• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.10.2014.tde-28112014-134301
Documento
Autor
Nome completo
Pedro de Assunção Pimenta Ribeiro
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Pirassununga, 2014
Orientador
Banca examinadora
Albuquerque, Ricardo de (Presidente)
Faria Filho, Daniel Emygdio de
Garcia, Edivaldo Antonio
Junqueira, Otto Mack
Rodrigues, Paulo Henrique Mazza
Título em português
Avaliação das medidas de dispersão na pesquisa avícola
Palavras-chave em português
Coeficiente de variação
Frangos
Poedeiras
Variabilidade
Resumo em português
Há pouca literatura acerca dos valores de referência das medidas de dispersão na pesquisa avícola bem como a relação entre tais medidas e o número de aves por repetição e número de repetições e ainda os efeitos de fatores intrínsecos à pesquisa sobre a variabilidade experimental. Com isso, objetiva-se estabelecer faixas de classificação das medidas de dispersão, bem como a relação entre medidas e o número de aves por repetição, número de repetições por tratamento, número de aves abatidas para avaliação de carcaças, número de ovos coletados para análises de qualidade e os efeitos de fatores intrínsecos à pesquisa sobre a variabilidade experimental. Os dados foram obtidos nos trabalhos publicados nos periódicos com classificação Qualis/CAPES nos estratos A1, A2, B1, B2 e B3, na área de zootecnia. Para a determinação das faixas de classificação das medidas de dispersão. Os dados foram correlacionados através da correlação de Spearman, dados qualitativos foram comparados pelo teste de Kruskal-Wallis. As faixas de classificação de coeficientes de variação podem ser utilizadas como balizador da qualidade e confiabilidade dos dados de experimentos com poedeiras comerciais e frangos de corte. A fase de vida ou estágio produtivo de poedeiras e frangos de corte devem ser levados em consideração na comparação de resultados experimentais. O erro padrão da média varia bastante nos parâmetros produtivos de poedeiras e frangos de corte e parece não ser uma medida de dispersão indicada para se comparar a precisão de diferentes experimentos, as suas faixas de classificação servem como referencial da frequência com que se encontra resultados. Coeficientes de variação e erros padrão da média de parâmetros produtivos de frangos de corte e de poedeiras comerciais são menores quanto maior o número de repetições e de aves por repetição. As aves amostradas para o abate nas avaliações de carcaça de frangos de corte devem apresentar o peso médio da parcela. O número de aves amostradas não influencia a variabilidade experimental. Os dias de amostragem para análises de qualidade de ovos não influenciam a variação aleatória. O número ideal de ovos amostrados está entre quatro e cinco ovos por repetição. Em frangos de corte a variabilidade aleatória para variáveis de produção são maiores para aves da linhagem Ross do que para aves da linhagem Cobb. Lotes mistos de frangos de corte apresentam maior variação de ganho de peso do que lotes de machos na fase de criação de um a 21 dias de idade. O rendimento de carcaça e a porcentagem de gordura abdominal apresentam menor variabilidade aleatória em lotes mistos do que em lotes de frangos machos. Para frangos de corte não há efeitos aleatórios que possam aumentar a variabilidade experimental em função da área disponível por ave. Para poedeiras quanto maior o período experimental menor tende a ser a variação aleatória. Poedeiras brancas apresentam menor variação aleatória dos parâmetros produtivos do que poedeiras vermelhas. O coeficiente de variação de parâmetros produtivos de poedeiras comerciais aumenta com o aumento da área disponível por ave.
Título em inglês
Evaluation of spread measures on poultry research
Palavras-chave em inglês
Broilers
Coefficient of variation
Layers
Variability
Resumo em inglês
There is little literature on the reference values of spread measures in poultry research and the relationship between such measures and the number of birds per replicate and number of replicates and even the effects of intrinsic factors to research on experimental variability. The aim of this research is to establish ranges for the classification of spread measures, and the relationship between measurements and the number of birds per replicate, number of replicates per treatment, number of birds slaughtered for carcass evaluation, number of eggs collected for quality analysis and impact of research intrinsic factors on experimental variability. The data were obtained in papers published in journals with Qualis/CAPES classification in strata A1, A2, B1, B2 and B3, in the area of animal science. To determine the classification of the spread measures. The data were correlated by Spearman correlation, qualitative data were compared using the Kruskal-Wallis test. The classification ranges of coefficients of variation can be used as an indicator of the quality and reliability of data from experiments with laying hens and broilers. The age or production stage of laying hens and broilers should be considered in the comparison of experimental results. The standard error of means varies greatly in production parameters of laying hens and broilers and seems not to be a measure of dispersion indicated to compare the accuracy of different experiments, their classification ranges serve as a frequency reference which it is results. Coefficients of variation and standard error of means of production parameters of broilers and laying hens are smaller the greater the number of repetitions and birds per replicate. The birds sampled for slaughter in assessing carcass of broilers must present the average weight of the replicate. The number of birds sampled does not influence the experimental variability. The days of sampling for quality analysis of eggs did not influence the random variation. The ideal number of eggs sampled is between four and five eggs per replicate. In broilers random variability for production variables are higher for Ross than for Cobb broilers. Straight run broilers exhibit greater variation in weight gain than lots of males in the creation phase of 1 to 21 days old. The carcass yield and abdominal fat have less random variability in straight run broilers than in lots of male chickens. No random effects that can increase experimental variability depending on the available area per bird on broilers. The higher is experimental period the greater is the random variations. White hens have less random variation in production parameters than brown hens. The coefficient of variation of productive parameters of laying hens increases with increasing the available area per bird.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-02-04
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.