ± 0,33) e M3 (9,25 ± 0,30) (p=0,004). O IGF-I apresentou-se sensível aguda e cronicamente aos efeitos dos estímulos da competição. O IGFBP-3 foi sensível aos efeitos crônicos e os resultados de potência e velocidade acompanharam o comportamento do IGF-I e IGFBP-3. Ambos peptídeos se mostraram sensíveis marcadores de estado de treinamento de jovens futebolistas. A maturação não influenciou no processo visto que os atletas já estavam maturados no M1.
Título em inglês
Effects of a competitive season on the kinetics of the GH/IGF-I axis, IGF binding protein and its relationship with maturation and motor performance in adolescentes soccer players
Palavras-chave em inglês
GH/IGF-I
Maturation
Motor skills
Soccer
Teenagers
Resumo em inglês
The GH/IGF-I axe is a mediator system of growing, receptors and binding proteins that control somatic and tissue growth in many species and physical exercises programs are related to this anabolic function through this system. From this point to view, the objective of this study is to verify possible changes in the GH/IGFs axe, IGF binding protein during a competion season in young soccer players and the relation of these variables with athletic performance and maturation. 11 male athletes under-15 to Botafogo Futebol Clube was selected for this study. GH, IGF-I, IGFBP3 were measured by specific immunocolorimetric assays (Immulite) and collections occurred before and after a standard training session (STP). The aerobic and anaerobic power, velocity, fast force and agility were evaluated one day before the blood collection through the Léger, RAST, 30m Velocity, Six Jump and T-tests. The maturation was controlled by the Peak of Growth Velocity) a tool that presents the distance in years that the individual is of its maturation. The collections and tests occurred in 3 moments (M1, M2 and M3) of the competition. Hormone concentrations were analyzed by the Wilcoxon and Friedman test and the results of the motor and PVC tests were analyzed by ANOVA for repeated and post hoc Bonferroni measurements. IGF-I levels (ng / mL) showed a reduction after PTS in the final phase of competition (461 ± 95 vs. 429 ± 87; p = 0,04). The anabolic phase is evidenced by the increase in IGF-I levels after PTS in M2 (460 ± 68 vs. 519 ± 115, p = 0,05). The variation in IGF-I concentrations after STP was significantly higher in M2 compared to M3 (59 ± 95 vs. -32 ± 49 ng / ml; p = 0,04). IGFBP-3 (ng / mL) had higher concentrations both before and after PTS in M2 when compared to M3 (4,9 ± 1,0 vs. 4,6 ± 1,0 mg / l; p = 0,03) (5,5 ± 1,7 vs. 4,5 ± 0,8 mg / l, p = 0,04). GH (ng / mL) did not show significant variation during the whole competition. The power values (Watt) were higher in M2. The post hoc Bonferroni test showed that Pot_Med at moments M1 (409,1 ± 87,3) and M2 (458 ± 100) presented a significant difference (p = 0.007). The same occurred for Pot_Pico M1 (507,6 ± 26,7) M2 (562,8 ± 34,7) (p = 0.031) and also for Pot_Mín M1 (305,5 ± 28,9) M2 (376,75 ± 25,01) (p = 0,007). The velocity (s) also reached its highest value in M2, the Bonferroni post hoc test showed that M2 values (4,47 ± 0,17) are significantly higher than in M1 (4,29 ± 0,14) (p = 0,03). Agility followed the other M2 (8,91 ± 0,33) and M3 (9,25 ± 0,30) (p = 0,004) results. IGF-I was acutely and chronically sensitive to the effects of competition stimuli. IGFBP-3 was sensitive to chronic effects and the results of potency and speed followed the behavior of IGF-I and IGFBP-3. Both peptides proved to be sensitive markers of training for young footballers. The maturation did not influence the process since the athletes were already matured in M1.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Primeira.pdf (1.06 Mbytes)
Data de Publicação
2018-06-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.