• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.2014.tde-10112014-154946
Documento
Autor
Nome completo
Estela Rose Araujo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Binelli, Mario (Presidente)
Buratini Júnior, José
Meirelles, Flavio Vieira
Título em português
Distribuição espacial de transcritos no trato reprodutivo e sua relação com o ambiente endócrino periovulatório no início do diestro de bovinos de corte
Palavras-chave em português
Bovinos
Estradiol
Progesterona
Útero
Vagina
Resumo em português
Em bovinos , as flutuações nas concentrações de estradiol (E2) e progesterona ( P4) que ocorrem em torno do estro modulam a expressão gênica do endométrio, a composição histotrofo, o desenvolvimento do concepto e assim afetam o resultado da prenhez. Durante o ciclo estral, ações endócrinas bem orquestradas afetam o endométrio bovino (BAUERSACHS et al., 2005). No presente trabalho, a hipótese sustentada é que alterações endócrinas associadas ao crescimento e ovulação de folículos de diferentes tamanhos modulam a distribuição espacial das transcrições no trato reprodutivo de vacas da raça Nelore. O crescimento folicular de vacas Nelore multíparas e não lactantes foi farmacologicamente manipulado a fim de gerar grupos com folículos pré-ovulatórios e subsequente corpo lúteo (ou seja, diferentes ambientes endócrinos periovulatórios) grande (FG CLG; n = 6) ou pequeno (FP CLP, n = 6). Os animais foram abatidos, sete dias após a indução da ovulação e fragmentos das regiões anterior, média e posterior de ambos os cornos uterinos e da vagina foram coletados para a avaliação de expressão gênica por PCR quantitativo. A expressão gênica foi normalizada utilizando os genes referência ciclofilina A e beta actina, como indicado pelo software GeNorm. Os dados foram analisados utilizando-se o procedimento PROC MIXED do SAS (versão 9.2; Instituto SAS) em dois modelos independentes. O primeiro modelo incluiu os efeitos de grupo (FG CLG e FP CLP), lado do corno uterino (ipsolateral ou contralateral ao ovário contendo o CL) e sua interação, o segundo modelo incluiu os efeitos de grupo, região (anterior, médio e posterior) do corno ipsolateral e suas interações. Vacas do grupo FP CLP apresentou maiores folículos pré-ovulatórios e concentrações de E2 durante proestro e maiores CL e níveis de P4 no diestro inicial, quando comparados com os do grupo FP CLP. Animais do grupo FP CLP apresentaram uma maior abundância de transcritos que codificam o receptor de E2 (ESR2; 130%), a aldo-ceto redutase família 1, membro C4 (AKR1C4; 232%), a lipoproteína lipase (LPL; 116%), o carreador de soluto família 2, membro 1 (SLC2A1; 24%) e inibidor da peptidase da serina, subtipo A, membro 14 (SERPINA14; 75%). Por outro lado, a expressão de genes que codificam o receptor de P4 e receptor de oxitocina foi regulada positivamente no tecido endometrial do grupo FP CLP (36 % e 966 %, respectivamente). Além disso, a abundância da transcrição desse genes foi maior no corno contralateral ao CL. Além disso, a região anterior do corno uterino ipsolateral apresentou aumentada expressão de PGR, ESR2, LPL, SLC2A1 e SERPINA14 em comparação com a região posterior. Com exceção da OXTR que apresentou interação grupo e lado, não houve interações grupo por lado ou região. Não houve efeito de grupo sobre a expressão de qualquer um dos genes na vagina. Em conclusão, o presente estudo mostrou que o padrão de expressão de genes específicos em resposta variou quanto a grupo e entre as regiões do trato reprodutivo de fêmeas bovinas. No entanto, os distintos ambientes endócrino periovulatórios não afetaram a distribuição regional de transcritos.
Título em inglês
Different periovulatory endocrine milieus modulate spatial distribution of transcripts in the reproductive tract of beef cows
Palavras-chave em inglês
Cow
Estradiol
Progesterona
Uterus
Vagina
Resumo em inglês
In cattle, fluctuations of progesterone (P4) and estradiol (E2) concentrations that occur around estrus modulate endometrial gene expression, histotroph composition, conceptus development and, thereby affect pregnancy outcome. During the estrous cycle, well-orchestrated endocrine actions affect the bovine endometrium (BAUERSACHS et al., 2005). In the present work, we hypothesized that endocrine changes associated with growth and ovulation of follicles of different sizes modulate the spatial distribution of transcripts in the reproductive tract of Nellore cows. The follicular growth of multiparous non-lactating Nelore cows was pharmacologically manipulated in order to generate groups with large (LF LCL; n=6) or small (SF SCL; n=6) preovulatory follicles and subsequent corpus luteum (i.e., different periovulatory endocrine milieus). Cows were slaughtered seven days after the induction of ovulation and fragments from the anterior, middle and posterior regions from both uterine horns and the vagina were collected. Gene expression assessment was performed by quantitative PCR. Gene expression was normalized using cyclophilin A and actin, beta as reference genes, as indicated by the GeNorm software. Data were analysed using the PROC MIXED procedure of SAS (Version 9.2; SAS Institute) in two independent models. The first model included the effects of group (LF LCL and SF SCL), side of the uterine horn (ipsilateral or contralateral to the ovary containing the CL) and interaction and the second model included the effects of group, region of the ipsilateral horn (anterior, middle and posterior) and interaction. Cows in the LF LCL group presented larger preovulatory follicles and E2 concentrations during proestrus and larger CL and P4 levels during early diestrus when compared to animals from SF SCL group. Animals in the LF LCL group had a greater abundance of transcripts coding the estrogen receptor (ESR2; 130%), aldo-keto reductase family 1, member C4 (AKR1C4; 232%), lipoprotein lipase (LPL; 116%), solute carrier family 2, member 1 (SLC2A1; 24%) and serpin peptidase inhibitor, clade A member 14 (SERPINA14; 75%). Conversely, the expression of genes coding the progesterone receptor and oxytocin receptor was upregulated in the SFSCL endometrial tissue (36% and 966% respectively). Furthermore, transcript abundance of the later genes was observed in the contralateral horn. In addition, the anterior region of the ipsilateral horn showed increased expression of PGR, ESR2, LPL, SLC2A1 and SERPINA14 compared to the posterior region. Except for a group by side interaction for the expression of OXTR, there were no group by region or group by side interactions. There was no effect of group on the expression of any of the genes in the vagina. In conclusion, our study showed that the expression pattern of specific genes varied in response to group and among regions of the female reproductive tract. However, distinct endocrine periovulatory milieus did no affect regional distribution of transcripts.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-01-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.