• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.2018.tde-15062018-150128
Documento
Autor
Nome completo
Yamê Miniero Davies
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Knöbl, Terezinha (Presidente)
Menão, Marcia Cristina
Moreno, Andrea Micke
Título em português
Virulência e resistência aos antimicrobianos de Klebsiella spp isoladas de psitacídeos com doença respiratória
Palavras-chave em português
Klebsiella spp.
ESBL
Microbiologia
Psitacídeos
Resistência bacteriana
Resumo em português
Os psitacídeos estão entre as espécies de aves mais apreendidas e encaminhadas aos centros de triagem animal em São Paulo. Também são comumente mantidos em ambiente doméstico como aves de estimação. A manutenção destas aves em cativeiro pode representar um risco zoonótico e contribuir para a propagação das estirpes de enterobactérias multirresistentes, como Klebsiella spp. produtora de beta-lactamase de espectro estendido (ESBLs), que podem interferir no tratamento de infecções nosocomiais em humanos. O objetivo deste estudo foi identificar e caracterizar estirpes de Klebsiella spp. isoladas de secreções respiratórias de 46 psitácideos doentes, determinando a virulência e o perfil de resistência a 15 antimicrobianos. Dentre as 19 estirpes de Klebsiella spp. isoladas, 16 (16/19) foram identificadas como Klebsiella pneumoniae, e três (3/19) foram identificadas como Klebsiella oxytoca. O perfil de suscetibilidade aos antimicrobianos demonstrou alta resistência para ampicilina (89,5%), e o perfil de virulência demonstrou uma alta prevalência dos genes fimH (94,7%), kpn (89,4%), uge (84,2%) e irp-2 (78,9%). Três estirpes de K. pneumoniae foram positivas para produção de beta-lactamase de espectro estendido. Estas estirpes foram classificadas nos sequence types (STs) ST15, ST147 e ST307. Esses três grupos clonais representam os principais responsáveis por surtos de infecções hospitalares por K. pneumoniae no mundo. No entanto, esse é o primeiro relato desses clones como causadores de doença em aves. Esses dados indicam a ocorrência de K. pneumoniae produtora de CTX-M-15 e CTX-M-8 em psitacídeos cativos e confirmam o potencial zoonótico e antropozoonótico do agente, destacando a relevância clínica para humanos e animais.
Título em inglês
Virulence and Antimicrobial Resistance of Klebsiella spp. Isolated from Psittacines birds with Respiratory Disease
Palavras-chave em inglês
Klebsiella spp.
Bacterial resistance
ESBL
Microbiology
Psittacines
Resumo em inglês
Psittacine birds are among the most seized bird species that are sent to animal sorting centers in São Paulo. They are also commonly kept in the domestic environment like pet birds. The maintenance of these birds in captivity may represent a zoonotic risk and contribute to the propagation of strains of multiresistant enterobacteria, such as Klebsiella spp. beta-lactamase extended-spectrum (ESBLs), which may interfere in the treatment of nosocomial infections in humans. The objective of this study was to identify and characterize strains of Klebsiella spp. isolated from respiratory secretions of 46 diseased psittacines, determining virulence and resistance profile to 15 antimicrobials. Among the 19 strains of Klebsiella spp. isolated, 16 (16/19) were identified as Klebsiella pneumoniae, and three (3/19) were identified as Klebsiella oxytoca. The antimicrobial susceptibility profile demonstrated high resistance to ampicillin (89.5%), and the virulence profile demonstrated a high prevalence of fimH (94.7%), kpn (89.4%), uge (84.2% %) and irp-2 (78.9%). Three strains of K. pneumoniae were positive for extended-spectrum beta-lactamase production. These strains were classified in sequence types (STs) ST15, ST147 and ST307. These three clonal groups represent the main responders for outbreaks of K. pneumoniae nosocomial infections worldwide. However, this is the first account of these clones as causing disease in birds. These data indicate the occurrence of K. pneumoniae producing CTX-M-15 and CTX-M-8 in captive parrots and confirm the zoonotic and anthropozoonotic potential of the agent, highlighting the clinical relevance for humans and animals.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-08-30
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.