• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.10.2014.tde-07012015-094024
Documento
Autor
Nome completo
Rafael Cardoso Carvalho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Miglino, Maria Angélica (Presidente)
Maiorka, Paulo César
Prada, Irvenia Luiza de Santis
Prandini, Mirto Nelso
Silva, Ana Lucia Abreu
Título em português
Anosmia: recuperação da função olfatória por terapia celular
Palavras-chave em português
Anosmia
Bulbectomia
Gliose Reativa
Terapia Celular
Resumo em português
O sistema olfatório desempenha um papel relevante na exploração do ambiente e no reconhecimento social e sexual de mamíferos. Por meio deste sistema os animais podem reconhecer, detectar e discriminar uma grande quantidade de odorantes de estruturas químicas variadas, sinais químicos no ambiente essenciais para a sobrevivência e os ferormônios, que desencadeiam comportamentos sociais e reprodutivos. Algumas doenças e certos tipos de injúrias fisiológicas podem provocar a morte destas células, o que pode levar a perda da sensibilidade olfatória, embora já se saiba que este epitélio apresenta grupos de neurônios capazes de regeneração. A partir deste contexto, a terapia celular acaba sendo uma alternativa para o tratamento de patologias as quais acometem o sistema olfatório, como por exemplo, a anosmia que pode causar problemas graves, desde acidentes com gás ou comida estragada até depressão e distúrbios alimentares, causadas pela perda do paladar. Objetivou-se com este trabalho avaliar a recuperação da função olfatória de ratos anósmicos, bulbectomizados e submetidos a terapia celular com células-tronco provenientes do epitélio olfatório de ratos wistar. Para tanto foram utilizados 21 ratos machos Wistar de sessenta dias de idade, onde três foram utilizados para obtenção das células tronco do epitélio olfatório, dois para o controle cirúrgico, e restante foram divididos em 4 grupos: GI, GII, GIII e GIV os quais foram transplantados após 3, 7, 14 e 21 dias após a bulbectomia, respectivamente. A técnica cirúrgica foi realizada com incisão de pele, tecido subcutâneo e periósteo, seguida de abertura em janela de formato ovalado e remoção dos bulbos olfatórios mediante aspiração. Para a comprovação da anosmia após a cirurgia, os ratos foram submetidos ao teste comportamental do "odor de gato", e os do grupo controle após o período experimental foram sacrificados e a área encefálica da lesão causada pela cirurgia foi coletada onde foram realizadas análises histopatológicas. Os animais do GI, GII, GIII e GIV após 3, 7, 14 e 21 dias após bulbectomia foram anestesiados e receberam células tronco (1x106) do EOR no mesmo local da realização da bulbectomia, e posteriormente foram submetidos ao teste comportamental do "odor de gato". Transcorrido o período experimental, foram eutanasiados e os fragmentos de encéfalo foram coletados para análise histopatológica e imunohistoquímica. Os resultados evidenciam que realização da intervenção cirúrgica demonstrou remoção parcial do BO, com destruição da conexão nervosa entre os bulbos olfatórios e o epitélio olfatório. Ainda, a partir do teste comportamental do "odor de gato", e pela análise histopatológica das lesões causadas pela cirurgia, que evidenciou extensa área de necrose, com presença de hemossiderina e astrogliose reativa, constatou-se que a técnica empregada para promoção da bulbectomia foi eficaz para promoção da anosmia. A partir da análise comportamental, dos animais submetidos a terapia celular, os animais do GII e GIII apresentaram modificações no comportamento olfativo, com comportamento olfativo positivo ao "odor do gato", aversão comportamento defensivo, enquanto 100% dos animais do GI e GIV não apresentaram nenhuma modificação no comportamento olfativo. As análises por imunohistoquímica evidenciaram marcação positiva para o GFP, o que indica a presença das células tronco transduzidas com eGFP nos locais das lesões e ainda a expressão positiva do GFAP que evidencia a presença de astrogliose reativa com presença de cicatriz glial nos locais das lesões.
Título em inglês
Anosmia: recovery of olfactory function using cell therapy
Palavras-chave em inglês
Anosmia
Bulbectomy
Cell therapy
Gliosis
Resumo em inglês
The olfactory system plays an important role in the exploration of the environment and in social and sexual behavior in mammals. Disturbances of the olfactory system such as observed in anosmia has also been related to accidents caused by gas leak and intoxications by food poisoning, in addition to eating disorders due to relation of the olfactory system with the taste. Through the olfactory system, animals recognize, detect and discriminate a large amount of odorants in a variety of chemical products, including pheromones, as well as in the environment which may guarantee their survival. Some diseases and injuries cause death of cells from the olfactory system leading to decrease or loss of the smell sensitivity. It is known that the olfactory epithelium has cells capable of regenerating neurons. Therefore, the utilization of these cells in cell therapy represents an alternative for the treatment of the olfactory system disorders. The objective of this study was to evaluate the regenaration of olfactory function of bulbectomized rats that were subjected to cell therapy with cells isolated from the olfactory epithelium. Twenty one male Wistar rats, sixty days of age were included in this study. Three rats were used for isolation of the olfactory epithelium cells, two for the surgical control and the remaining were divided into 4 groups: GI, GII, GIII and GIV corresponding to groups where cells were transplanted after 3, 7, 14 and 21 days after bulbectomy, respectively. The surgical technique was performed with skin, subcutaneous and periosteum incisions, followed by craniectomy and the removal of olfactory bulbs upon aspiration. For proof of anosmia, the rats were subjected to behavioral testing know as "cat odor". The animals of the control group were sacrificed and brain, with the lesion area, collected and processed for histopathological analysis. The animals of the experimental groups (GI, GII, GIII and GIV) were anesthetized and received heterologous cells (1x106) from olfactory epithelium, thorugh the same venue of the bulbectomy. These animals subsequently underwent behavioral "cat odor" testing. After 3, 7, 14 and 21 days of the cell injection, the rats were euthanized and the animals brains were collected for histopathological and immunohistochemical analyses. The results show that the surgical procedure promoted partial removal of olfactory bulbs, with destruction of the neural connection between the olfactory bulb and the olfactory epithelium. The behavioral "cat odor" test and the histopathological exams of the lesions, which revealed a large area of necrosis with presence of hemosiderin and reactive astrogliosis, demonstrated that the bulbectomy technique used to promote anosmia was effective. The behavioral test showed that the animals from GII and GIII presented changes in olfactory sensitivity, with positive "cat odor" aversion and defensive reaction. This test did not show change in GI and GIV groups. Immunohistochemistry analysis was positive for GFP, suggesting the presence of eGFP transduced cells at the sites of injury. In addition, the expression of GFAP positive cells demonstrated the presence of reactive astrogliosis with glial scar at the sites of injury.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-03-04
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.