• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.2005.tde-26102006-104736
Documento
Autor
Nome completo
Keila Iamamoto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2005
Orientador
Banca examinadora
Silva, Luzia Helena Queiroz da (Presidente)
Nunes, Cáris Maroni
Vasconcellos, Silvio Arruda
Título em português
Pesquisa do vírus rábico em mamíferos silvestres de uma reserva natural particular no Município de Ribeirão Grande, São Paulo
Palavras-chave em português
Animais silvestres
Chiroptera
Diagnóstico
Marsupialia
Raiva
Rodentia
Resumo em português
No Brasil e em alguns países da América Latina, a incidência de raiva transmitida por animais domésticos tem diminuído enquanto tem aumentado em animais silvestres. Durante os últimos anos, no Brasil, a raiva tem sido diagnosticada em morcegos hematófagos ou não, primatas não-humanos, cachorros-do-mato, quatis, guaxinins, capivaras, cervos, gambás e outras espécies silvestres. O presente estudo foi realizado em parceria com biólogos, pesquisadores na área de monitoramento de fauna silvestre, e o objetivo foi pesquisar a presença do vírus rábico em mamíferos silvestres de vida livre, provenientes de uma reserva natural particular, localizado no município de Ribeirão Grande, São Paulo, região que já foi alvo de raiva nos últimos anos. Durante o período de 2002 a 2004, 104 amostras de cérebro de animais capturados foram enviadas para diagnóstico no Laboratório de Raiva da UNESP de Araçatuba, SP, acondicionadas em pipetas plásticas do tipo Pasteur individuais. Os animais pertenciam a três ordens, Chiroptera (47,1%), Rodentia (46,2%) e Marsupialia (6,7%), sendo de diferentes idades e sexos. As amostras foram submetidas ao teste de imunofluorescência direta e inoculação intracerebral em camundongos e todas apresentaram resultado negativo para a raiva. Segundo dados da Coordenação do Programa de Controle da Raiva do Estado de São Paulo a raiva é endêmica na região estudada e a porcentagem de positividade em morcegos nos últimos dez anos é de 1,8%. Embora dos diagnósticos tenham sido negativos neste estudo, não é possível afirmar que o vírus rábico não circula naquela propriedade
Título em inglês
Rabies virus search in wild mammals from a private natural reserve from Ribeirão Grande, São Paulo
Palavras-chave em inglês
Chiroptera
Diagnosis
Marsupialia
Rabies
Rodentia
Wild animals
Resumo em inglês
In Brazil and some Latin American countries, the incidence of rabies transmitted by domestic animals has decreased while it has been increasing in wild animals. During the last few years rabies has been diagnosed in hematophagous or nonhematophagous bats, nonhuman primates, crab-eating foxes, coatis, raccoons, capybaras, deers, skunks and some other species. The present study was carried out with biologists, researchers in wild fauna monitoring and the objective was to search the presence of the rabies virus in wildlife mammals from a private natural reserve, in Ribeirão Grande city, SP, region that was target of rabies in the last few years. During 2002 to 2004, 104 brain samples of captured animals were sent for diagnosis to UNESP Rabies Laboratory from Araçatuba, SP, conditioned in individuals Pasteur plastic pipettes. The animals belonged to three different orders, Chiroptera (47,1%), Rodentia (46,2%) and Marsupialia (6,7%), and to different ages and sex. The samples were submitted to direct fluorescent antibody test and mouse inoculation test and all samples resulted negative for rabies. According to data of the Rabies Control Program Coordination from São Paulo State, rabies is endemic in the studied region and the percentage of positive cases in bats during the last 10 years was 1,8%. Although all diagnosis were negative in this study, it is not possible to affirm that the rabies virus do not circulate in that property
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
KeilaIamamoto.pdf (4.12 Mbytes)
Data de Publicação
2006-11-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.