• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.10.2006.tde-02032007-174915
Documento
Autor
Nome completo
Vanessa Belentani Marques
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Binelli, Mario (Presidente)
Buratini Júnior, José
Kfoury Junior, José Roberto
Madureira, Ed Hoffmann
Meirelles, Flavio Vieira
Título em português
Atividade antiluteolítica no microambiente uterino durante o período crítico para o estabelecimento da gestação em bovinos
Palavras-chave em português
bovinos
ensaio biológico
interferons
prostaglandina F2&alpha
reconhecimento da gestação
Resumo em português
A inibição da secreção pulsátil de prostaglandina F2alfa (PGF) uterina (atividade antiluteolítica) pela ação do interferon-tau (IFN-τ) trofoblástico, mantêm a secreção de progesterona pelo corpo lúteo, fundamental ao estabelecimento da gestação nas fêmeas bovinas. Supõe-se que essa atividade antiluteolítica esteja presente no microambiente uterino bovino, portanto objetivou-se estudá-la. Dada à inexistência de ensaios que meçam especificamente a atividade antiluteolítica propôs-se elaborar um ensaio biológico para tal. Observou-se que células BEND tratadas com forbol 12,13 dibutirato (PdBu) por 6 horas em cultivo sintetizam PGF e tal síntese é inibida na presença de interferon-tau recombinante bovino (rbIFN-τ). Em outro estudo definiu-se que 25 ng/mL de PdBu promove estímulo consistente à síntese de PGF. A partir da análise de regressão do percentual de inibição à síntese de PGF estimulada por PdBu, em função da concentração de interferon-tau recombinante (rbIFN-τ), calculou-se a concentração de rbIFN-τ que inibiu em 50% a síntese máxima de PGF (observada na presença apenas de PdBu). Definiu-se a atividade antiluteolítica como o recíproco da concentração proteica requerida para atingir esse percentual de inibição (50%), e que a solução com uma unidade antiluteolítica é aquela que com um micrograma exerça tal efeito. Caracterizou-se a utilização dessa isoforma como padrão do ensaio antiluteolítico e calculou-se a atividade antiluteolítica do mesmo, 9,61 x 10² UA/µg de proteína. Em estudo seguinte observou-se a modulação da síntese de PGF estimulada por PdBu, em função da concentração proteica de um pool de lavados uterinos ou meios condicionados por conceptos obtidos no décimo sétimo dia de gestação. Notou-se que para cada fluido testado há um intervalo de concentrações onde observa-se aumento linear na atividade antiluteolítica em função do acréscimo proteico. A partir da análise por regressão linear desse evento calculou-se a atividade antiluteolítica de cada amostra. Para o pool de lavados uterinos calculou-se 1,63 x 10-¹ UA/ µg de proteína, e para o pool de meios condicionados por conceptos 1,66 x 10² UA/µg de proteína. Estes estudos permitiram desenvolver uma metodologia para observar a atividade antiluteolítica em humores biológicos. Aplicando o ensaio antiluteolítico estudou-se a atividade antiluteolítica presente em lavados uterinos obtidos durante o período crítico de fêmeas bovinas prenhes ou cíclicas ( respectivamente, 56,2 e 33,9 UA/µg de proteina), notou-se que a atividade antiluteolítica foi maior no microambiente uterino de fêmeas gestantes. Tal resultado associado à potente atividade antiluteolítica observada para os meios condicionados por conceptos indicam a participação do IFN-τ secretado pelo concepto na modulação da síntese de PGF. Entretanto, observou-se atividade antiluteolítica nos lavados uterinos obtidos de fêmeas cíclicas, o que indica que a síntese de PGF estimulada por PdBu pode ser modulada por outras proteínas, além do IFN-τ. Sugere-se que a atividade antiluteolítica, observada através do ensaio biológico proposto, é resultante da atuação de fatores estimulatórios e inibitórios presentes nos humores biológicos. Conclui-se que a atividade antiluteolítica pode ser mensurada pelo ensaio biológico proposto, no entanto outros estudos devem ser conduzidos para correlacionar essa atividade com a atuação do IFN-τ.
Título em inglês
Antiluteolytic activity in the uterine microenvironment during the critic period to pregnancy establishment in bovines
Palavras-chave em inglês

biological assay
bovines
interferons
pregnancy recognition
prostaglandin F2&alpha
Resumo em inglês
The inhibition of pulsatile secretion of PGF mediated by interferon-tau (IFN) is fundamental on the maternal recognition of pregnancy, maintaining the progesterone secretion by corpus luteum. Therefore the measurement of interferon activity in the uterine microenvironment was studied. Due to a lack of assays those measure specific antiluteolytic capacities we suggest develop a biological assay for it. In this research we observed that BEND cells treated with PdBu synthesize PGF, wich is inhibited by the presence of recombinant bovine interferon-tau (rbIFN-τ). Following we defined 25ng/mL as PdBu (phorbol 12,13 dibutirate) stimulus at the PGF synthesis to be applied in this biological assay. Studies about the modulation of PdBu-stimulated PGF synthesis by the rbIFN-τ validate the use of this isoform as a reference, defining a standard-curve and allowing estimating the antiluteolytic activity of 9.61 x 10² antiluteolytic units per microgram (UA/µg) of protein. Further, we observed the modulation of PdBu-stimulated PGF synthesis exerted by a pool of uterine flushings or conceptus conditioned medium, and for each tested fluid, there is a range of concentrations where is observed an increasing rate on the inhibition of PGF synthesis. A restrict analysis on this concentrations range shows a linear behavior and allow calculate the antiluteolytic activity of each sample1.63 x 10-¹ UA/ µg of protein from a pool of uterine flushings, and 1.66 x 10² UA/µg from conceptus conditioned medium. These studies validated a method to observe the antiluteolytic activity from biological fluids. Using the antiluteolytic assay, we studied the antiluteolytic activity present in uterine flushings obtained during the critic period by pregnant or cyclic bovine females cíclicas (respectively 56,2 e 33,9 UA/µg of protein). We observed higher antiluteolytic activity from pregnant uterine microenvironment than in cyclic uterine microenvironment. This result linked with the high antiluteolytic activity observed to conceptus conditioned medium, suggest the participation of IFN-τ secreted by the conceptus in the PGF synthesis modulation. However, we observed the antiluteolytic activity in uterine flushing obtained by cyclic cows, suggesting that the PGF synthesis could be modulated by another proteins. We believe that the antiluteolytic activity, observed by the antiluteolytic assay, ensue the action of inhibitors or stimulators factors in the biological fluids. We conclude that the antiluteolytic assay could be measured by the proposed biological assay, nevertheless another studies must be done in order to correlate this activity with the interferon action.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2007-04-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.