• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.101.2017.tde-13042017-112730
Documento
Autor
Nome completo
Veronica Deviá
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Schor, Adriana (Presidente)
Blay, Eva Alterman
Fava, Ana Claudia Polato e
Título em português
A participação feminina na força de trabalho em economias em desenvolvimento: uma comparação entre o Brasil e a Índia
Palavras-chave em português
Brasil
Desenvolvimento
Gênero
Índia
Trabalho
Resumo em português
Em praticamente todo tipo de medida global (participação, produtividade, renda e ocupação), as mulheres são mais economicamente excluídas do que os homens. De acordo com a teoria econômica feminista (NELSON; 1995, FIGART;2005), estas desvantagens são o resultado de desigualdades que se refletem em todas as áreas da vida social, relegando as mulheres a piores trabalhos e mais horas de trabalho em atividades pagas e não remuneradas, apesar do que afirma o pensamento racional econômico. Este trabalho se baseia na hipótese de uma relação em U da função do PIB e da participação feminina na força de trabalho (BOSERUP; 1975, MADEIRA; SINGER, 1975, GOLDIN; 1994, MAMMEN; PAXSON, 2000) encontrada em duas economias em desenvolvimento - o Brasil e a Índia para o ano de 2011 das pesquisas da PNAD e NSS respectivamente. Discutimos se esta hipótese pode ser aplicada para tentar explicar como opera a participação feminina na força de trabalho destes países. Utilizamos as abordagens interseccional (CRENSHAW, 1989) e categórica (MCCALL, 2005) para analisar igualmente os subgrupos populacionais (educação, raça, localidade e estado) e investigar se a renda dos domicílios em cada país pode ser uma medida suficiente para explicar a participação feminina. Desta forma, relevando que características culturais, demográficas, e históricas parecem ser fatores que podem explicar o papel atribuído à mulher na sociedade e como estas variáveis podem influenciar sua participação na força de trabalho.
Título em inglês
The female workforce in developing economies: a comparative study in Brasil and India
Palavras-chave em inglês
Brazil
Development
Gender
India
Work
Resumo em inglês
In almost every kind of measurement (participation, productivity, earning and occupation) women are more economically excluded than men. Almost half of women's working potential is unutilized, wasting 1 billion women workers worldwide in the next decade1. According to feminist economics theory (NELSON; 1995, FIGART; 2005) these disadvantages are a result of inequalities that are reflected in all areas of social life, relegating women to worse jobs and longer worked hours in paid and unpaid activities, despite the rational economic thought. This work builds on the hypothesis of an U-shape relation found in two developing economies, Brazil and India, for the year of 2011 of PNAD and NSS researches respectively. The function of a country's GDP (economic development stage) and the female participation in the workforce is U-shaped (BOSERUP; 1975, MADEIRA; SINGER; 1975, GOLDIN;1994, MAMMEN; PAXSON, 2000). We discuss whether this theory can be applied to explain the female workforce participation in these nations. Furthermore, through the intersectional (CRENSHAW, 1989) and categorical (MCCALL, 2005) approaches we analyse subgroups (education, race, location, and state) to asses if the household income is a sufficient measure to explain the female workforce participation in both nations, since cultural, demographic and historical characteristics seem to be relevant to explain the role attributed to women in a society and how these variables can bias the female worforce.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Veronica_Devia.pdf (1.49 Mbytes)
Data de Publicação
2017-06-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.