• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.2007.tde-22052007-160910
Documento
Autor
Nome completo
Maiara Garcia Blagitz
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Libera, Alice Maria Melville Paiva Della (Presidente)
Leal, Marta Lizandra do Rêgo
Magalhães, Maria Claudia Araripe Sucupira
Título em português
Avaliação da relação do exame físico da glândula mamária de ovelhas da raça Santa Inês com o perfil citológico e bacteriológico do leite
Palavras-chave em português
Diagnóstico
Exame físico
Glândula mamária de ovelhas
Lactação animal
Leite
Resumo em português
Com o objetivo de avaliar a relação entre o exame físico da glândula mamária de ovelhas com o leite, 292 ovelhas da raça Santa Inês foram examinadas. As amostras de leite foram submetidas ao exame bacteriológico, ao CMT e a CCS (automática e microscópica). Variações especificamente identificadas por inspeção da mama apresentaram alterações de celularidade observadas pelo CMT (p<0,002), na CCS automática (p<0,006), e na CCS microscópica diferencial para células mononucleares (p<0,03). Mamas pendulosas puderam ser associadas a maior isolamento bacteriológico (p<0,0006) e maior celularidade nas CCS automática (p<0,01) e microscópica (p<0,05). Na inspeção do teto foram encontradas diferenças no exame da CCS automática (p<0,002), no CMT (p<0,004) e na CCS microscópica diferencial para células mononucleares (p<0,005). Nos tetos com soluções de continuidade, foram observadas diferenças apenas no exame bacteriológico (p<0,03). Quanto à palpação da mama, foram observadas diferenças no exame bacteriológico (p<0,001), no CMT (p<0,01) e na CCS microscópica total (p<0,02) e diferencial para células polimorfonuleares (p<0,02) e para células mononucleares (p<0,0002). Quanto à palpação do teto, foram encontradas diferenças no CMT (p<0,01) e na CCS microscópica total (p<0,002) e diferencial para células polimorfonucleares (p<0,002) e para células mononucleares (p<0,002). Associando-se a inspeção à palpação das metades mamárias, observou-se diferenças na CCS automática (p<0,0002) e na CCS microscópica total (p<0,04) e diferencial para células mononucleares (p<0,01). No exame do fundo escuro, foram observadas diferenças no CMT (p<0,0001), na CCS automática (p<0,0001), e na CCS microscópica total (p<0,0001) e diferencial para células polimorfonucleares (p<0,0001) e mononucleares (p<0,0001). Quando associadas duas categorias do exame físico da glândula mamária, a inspeção e a palpação, e o exame do fundo escuro, foram observadas diferenças no CMT (p<0,0001), na CCS automática (p<0,0001) e na CCS microscópica total (p<0,0001) e diferencial para células mononucleares (p<0,0001). Nas ovelhas acompanhadas durante a lactação foram observadas diferenças na inspeção da mama (p<0,0001) e do teto (p<0,0001), na palpação da mama (p<0,005) e do teto (p<0,003), na inspeção e palpação das metades mamárias (p<0,04), na inspeção, palpação e fundo escuro das metades mamárias (p<0,03), na CCS automática (p<0,0001) e na CCS microscópica total (p<0,02) e diferencial para células polimorfonucleares (p<0,02) e para células mononucleares (p<0,02). Foi possível concluir que há relação entre o exame físico e o perfil celular e bacteriológico, mas que a inflamação da mama foi melhor identificada pelo CMT, através da inspeção da mama e do teto, da palpação da mama e do teto, do exame do fundo escuro e da avaliação da inspeção, palpação e fundo escuro das metades mamárias. A inflamação também foi identificada pela avaliação da CCS automática e/ou da CCS microscópica total e/ou diferencial através da inspeção da mama e do teto, pendulosidade da mama, palpação da mama e do teto, inspeção e palpação das metades mamárias, exame do fundo escuro e a inspeção, palpação e fundo escuro das metades mamárias. O processo infeccioso mamário pôde ser identificado através da pendulosidade mamária, presença de soluções de continuidade no teto e pela palpação da mama. A maior celularidade ocorreu no início da lactação. No final da lactação, houve maiores proporções de alterações na inspeção da mama e do teto e na palpação do teto. Nas fases intermediárias da lactação, as alterações na inspeção e palpação associadas e na inspeção, palpação e fundo escuro associados foram menores.
Título em inglês
Evaluation of the relantionship between the mammary gland physical examination of Santa Inês sheep and their bacteriological and cytological milk profile
Palavras-chave em inglês
Animal lactation
Diagnosis
Ewe's mammary gland
Milk
Physical exam
Resumo em inglês
The aim of this work is to evaluate the relationship between the mammary gland physical examination of ewes and their milk. 292 ewes of Santa Inês breed were evaluated, and the milk samples were submitted to bacteriological examination, to CMT (California Mastitis Test), to automatic SCC (somatic cell count) and microscopic SCC. Specifically identified variations during the mama inspection had cellular alterations, observed in CMT (p<0,002), in automatic SCC (p<0,006) and in differential microscopic count for mononuclear cells (p<0,03). Pendulous mamas could be associated to the largest bacteriological isolation (p<0,0006) and the largest cellular in automatic SCC (p<0,01) and microscopic SCC (p<0,05). In the teat inspection, differences were found in the automatic SCC (p<0,002) in the CMT (p<0,004) and in differential microscopic count for mononuclear cells (p<0,005). In the teat with lesion, differences were observed only in bacteriological examination (p<0,03). In mamma palpation, there were observed differences in bacteriological examination (p<0,001), in CMT (p<0,01), in total microscopic count (p<0,02), differences to polymorphonuclear cells (p<0,02) and to mononuclear cells (p<0,0002). In teat palpation, differences were found in CMT (p<0,01), in total microscopic count (p<0,002) and differences to polymorphonuclear cells (p<0,002) and to mononuclear cells (p<0,002). Associating the inspection and palpation of mammary gland, differences were observed in automatic SCC (p<0,0002) and in total microscopic count (p<0,04) and differences to mononuclear cells (p<0,01). In tamis exam, differences were observed in the CMT (p<0,0001), in automatic SCC (p<0,0001), and in total microscopic count (p<0,0001) and differences to polymorphonuclear cells (p<0,0001) and mononuclear cells (p<0,0001). When the two categories of mammary gland physical exam, the inspection, the palpation, and the tamis exam were associated, there were observed differences in the CMT (p<0,0001), in the automatic SCC (p<0,0001) and in the total microscopic count (p<0,0001), and differences in the microscopic SCC to mononuclear cells (p<0,0001). In the ewes followed during the lactation there were differences in mamma inspection (p<0,0001), in teat (p<0,0001), in mamma palpation (p<0,005) and in teat (p<0,003), in the inspection and palpation of mammary gland (p<0,04), in inspection, palpation and tamis exam of mammary gland (p<0,03), in automatic SCC (p<0,0001) and in total microscopic count (p<0,02), and differences for polymorphonuclear cells (p<0,02) and to mononuclear cells (p<0,02). It can be concluded that there is a relationship among the physical exam and the cellular and bacteriological profile, but the mamma inflammation was better identified by the CMT, through inspection of mamma and teat, and mamma and teat palpation, and tamis exam and the evaluation by inspection, palpation and macroscopic assessment of the milk by mammary glands. The inflammation was also identified by the evaluation of automatic SCC and/or total microscopic count through inspection of mamma and teat, pendulous mamma, palpation of mamma and teat, inspection and palpation of mammary gland, tamis exam and the inspection, palpation and tamis exam of mammary gland and milk. The infection in mammary gland can be identified by pendulous mamma, lesion in teat and by palpation of mamma. The biggest cellular was found in early lactation. And in late lactation, there were found more alterations in mamma and teat inspection and palpation of teat. In the intermediate phases of lactation, the alterations in inspection and palpation associated and the inspection, palpation and the tamis exam associated were smaller.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2007-05-29
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.