• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.1998.tde-17082007-150948
Documento
Autor
Nome completo
Carlos Henrique Cabral Viana
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1998
Orientador
Banca examinadora
Moretti, Anibal de Sant'Anna (Presidente)
Franceschini, Paulo Henrique
Silveira, Paulo Roberto Souza da
Título em português
Relações entre as características intervalo desmame-cio, duração do cio e momento da ovulação pela ultra-sonografia e dosagem de progesterona sérica em fêmeas da espécie suína
Palavras-chave em português
Estro
Suínos
Ultrasonografia
Resumo em português
O sucesso no emprego da inseminação artificial em suínos depende de inúmeros fatores, sendo o momento ideal de sua realização, um dos que mais influencia, o qual compreende um intervalo entre 0 e 24 horas antes da ovulação. Estudou-se as relações entre o intervalo desmame-cio (IDC), a duração do cio (DC) e o momento da ovulação (MO) e a influência da raça, ordem de parto e estação do ano sobre estas características e suas relações. Um total de 236 fêmeas, de uma unidade de produção de suínos no oeste Santa Catarina, foram observadas para a obtenção dos dados de IDC e DC, as quais eram testadas para o diagnóstico de cio 4 vezes ao dia, na presença do macho. A ovulação foi diagnosticada em 77 fêmeas, pela ultra-sonografia, por via trans-cutânea, em 3 exames diários com 8 horas de intervalo. As amostras de sangue para análise de progesterona, foram coletadas de 74 fêmeas, com 24 horas de intervalo, em 4 ocasiões para a determinação dos níveis: basal, 24, 48 e 72 horas após o início do cio, respectivamente, e submetidas a técnica de radioimunoensaio. A raça Landrace mostrou um IDC mais longo (113,62 horas) em comparação à Large White (linhagem 1) (102,45 horas) (P<0,05), mas não houveram diferenças significativas destas em relação à Large White (linhagem 2). Fêmeas de 1º parto apresentaram um IDC mais longo (117,44 horas) que às de 2º parto (100,47 horas) e acima deste (104,78 horas) (P<0,05). Não houve influência da estação do ano sobre nenhuma das características. Houve interação entre estação do ano e ordem de parto sobre o MO, sendo que, nas fêmeas acima de 2º parto, o MO médio estimado foi de 51,76 horas na estação 1 e de 36,56 horas na estação 2 (P<0,05). Houve correlação negativa entre intervalo desmame-cio e duração do cio (r=-0,4657; P=0,0001) e entre intervalo desmame-cio e momento da ovulação (r=-0,3955; P=0,0004), no entanto, não houve correlação entre duração do cio e momento da ovulação (r=0,2201; P=0,0578). Não foi possível mostrar influências de raça, ordem de parto e estação de ano sobre as relações entre IDC, DC e MO através da análise de regressão com comparação de retas. Houve baixa correlação entre a ultra-sonografia e a análise de progesterona (MOP), para o diagnóstico da ovulação (r=0,3396;P=0.0209), sem correlação quando a ocorrência da ovulação foi considerada em intervalos de 24 horas a partir do início do cio (r=0,2637;P=0,0766). A porcentagem de fêmeas que, pela ultra-sonografia, ovularam entre 0 e 24, 24 e 48, 48 e 72 e acima de 72 horas após o início do cio foi de, respectivamente, 0%, 58,4%, 37,5% e 4,2% para o IDC de 3 dias, 3,2%, 67,7%, 29,2% e 0% para o IDC de 4 dias, 0%, 91,6%, 8,3% e 0% para o IDC de 5 dias e 10%, 90%, 0% e 0% para o IDC de 6 e 7 dias. Pela análise de progesterona, para os mesmos intervalos, respectivamente, a porcentagem fêmeas foi de 4,5%, 36,3%, 50% e 9,1% para o IDC de 3 dias, 3,6%, 32,2%, 60,7% e 3,6% para o IDC de 4 dias, 5,9%, 35,3%, 52,9% e 5,9% para o IDC de 5 dias e 14,3%, 57,1%, 28,6% e 0% para o IDC de 6 e 7 dias. Nestas condições, o I DC não se mostrou uma referência confiável para ser utilizado como um preditor do momento ideal da inseminação. No entanto, conhecimento das características IDC, DC e MO dentro de cada rebanho ajudam a apontar falhas e elaborar programas eficientes de IA.
Título em inglês
Relationships between the characteristics weaning-to-estrus interval, estrus duration and moment of ovulation by ultrasonography and progesterone blood levels in sows
Palavras-chave em inglês
Estrus
Swines
Ultrasonography
Resumo em inglês
The success of artificial insemination (AI) depends on several factors. The ideal moment to realize the AI is a limiting factor and it is defined as O to 24 hours before ovulation. Relationships between weaning-to-estrus interval (WEI), duration of estrus (DE) and moment of ovulation (MO) and the influence of breed, parity and season over these characteristics and the relationships with each other were studied. In a total of 236 sows, of a farm in the west of Santa Catarina, were observed to record the data of WEI and DE, which were tested by back pressure 4 times a day, in presence of a boar. The ovulation was diagnosed in 77 sows, by transcutaneous ultrasonography, 3 times a day at intervals of 8 hours. The blood samples to progesterone analyze were collected of 74 SOWS, at 24 hours intervals, at 4 occasions to determine basal, 24, 48, 72 hours levels after estrus onset, respectively, and submitted to radioimunoassay. The breed Landrace showed a WEI longer (113,62 hours) than Large White (Iine 1) (102,45 hours) (P<0,05), but there were no differences in relation to Large White (Iine 2). First parity sows presented a WEI longer (117,44 hours) than second parity sows (100,47 hours) and over second parity (104,78 hours) (P
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2007-08-17
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.